Siri, da Apple, tem memória de elefante e grava perguntas dos usuários por até dois anos

A Apple revelou que os pedidos feitos à assistente pessoal Siri ficam guardados por até dois anos no banco de dados da empresa. Durante seis meses, os registros são associados ao usuÁrio para auxiliar nas pesquisas e preferências. Pelos próximos 18 meses as gravações permanecem arquivadas para anÁlise da Apple, mas são atribuídas a números aleatórios – que segundo o porta-voz da Apple, Trudy Muller, não é o ID usado para compras no iTunes ou o endereço de email – e não é possível saber quem as enviou.

Muller disse à Wired que, pensando na privacidade dos usuÁrios, aqueles que desejarem apagar as informações dos últimos seis meses devem desligar a Siri. Segundo ele, os registros são utilizados apenas para auxiliar na melhoria do comando de voz e não para outros fins.

Entretanto, a advogada da American Civil Liberties Union, Nicole Ozer, alertou que os dados enviados à Siri podem revelar informações pessoais sobre o usuÁrio e sua família. "A Siri trabalha para Apple, então pense duas vezes antes de conversar com ela".

Assuntos
Tags
  • Redator: José Hüntemann

    José Hüntemann

    Jornalista formado pela Universidade Federal de Santa Catarina, é fascinado por inovações tecnológicas. Gosta de internet, redes sociais, mobiles e futuro dos vestíveis. Mas o que mais lhe impressiona é a tecnologia que busca melhorar a vida das pessoas e não serve apenas como mero acessório. Nos games, é um zero à esquerda, mas está no pódio no campeonato de Just Dance da redação.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.