Diretor geral do Google no Brasil lamenta bloqueio de vídeo contra político

O diretor geral do Google no Brasil, FÁbio Coelho, publicou uma nota no blog oficial do Google Brasil para comentar as polêmicas envolvendo o Youtube e políticos do país.

Durante esta semana, Coelho foi detido pela Polícia Federal porque o site manteve vídeos que acusam de crimes Alcides Bemal (PP), candidato a prefeito de Campo Grande (MS).

O executivo jÁ foi liberado, mas a empresa soube, na noite de quarta-feira (26/09) que "o último recurso contra a ordem não foi conhecido, de forma que, agora, não temos outra escolha senão bloquear o vídeo no Brasil".

Coelho diz que é comum que o Google receba solicitações para remover vídeos que ofendam candidatos a cargos eletivos e que a empresa se esforça para retirar conteúdos considerados ilegais ou ofensivos. Porém, "como o Google é profundamente comprometido com a luta pela liberdade de expressão, constantemente contestamos ordens que acreditamos não estarem corretas", lembra o diretor.

O Google também recorreu da ordem judicial que solicitava a retirada dos vídeos contra Alcides Bemal e a ordem de prisão foi dada justamente enquanto a empresa aguardava a apreciação do recurso. "Estamos profundamente desapontados por não termos tido a oportunidade de debater plenamente na Justiça Eleitoral nossos argumentos de que tais vídeos eram manifestações legítimas da liberdade de expressão e deveriam continuar disponíveis no Brasil", lamenta Coelho.

O executivo diz que o Google vai continuar sua "campanha global pela liberdade de expressão" e cita o Artigo 19 da Declaração Universal dos Direitos Humanos da ONU, que prevê que "todo ser humano tem direito à liberdade de opinião e expressão". Coelho ainda ressalta que o usuÁrio que publicou um dos vídeos considerados ofensivos removeu o conteúdo e fechou sua conta no Youtube, e define o fato como "apenas um exemplo dos efeitos intimidatórios do episódio para a liberdade de expressão."

Assuntos
Tags
  • Redator: Risa Lemos Stoider

    Risa Lemos Stoider

    Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e gamemaníaca desde os 4 anos de idade. Já experimentou consoles de várias gerações e atualmente mantém uma ainda modesta coleção. Aliando a prática jornalística com a paixão pela tecnologia e os games, colabora com a Adrenaline publicando notícias e artigos.

Deve ter lançamentos como leve melhorias na mesma arquitetura

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.