Tor encontra 'vírus espião' e sugere que as pessoas deixem de usar o Windows

O TOR, sistema de comunicação anônima na rede, divulgou em seu blog que descobriu uma vulnerabilidade que estÁ sendo utilizada para "espionar" quem utiliza o software, mandando o número de MAC e o hostname dos usuÁrios para um servidor desconhecido (insira aqui sua teoria conspiratória).


Seu anonimato não estÁ anônimo, avisa o TOR


Segundo o post, o problema foi identificado no TOR Browser Bundle, um software que faz a instalação direta do sistema de privacidade sem necessidade de outros programas. Versões mais antigas do bundle foram afetadas, e o ataque explora uma falha de segurança no JavaScript do Firefox para se instalar no computador. A falha afeta apenas versões desatualizadas do navegador e do programa de privacidade de IP.

Para solucionar o problema, o TOR recomenda o bom e velho "mantenha seus softwares atualizados", mas sugeriu outra medida curiosa: "Sabemos que esta não é a primeira nem serÁ a última vulnerabilidade do Firefox. Considere desabilitar o JavaScript. [...] Considere também mudar para um 'live system' [sistemas que rodam diretamente de CDs ou pendrives], como o Tails. Na verdade, trocar o Windows é provavelmente uma boa medida de segurança, por vÁrios motivos".

- Continua após a publicidade -

Apesar de fazer este envio dos dados dos utilizadores da rede de anonimato para "sabe-se lÁ quem", o TOR afirmou que a vulnerabilidade dÁ controle total dos cibercriminosos sobre o computador dos afetados.

Recentemente, o TOR perdeu metade de seus hosts, computadores responsÁveis por fazer o redirecionamento da navegação e tornar viÁvel o anonimato, após Eric Eoin Marques, responsÁvel pelo o maior número destes hosts para sites "ocultos" da rede Tor ter sido preso na Irlanda, sob a acusação de ser "o maior facilitador de pornografia infantil do mundo", segundo o FBI.

Assuntos
Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

Deve ter lançamentos como leve melhorias na mesma arquitetura

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.