Antídotos contra o DNSChanger evitam que vítimas fiquem offline

Na próxima segunda-feira, dia 9 de julho, milhões de pessoas no mundo todo podem perder suas conexões com a Internet. Isso porque o FBI vai desativar vÁrios servidores DNS usados por cibecriminosos no malware DNSChanger. Isso significa que quem estiver infectado com o código malicioso vai ficar sem Internet na semana que vem.

Para evitar isso, empresas como a McAfee e a ESET disponibilizaram ferramentas gratuitas para verificar a presença do cavalo-de-troia e removê-lo, mantendo os usuÁrios conectados após a ação do FBI.

A ferramenta DNS Check, da McAfee, estÁ disponível no site oficial da empresa e ajuda tanto consumidores quanto funcionÁrios em redes corporativas a identificarem se foram afetados pela ameaça. Se seus computadores estiverem contaminados pelo DNSChanger, a solução agirÁ sobre esta ameaça.

A ESET, por sua vez, coloca à disposição o ESET Online Scanner, que também é capaz de detectar outros tipos de ameaça diretamente através do navegador. "É importante que todos os usuÁrios estejam cientes de que ficarão sem internet se o computador estiver infectado por alguma variante do DNSChanger", pontua Camillo Di Jorge, Country Manager da ESET Brasil. "Nosso conselho é que usuÁrios finais e empresas realizem um teste gratuito, utilizando o ESET Online Scanner, com o intuito de evitar problemas", acrescenta.

DNS é a sigla de Domain Name System, e é responsÁvel pela existência de endereços na web, como www.adrenaline.com.br . O DNS transforma esses "nomes" em números IP nos quais os computadores podem se conectar. O vírus DNSChanger modifica o serviço de DNS usado pelo sistema infectado e redireciona sites de busca para que os criminosos faturem com a venda de trÁfego e anúncios.

"Identificar e alterar essas configurações manualmente pode ser uma tarefa difícil", afirma Vincent Weafer, vice-presidente sênior do McAfee Labs. "Ao fornecer uma ferramenta gratuita que os orienta em todo o processo de remoção do DNSChanger, auxiliamos os usuÁrios a ajustarem suas configurações e a permanecerem conectados."

O FBI investiga as pessoas por trÁs da criação do malware e jÁ prendeu seis estonianos responsÁveis pela fraude.

Assuntos
Tags
  • Redator: Risa Lemos Stoider

    Risa Lemos Stoider

    Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e gamemaníaca desde os 4 anos de idade. Já experimentou consoles de várias gerações e atualmente mantém uma ainda modesta coleção. Aliando a prática jornalística com a paixão pela tecnologia e os games, colabora com a Adrenaline publicando notícias e artigos.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.