Crackers vazam mais de 6 milhões de senhas do LinkedIn

Atenção usuÁrios do LinkedIn, rede social voltada para contatos profissionais: aproximadamente 6,5 milhões de senhas da rede foram vazadas em um fórum de crackers na Rússia. Todas elas eram criptografadas com um método considerado seguro, o SHA-1, mas 300 mil delas jÁ foram decodificadas, como informa o TechCrunch.

VÁrias pessoas confirmaram no Twitter que reconheceramsuas próprias senhas listadas no arquivo vazado, conforme o The Verge.

Ainda segundo o site, Mikko Hypponen, chefe de pesquisas da F-Secure, acredita que o vazamento é mesmo real e que deve ser consequência "da exploração de alguma falha na sua interface web, mas não hÁ forma de saber agora."

A Sophos também considera o arquivo com as senhas genuíno. E ressalta que, possivelmente, outros dados também foram roubados. "Informações que não foram disponibilizadas incluem os endereços de e-mail associados, mas devemos presumir que eles também estão na mão dos criminosos", declarou Graham Cluley, consultor-sênior de tecnologia da empresa, ao Computing.

No Twitter, os responsÁveis pelo LinkedIn disseram que estão investigando a situação, mas ainda não conseguiram descobrir a causa. Por enquanto, a recomendação é que os usuÁrios troquem as senhas. No entanto, caso o problema seja mesmo culpa de uma brecha no site, provavelmente essa solução não vai adiantar muito enquanto a rede não corrigir a vulnerabilidade em questão.

Assuntos
Tags
  • Redator: Risa Lemos Stoider

    Risa Lemos Stoider

    Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e gamemaníaca desde os 4 anos de idade. Já experimentou consoles de várias gerações e atualmente mantém uma ainda modesta coleção. Aliando a prática jornalística com a paixão pela tecnologia e os games, colabora com a Adrenaline publicando notícias e artigos.

O que você prefere?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.