Kaspersky faz parceria com a Interpol para combater o cibercrime

A Kaspersky Lab anunciou que irÁ colaborar com o departamento de inovação da Interpol (Global Conplex for Innovation – IGCI), a organização policial internacional, para auxiliar nas investigações sobre cibercrimes. O anúncio foi feito durante uma reunião celebrada na sede da Kaspersky Lab em Moscou entre Eugene Kaspersky, CEO da companhia, Ronald Noble, SecretÁrio-Geral da INTERPOL, e Noboru Nakatani, Director Executivo do IGCI.

A companhia de segurança se comprometeu a ceder seus principais analistas para trabalharem em conjunto com IGCI assim que o órgão estiver operante, em 2014. Além de proporcionar suporte funcional e de inteligência contra as ciberameaças, a Kaspersky também vai ajudar o departamento a aumentar a capacidade dos organismos encarregados de assegurar o cumprimento das leis em todo mundo.



O IGCI serÁ responsÁvel por equipar e dar suporte às autoridades policiais internacionais que cuidam do crime cibernético. A organização darÁ as ferramentas e conhecimentos necessÁrios para o combate as ciberameaças do século XXI, ajudando a identificar os criminosos e oferecendo formação inovadora e apoio operativo para a aplicação da lei em todo mundo.

"Estou muito satisfeito com o resultado desta reunião. Sempre apoiei a criação do que eu chamava uma Internet-Interpol durante mais de uma década, e por fim isso irÁ acontecer", comemora Eugene Kaspersky. "Em breve, os cibercriminosos não terão onde se esconder, vamos apertar o cerco."

Noboru Nakatani, director executivo do IGCI, ressaltou que apoio da empresa para o departamento de inovação da Interpol vai facilitar a aplicação da lei nos 190 países membros. "Com esta colaboração, poderemos contribuir com a experiência necessÁria para gerar um meio seguro e proteger o ciberespaço, levando os cibercriminosos a justiça", finalizou.

JÁ o SecretÁrio-Geral da Interpol, Ronald Noble, afirmou que o crime multinacional não pode ser combatido de forma isolada e é essencial a experiência e o apoio do setor privado. "A luta contra o cibercrime exige que a polícia, tanto nacional como internacional, trabalhe com o setor privado, em particular com líderes como a Kaspersky Lab, a fim de manter a segurança na rede".

Durante a reunião também foram discutidos o crime virtual e as ciberameaças emergentes além da importância dos esforços coletivos na luta contra os cibercriminosos para fazer da Internet um lugar mais seguro.

Assuntos
Tags
  • Redator: Risa Lemos Stoider

    Risa Lemos Stoider

    Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e gamemaníaca desde os 4 anos de idade. Já experimentou consoles de várias gerações e atualmente mantém uma ainda modesta coleção. Aliando a prática jornalística com a paixão pela tecnologia e os games, colabora com a Adrenaline publicando notícias e artigos.

Você joga com quais controles no PC?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.