NVIDIA anuncia a UFF como o primeiro CUDA Center of Excellence da América Latina

Um dos destaques do segundo dia do GPU Computing Developer Forum (GCDF) foi a apresentação de Arnaldo Tavares, gerente de desenvolvimento de negócios para a América Latina da NVIDIA, onde foi feita uma série de anúncios importantes sobre a pesquisa e desenvolvimento em computação paralela com GPUs. O destaque foi o apresentação da Universidade Federal Fluminense (UFF) como o primeiro CUDA Center of Excellence (CCOE) da Amercia Latina.

Arnaldo Tavares durante a apresentação no GCDF

Atualmente, apenas 20 instituições de ensino superior em todo o mundo fazem parte do CCOE, entre elas as renomadas Universidades de Harvard e Cambridge. Entre os benefícios de participar do programa estão fundos para investir em pesquisas na Área, equipamentos para realizar os projetos e uma proximidade maior com a equipe de desenvolvimento das tecnologias para computação paralela da NVIDIA. Além dos centros de excelência, a empresa trabalha também com outros centros de ensino de CUDA, como os Teaching Centers. Segundo Tavares, não havia nenhum destes espaços de educação no Brasil no final de 2010, e no momento jÁ existem seis destes locais. No ritmo atual, a empresa espera chegar a 20 centros até o final de 2015.

Entenda como funciona a plataforma CUDA

Outro importante anúncio feito por Tavares foi a chegada da primeira placa de vídeo Tesla da nova geração de placas da NVIDIA, a Kepler. A Tesla K10, equipada com duas GPUs GK104 e 3072 núcleos de processamento tem performance de 4.58 Tflops (trilhões de cÁlculos de ponto flutuante por segundo), o produto jÁ estÁ disponível em toda a América Latina. O primeiro modelo a chegar ao continente sul-americano foi entregue por Tavares ao Prof. Esteban Clua, responsÁvel pelo Centro CUDA na UFF. Entre os benefícios do programa CCOE estÁ justamente fazer parte dos primeiros a receber as novas tecnologias desenvolvidas pela NVIDIA.

- Continua após a publicidade -

NVIDIA Tesla K10

Conheça as novas tecnologias para a computação paralela em GPUs da geração Kepler

Tavares também destacou o crescimento do uso de GPUs em supercomputadores na América Latina, citando o caso do Grifo 04, o mais poderoso computador da região. Equipado com 1088 GPUs Tesla M2050, ele tem uma performance de 251.5 Tflops, e é o 68º colocado do ranking mundial de supercomputadores, com um poder de processamento equivalente a 2500 notebooks médios.

Além da adoção do hardware, para o gerente de negócios para a América Latina, o crescimento do número de instituições de ensino relacionados com a Área, e o aumento de pesquisas sobre o assunto, serÁ indispensÁvel para que o país conquiste uma posição de destaque na pesquisa, desenvolvimento e inovações mundiais. Enquanto haviam 100 papers relacionados ao uso de GPUs em computação paralela com a tecnologia CUDA, em 2010, hoje são publicados mais de 300, com um crescimento de 50 a 65% ao ano, ritmo que se mantido tornarÁ o Brasil um dos principais países no uso das placas de vídeo para supercomputação em 2015, com 1300 papers escritos sobre o assunto.

Assuntos
Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.