Audi mostra projeto de assistência inteligente para carros

Durante palesta na GTC 2013, Mario Tippelhofer, engenheiro da Audi, apresentou o Audi Urban Intelligent Assist (AUIA), um programa de pesquisa que busca criar novas interações entre o veículo e o motorista que consiga, de forma inteligente e pouco invasiva, auxiliar na experiência da direção.

O AUIA estÁ em desenvolvimento hÁ três anos, e tem entre seus projetos uma série de ações do carro para intervir em momentos críticos da direção. Entre eles se destacam o Line Change Assistance e o Driver Attetion Guard. No primeiro, o carro utiliza sensores que captam a posiçção de outros veículos em 360 graus, auxiliando ao motorista realizar a troca de faixas ou na entrada de vias, alertando sobre possíveis colisões. Com a segunda tecnologia, o automóvel faz o monitoramento do motorista através de câmeras, para verificar se ele estÁ prestando atenção. Neste recurso, o sistema tenta não ser excessivamente intrusivo e interfere na direção em casos críticos, como quando algo cruza a pista ou se o motorista sai do traçado enquanto estÁ olhando para o lado, por exemplo.

Diversas das tecnologias buscam tornar mais efetivas as buscas por direções, considerando não apenas o trÁfego no momento, mas situações no futuro. Desta forma, o Time-2-start considera a hora em que a pessoa deseja chegar ao destino e alerta qual o horÁrio que é necessÁrio inciar o deslocamento para ser possível chegar em tempo. Para uma maior eficiência das previsões de trÁfego, o Predictive Driving considera os padrões de comportamento do trânsito, calculado não apenas o trânsito no exato instante da busca, mas levando em conta locais e horÁrios onde o trânsito fica lento com frequência ou eventos específicos, como partidas esportivas, que podem alterar a condição de deslocamento na região.

- Continua após a publicidade -

Outro projeto, o Smart Parking, considera não apenas o destino final, focando também no local onde o carro deve ser estacionado. O sistema analisa a melhor opção de estacionamento, basedo em preço, segurança e distância do destino, e modifica as instruções do GPS para que o veículo leve o motorista ao local onde deixarÁ o carro, e não apenas ao destino final.

Também na Área de direção guiada, a Audi trabalha no conceito de "instruções naturais", em seu projeto Naturalistic Guidance. "Muitas pessoas simplesmente não tem noção de distância suficiente para compreender a instrução 'vire à direita em 100 metros'. E isto não é falha delas, pois não é desta forma que as pessoas estão acostumadas a receber informações", explica Tippelhofer. Para tornar a interação mais "humana", o GPS utiliza pontos de referência, assim como as pessoas costumam fazer, substituindo a explicação para "vire à direita no posto de combustível". 

O último recurso apresentado foi o Seamless Navigation, buscando explorar a ampla popularidade dos smartphones. "Muitas pessoas buscam por um destino em seu celular, e acabam tendo que repetir a busca no GPS em seu carro. Esta tecnologia busca evitar esta redundância", conta Tippelhofer. Através de tecnologias wireless, como NFC e Bluetooth, o carro se conecta ao smartphone e verifica qual o destino pesquisado no aparelho, se atualizando automaticamente a rota no sistema interno do veículo.

O projeto, iniciado em 2010, jÁ estÁ na de testes na cidade de San Franscisco, na Califórnia. Não hÁ data para a chegada destas tecnologias em veículos comerciais, mas segundo Mario Tippelhofer, algumas das tecnologias mais simples, relacionadas à direção ponto-a-ponto, devem chegar dentro de duas gerações de automóveis.

.....

Está pensando em comprar algum produto online? Conheça a extensão Economize do Adrenaline para Google Chrome. Ela é gratuita e oferece a você comparativo de preços nas principais lojas e cupons para você comprar sempre com o melhor preço. Baixe agora.

Assuntos
Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.