Pesquisadores usam seda e magnésio para fabricar circuito biodegradável

Um time de cientistas da Universidade de Illinois em Urbana Campaign e da Universidade Tufts, nos Estados Unidos, desenvolveram um método de produzir circuitos totalmente funcionais e capazes de se dissolver na Água. A descoberta deve abrir caminho para novos tipos de implantes médicos, de acordo com um artigo publicado hoje na revista Science. Feitos a partir de uma combinação entre silício e magnésio, os circuitos foram envolvidos em um tipo especial de seda, que possui uma taxa controlada de degradação. Os sistemas podem durar de minutos a anos, dependendo da maneira com que a camada exterior é tratada.

Até agora a invenção jÁ foi testada na forma de um pequeno sensor, colocado no corpo de um rato, que monitorava a infecção de bactérias. Outras criações feitas a partir dos circuitos biodegradÁveis são uma tela de 64 pixels, um termômetro e uma célula de energia solar. O projeto estÁ sendo financiado pela Agência de Projetos e Pesquisa Avançada em Defesa (DARPA), e a equipe jÁ estÁ estudando as possibilidades de produção massiva do invento.

Não acreditou na história de dissolver em Água? Confere o vídeo aqui embaixo.

Assuntos
Tags
  • Redator: Tulio Kruse de Morais

    Tulio Kruse de Morais

    Desmonstrando pouco talento para o esporte desde a primeira infância, encontrou consolo para o fracasso no Megaman do NES. Atualmente estuda Jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina e procura avidamente por ferramentas digitais que melhorem seu desempenho na apuração.

Deve ter lançamentos como leve melhorias na mesma arquitetura

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.