Como Apple, Google e Amazon estão construindo seus impérios

Em palestra realizada durante a GPU Technology Conference, Michael Vakulenko, Diretor de Estratégia da VisionMobile, passou sua visão sobre como a Engenharia de Ecossistemas dos principais sistema operacionais para telefones móveis estÁ ajudando a Apple, Google e Amazon a construírem seus impérios.

Nos últimos anos o segmento de mobilidade vem sofrendo uma enorme mudança devido a competição assimétrica provocada pela entrada de empresas que tradicionalmente não eram desse segmento: o Google, cuja receita é proveniente de publicidade online, a Apple, com venda de eletrônicos de consumo e a Amazon, número um do e-commerce mundial, além de empresas de internet em geral que viram um novo grande filão a ser explorado.

Operadoras tem sido particularmente afetadas com essas mudanças, enfrentando competição de players antes inexistentes. O SMS, por exemplo, tem se tornado menos popular (e lucrativo) devido ao surgimento de aplicativos como Whatsapp, entre outros, o que diminui o faturamento das operadoras.

Apple
Atualmente a Apple fatura cerca de 8.5 bilhões de dólares com venda de conteúdo multimídia e aplicativos na App Store. Apesar de aparentar ser um grande valor, em 2012 a Apple obteve US$ 123 bilhões de dólares através da venda de dispositivos baseados no iOS, ou seja: os aplicativos não representam nem 10% do faturamento obtido com a venda de seus gadgets. Nesse mesmo período os desenvolvedores investiram US$ 9.5 bilhões de dólares criando apps e a Apple investiu US$ 1 bilhão de dólares para manter a AppStore.

Por que manter a AppStore se ela não é percentualmente tão lucrativa? Para poder oferecer uma experiência completa, com ótima diversidade de apps, ajudando nas vendas de dispositivos, onde estÁ a maior fatia de faturamento da empresa. Por isso a Apple busca oferecer uma experiência premium em sua AppStore, com aplicativos únicos para seus usuÁrios.

Google
Quase todo o faturamento do Google provem de publicidade. A empresa cria produtos complementares como o Android e o Chrome para aumentar o valor do seu produto principal. Além disso, a empresa vem criando possibilidades ao longo dos anos através da criação de outros serviços que geram renda com publicidade, como Gmail, Google Maps, YouTube e Google TV.

Sobre o ecossistema Android, o executivo destacou ser uma grande fonte de dados e que a estratégia adotada pelo Google permite aos OEMs entrarem no mercado através de uma plataforma aberta, monetizando os desenvolvedores e permitindo um grande alcance de audiência. As operadoras participam do negócio, recebendo participação na venda de aplicativos e em contrapartida ajudam a subsidiar o desenvolvimento da plataforma. JÁ a publicidade, carro-chefe do Google, é responsÁvel pela maior parte do faturamento do Android. 


Os dados provenientes por todos os serviços do Google somados permitem a empresa conhecer melhor seus usuÁrios, tendo assim um perfil mais preciso de seus clientes, aumentando o valor do seu inventÁrio. 

Amazon pode quebrar o duopólio. BlackBerry e Microsoft, não.
Quanto aos demais sistemas, Vakulenko destaca que apesar de a BlackBerry estar se reinventando com o BlackBerry 10 e a Microsoft recentemente ter lançado o Windows Phone 8, não hÁ muita variação, deixando claro que em sua visão existe atualmente um duopólio entre Apple e Google, com iOS e Android. "Os usuÁrios foram capturados e estão presos a esses sistemas por seus hÁbitos, represetados por aplicativos."

Para o analista, apenas uma empresa pode quebrar esse duopólio: a Amazon. A gigante americana do varejo vem trabalhando seu ecossistema em torno do Kindle / Kindle Fire. Um trunfo da Amazon é ter um sistema operacional aberto e gratuito, agregando conteúdo próprio e de qualidade como Amazon Instant Vídeo, Amazon MP3, Kindle (com a maior emelhor oferta de livros digitais), além do fato de que entre 20% a 30% de suas vendas são provenientes de recomendações de usuÁrios. "As pessoas confiam na Amazon e a recomendam, ajudando outros consumidores a definir suas compras".

- Continua após a publicidade -
O poder das GPUs 

Outro ponto chave segundo Vakulenko é a capacidade das GPUs como peça-chave na performance de smartphones e tablets. Atualmente cerca de 33% dos downloads e 66% do faturamento no iOS é proveniente de games. A experiência imersiva dos games guia os usuÁrios e os torna leais a uma plataforma, destacou Vakulenko, que concluiu destacando que cada vez mais a capacidade grÁfica de dispositivos móveis serÁ fator relevante na compra desse tipo de dispositivo.

Assuntos
Tags
  • Redator: Jacson Boeing

    Jacson Boeing

    Apaixonado por tecnologia, gadgets e pelo universo geek em geral, Jacson Boeing é sócio-fundador e Editor do Adrenaline, onde desenvolve um trabalho de bastidores, desenvolvendo parcerias e formas criativas de dominar o universo! Fora os sonhos ambiciosos, também ajuda no desenvolvimento de pautas e escreve esporadicamente sobre tecnologia, além de viajar para cobrir in-loco alguns eventos internacionais considerados importantes dentro da estratégia de expansão do Adrenaline.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.