Startup russa promete bloquear torrents

Com a ajuda de grandes empresas de entretenimento e até mesmo da Microsoft, uma startup russa chamada Pirate Pay – não confundam com Pirate Bay - desenvolveu um sistema capaz de rastrear e impedir a distribuição de material protegido por copyright através de redes de distribuição de torrents. O primeiro projeto, executado em parceria com a Walt Disney Studios e a Sony Pictures, conseguiu impedir com sucesso dezenas de milhares de downloads.

A ideia, conforme o TorrentFreak, surgiu hÁ três anos, quando os desenvolvedores criavam uma solução de gerenciamento de trÁfego para provedores de Internet. Com ela, eles foram capazes de parar o trÁfego do BitTorrent.


"Após criar o protótipo, descobrimos que nós poderíamos prevenir o download de certos arquivos, o que significa que o nosso programa tem grande potencial para combater a disseminação de conteúdo pirata", declarou o CEO do Pirate Pay. Com isso em mente, a companhia continuou desenvolvendo o projeto e recebeu US$100 mil de investimento da Microsoft.

A empresa não conta como o sistema funciona, mas, ainda segundo o TorrentFreak, aparentemente eles enviam uma enxurrada de dados falsos para os clientes de torrent, confundindo o trÁfego e desligando os usuÁrios dos outros. No caso da Disney e da Sony, os primeiros estúdios a contratarem o serviço, os russos conseguiram interromper 44.845 transferências.

O Pirate Pay também não deixou claro quanto cobra pelos seus serviços. Mas, dependendo dos arquivos e do escopo do projeto, a tarifa pode variar entre US$12 mil e US$50 mil.

Assuntos
Tags
  • Redator: Risa Lemos Stoider

    Risa Lemos Stoider

    Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e gamemaníaca desde os 4 anos de idade. Já experimentou consoles de várias gerações e atualmente mantém uma ainda modesta coleção. Aliando a prática jornalística com a paixão pela tecnologia e os games, colabora com a Adrenaline publicando notícias e artigos.

Qual vai ser o melhor game de abril de 2020?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.