Cientistas criam método até 120 vezes mais rápido para carregar baterias de íons de lítio

As baterias de íons de lítio normalmente levam muito tempo para carregar. Com uma mente afim de corrigir este problema, uma equipe de pesquisadores do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Ulsan, na Coreia do Sul, desenvolveu uma nova técnica de fabricação da bateria que pode reduzir o tempo de carga de horas para minutos.

Na forma atual que as pilhas de íons-lítio são produzidas, elas têm cabos para alimentação de partículas de carga dentro da célula. O problema é que a carga é depositada de forma progressiva de fora para dentro. Esse método é o responsÁvel pela relativa lentidão de carregamento dos atuais modelos de bateria.

A nova técnica, porém, faz com que as partículas que armazenam eletricidade sejam densamente entrelaçadas aos condutores, assim a bateria inteira pode começar a carregar ao mesmo tempo. Para isso, equipa-se o material celular em uma solução contendo grandes quantidades de grafite, que é feito de carbono. De acordo com o VR-Zone, quando carbonizada, o resultado é "uma densa rede de condutores ao longo dos eletrodos da bateria", o que facilita o processo de energização.

Em testes, a equipe mostrou que a execução dos condutores na bateria desta forma produz células que podem podem ser recarregadas entre 30 e 120 vezes mais rÁpido do que o normal de íon-lítio. Os resultados são publicados em Angewandte Chemie.
Assuntos
Tags
  • Redator: Carolina Franco

    Carolina Franco

    Com pouca habilidade no playstation, leva surra de toda na redação. Seu vício são os games para celular e as tecnologias mobile. Desde que passou a cursar jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina, descobriu nas notícias sua verdadeira vocação: escrevê-las e publicá-las agilmente.

Deve ter lançamentos como leve melhorias na mesma arquitetura

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.