Sindicato diz que operadoras não contribuem com espionagem dos EUA

O sindicato que representa as operadoras de telecomunicações no Brasil, o SindiTelebrasil, se diz "perplexo e indignado com notícias de eventuais espionagens nas comunicações telefônicas e de dados de cidadãos brasileiros" e garante que qualquer quebra de sigilo só é realizada mediante ordem judicial.

A entidade  ressalta que as teles trabalham de acordo com a lei brasileira e que "não mantêm nenhum tipo de parceria com empresas ou órgãos estrangeiros para a realização de escuta telefônica, acesso a dados privados dos clientes ou que contrarie qualquer outra determinação prevista na legislação brasileira."


O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, confirmou que as investigações seguirão até o fim. A Anatel jÁ instaurou um procedimento de fiscalização, e todo o processo contarÁ com a ajuda da Polícia Federal, jÁ que os poderes da agência reguladora são limitados. 

A investigação surge após uma denúncia do jornal O Globo, publicada neste domingo (07/07). A publicação obteve documentos que mostram que o Brasil é um dos países mais espionados pelos Estados Unidos e que, para tanto, a Agência de Segurança Nacional (NSA) pode ter parceiros nacionais.

"O SindiTelebrasil afirma categoricamente que nenhuma prestadora de serviços de telecomunicações associada ao SindiTelebrasil provê ou facilita informações que possam quebrar o sigilo de seus usuÁrios, salvo mediante ordem judicial na forma da lei brasileira", afirma o sindicato. A entidade reconhece que esse tipo de monitoramento é crime no país e lembra que "as teles, diferentemente de provedores internacionais de conteúdo,  guardam as informações em território brasileiro e estão sujeitas exclusivamente às leis brasileiras."

.....

Está pensando em comprar algum produto online? Conheça a extensão Economize do Adrenaline para Google Chrome. Ela é gratuita e oferece a você comparativo de preços nas principais lojas e cupons para você comprar sempre com o melhor preço. Baixe agora.

Assuntos
Tags
  • Redator: Risa Lemos Stoider

    Risa Lemos Stoider

    Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e gamemaníaca desde os 4 anos de idade. Já experimentou consoles de várias gerações e atualmente mantém uma ainda modesta coleção. Aliando a prática jornalística com a paixão pela tecnologia e os games, colabora com a Adrenaline publicando notícias e artigos.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.