Processadores Intel equipam mais de 20 dispositivos móveis

A Intel entrou recentemente no mercado de processadores móveis, com os primeiros modelos anunciados em 2012. Hoje, os processadores da linha Atom estão presentes em 24 dispositivos em vÁrios mercados, entre ultrabooks, notebooks híbridos, smartphones e tablets.

O Atom Z2760 , baseado na família Clover Trail, é o primeiro Atom dual-core pra dispositivos móveis, que chegou ao mercado no final de 2012 e equipa vÁrios produtos, mostrando que a Intel conseguiu ganhar mercado nesses quase 12 meses em que a compete no segmento mobile.

Para o terceiro trimestre do ano, a Intel prepara uma nova geração, a Bay Trail, que trarÁ processadores móveis de 2.1GHz com quatro núcleos, e uma placa de vídeo desenvolvida com a mesma arquitetura dos processadores Ivy Bridge para computadores e notebooks. O que implicarÁ em um imenso ganho de performance grÁfica.

- Continua após a publicidade -

Os brasileiros conhecem notebooks e desktops baseados em soluções da Intel hÁ algum tempo, mas só recentemente os processadores da empresa chegaram a tablets e smartphones lançados no país.

Em abril, a ASUS lançou no Brasil o Fonepad, que funciona como tablet e como celular, uma vez que ele é capaz de receber e fazer ligações. Ele é equipado com um dos processadores Intel Atom fabricados em 32 nanômetros, neste caso o Intel Atom Z2420 single-core de 1.2GHz. Ou seja, além de ser muito pequeno – ele mede apenas 1,2cm x 1,2cm, o processador ainda traz outras vantagens, como uma maior eficiência energética. Características sob medida para uma peça que vai dentro de um tablet, que, no caso do Fonepad, tem apenas 10,4mm de espessura.

- Continua após a publicidade -

O Atom Z2420 faz parte da geração Lexington, anunciada em janeiro deste ano e voltada para dispositivos com custo mais baixo e desempenho intermediÁrio. O Fonepad é um deles. Mesmo assim, ele consegue reproduzir vídeos em FullHD (1080p) a 30 frames por segundo, o que significa uma exibição fluida e sem engasgos.

Totalmente otimizado para Android, o processador traz a tecnologia Intel Burst Performance, que muda de maneira automÁtica e dinâmica a frequência de operação de acordo com a demanda do usuÁrio. Ou seja, atividades mais leves fazem com que a CPU trabalhe em frequências menores e mais econômicas. Com esses recursos, o processador consegue de adaptar ao seu uso do Fonepad.

O Fonepad ainda oferece um excelente gerenciamento de multitarefa, mesmo com um processador single-core. O processador do tablet é capaz de simular dois núcleos de processamento, graças à Intel Hyper-Threading Technology e, assim, tornar o aparelho mais eficiente ao abrir vÁrias "janelas", executando diversas aplicações simultaneamente. Enquanto assiste a um vídeo no YouTube, você pode navegar na web, por exemplo. 

O Adrenaline testou o Fonepad e publicou uma anÁlise completa, que você pode conferir neste link.

Outro dispositivo móvel "Intel Inside" disponível no Brasil é o smartphone Motorola Razr i, também analisado pelo portal Adrenaline. O processador do aparelho, no entanto, é de uma geração anterior à  Lexington, chamada de Medfield, voltada para aparelhos com desempenho um pouco mais alto.

A CPU,  batizada de Intel Atom Z2460, embarca as mesmas tecnologias de vídeo, ajuste de frequência e hyper-threading presentes no processador do Fonepad. Mas o processador é mais rÁpido, alcançando até 2GHz.


O Razr ainda inclui uma câmera de 8 megapixels que fica pronta para tirar fotos em um segundo. Todos os processadores Intel Atom para dispositivos móveis suportam câmeras primÁrias de até 8 MP com estabilização de imagem e redução de ruído, e câmeras frontais de até 1.3 megapixel.

Assuntos
Tags
  • Redator: Risa Lemos Stoider

    Risa Lemos Stoider

    Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e gamemaníaca desde os 4 anos de idade. Já experimentou consoles de várias gerações e atualmente mantém uma ainda modesta coleção. Aliando a prática jornalística com a paixão pela tecnologia e os games, colabora com a Adrenaline publicando notícias e artigos.

Com o GeForce Now e o xCloud surgindo como opções, qual seu plano a médio prazo?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.