Facebook é bloqueado no Tajiquistão

A semana não começou bem para Zuckerberg. Ontem, as autoridades da República do Tajiquistão ordenaram que os provedores de internet do país bloqueassem o acesso ao Facebook. De acordo com o ministério de Telecomunicações do país, a decisão foi tomada após usuÁrios reclarem que o presidente Emomalii Rakhmon estava sendo difamado na rede.


O amado presidente tajique Emomalii Rakhmon, que teria sido difamado no "viveiro da calúnia" que o Facebook.


Em uma coletiva de imprensa na capital Dushanbe, o ministro das Telecomunicações Beg Zukhorov disse que havia recebido vÁrias ligações de cidadãos pedindo o fechamento do site, descrito como um "viveiro da calúnia". O ministro sugeriu que pessoas estariam sendo pagas para criticar o governo na rede social. Após o bloqueio, ele também teria recebido ligações de pessoas que o agradeceram pelo bloqueio. "Poucas pessoas verão este passo como algo negativo", declarou Zukhorov à agência de notícias russa RIA-Novosti.

As estimativas do site Socialbakers indicam que 41 mil tajiques usam usavam o Facebook. Em uma população de 7,6 milhões, isso corresponde a 0,55%.

Mas talvez ainda exista esperança para Zuckerberg neste mercado. O ministro Zukhorov contou à imprensa que ficaria feliz em discutir o bloqueio com o CEO, caso ele o visite na capital do Tajiquistão.

- Continua após a publicidade -

Para melhorar a moral do Facebook, vÁrios sites estão noticiando que uma foto foi censurada no site após os cotovelos de uma moça na banheira terem sido confundidos com seios. Para ver os cotovelos pornogrÁficos e tirar suas próprias conclusões sobre a estupidez, é só acessar este link.

.....

Está pensando em comprar algum produto online? Conheça a extensão Economize do Adrenaline para Google Chrome. Ela é gratuita e oferece a você comparativo de preços nas principais lojas e cupons para você comprar sempre com o melhor preço. Baixe agora.

Assuntos
Tags
  • Redator: Tulio Kruse de Morais

    Tulio Kruse de Morais

    Desmonstrando pouco talento para o esporte desde a primeira infância, encontrou consolo para o fracasso no Megaman do NES. Atualmente estuda Jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina e procura avidamente por ferramentas digitais que melhorem seu desempenho na apuração.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.