Vendas de smartphones no Brasil crescem 77% em um ano

Entre o primeiro semestre de 2011 e o mesmo período de 2012, a venda de smartphones no Brasil cresceu 77%, enquanto os feature phones caíram 29%, segundo dados divulgados pela IDC Brasil.

"A tendência é que os smartphones ganhem cada vez mais espaço no mercado. De modo geral os fabricantes têm aumentado o portfolio de modelos focando mais esse tipo de dispositivo", afirma Bruno Freitas, analista de mercado da IDC. "Com o crescimento do mercado de smartphones hÁ uma queda de preços e diferentes tipos de usuÁrios têm a possibilidade de adquirir um telefone inteligente."

Apesar da alta dos smartphones, o mercado, de forma geral, sofreu uma queda de 16%. Durante os seis primeiros meses de 2012, foram 27,3 milhões de unidades vendidas. O  maior número ainda fica com os modelos mais simples: desse total, apenas 6,8 milhões são smartphones, enquanto 20,5 milhões são feature phones.

A expectativa da IDC é de que, até o final do ano, o mercado total de celulares chegue à marca de 62 milhões de unidades comercializadas, um número 8% menor do que o apresentado no ano passado. "Deste total, 26% devem ser smartphones e 74% feature phones. Sendo que os aparelhos com sistema operacional devem ter alta de 82% e os aparelhos celulares tradicionais queda de 21% em relação ao ano de 2011", completa Freitas.

Em 2015, o número de smartphones vendidos no país deve ultrapassar o de celulares, chegando a 57%. "Esse dispositivo tem valor agregado maior e é a grande aposta das fabricantes para aumentarem suas receitas. Além disso, o canal com as operadoras continua puxando este mercado para cima e elas também tendem a aumentar seus faturamentos por conta dos planos de dados. Este promete ser um mercado bastante aquecido nos próximos anos", conclui o analista da IDC.

Assuntos
Tags
  • Redator: Risa Lemos Stoider

    Risa Lemos Stoider

    Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e gamemaníaca desde os 4 anos de idade. Já experimentou consoles de várias gerações e atualmente mantém uma ainda modesta coleção. Aliando a prática jornalística com a paixão pela tecnologia e os games, colabora com a Adrenaline publicando notícias e artigos.

Quem estava pior no primeiro vídeo?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.