Um em cada dez jovens é rejeitado em emprego por causa do perfil em mídias sociais

Com a massiva presença das pessoas em redes sociais, muitas empresas costumam analisar o perfil do candidato que concorre a uma vaga de emprego. Alguns não são contratados pela forma como agem no Facebook, Twitter ou outro site. De acordo com uma pesquisa da Ondevice Research, um em cada dez jovens foi rejeitado após ter o perfil em alguma mídia social analisado.

Ao todo, foram entrevistadas 6000 pessoas entre 16 e 34 anos no Brasil, China, Índia, Nigéria, Estados Unidos e Reino Unido. Conforme mostra o grÁfico abaixo, o maior número de pessoas que tiveram problemas para conseguir um emprego foi registrado na China, enquanto o menor foi aqui, no Brasil.

Dois terços dos participantes da pesquisa disseram que não se preocupam com a possibilidade de ter a carreira profissional prejudicada com o uso das mídias sociais. A maioria tem a pretensão de parecer mais "legal" aos amigos, do que a um futuro empregador.

Assuntos
Tags
  • Redator: José Hüntemann

    José Hüntemann

    Jornalista formado pela Universidade Federal de Santa Catarina, é fascinado por inovações tecnológicas. Gosta de internet, redes sociais, mobiles e futuro dos vestíveis. Mas o que mais lhe impressiona é a tecnologia que busca melhorar a vida das pessoas e não serve apenas como mero acessório. Nos games, é um zero à esquerda, mas está no pódio no campeonato de Just Dance da redação.

O que você pesa mais quando escolhe sua plataforma para jogos?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.