EA acredita que games móveis não vão destruir os consoles

A EA, que estÁ tanto no ramo dos games móveis quanto nos jogos para consoles e PCs, acredita que sempre existirÁ espaço para todos. "O Youtube não matou a televisão, e os jogos para dispositivos móveis não vão matar os consoles", afirmou o CEO da companhia, John Riccitiello, durante conferência na CTIA Wireless, nos Estados Unidos.


Riccitiello citou como exemplo a série "FIFA", presente em vÁrios dispositivos diferentes / Foto: Slashgear

Mesmo assim, o executivo reconhece a importância do segmento móvel. Na ocasião, ele afirmou que usuÁrios de dispositivos móveis passam, em média, 46 minutos diÁrios jogando e apenas 16 minutos em conversação.

O executivo ainda arriscou uma previsão: a indústria de games móveis vai faturar US$44 bilhões em 2014, número maior que a previsão para o mercado de hardware para games. Vale lembrar que só a Rovio, desenvolvedora da franquia "Angry Birds", conseguiu uma receita de US$100 milhões em 2011.

A EA também não fica para trÁs, conforme Riccitiello. "Nós éramos o número um para iOS em 2011 como a companhia que mais crescia na app store", disse. "É um pouco mais difícil mensurar como estamos no Android, mas acho que também somos o número um." Agora, o próximo passo da empresa é uma parceria com a Nokia para lançar novos games para o Windows Phone.

Assuntos
Tags
  • Redator: Risa Lemos Stoider

    Risa Lemos Stoider

    Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e gamemaníaca desde os 4 anos de idade. Já experimentou consoles de várias gerações e atualmente mantém uma ainda modesta coleção. Aliando a prática jornalística com a paixão pela tecnologia e os games, colabora com a Adrenaline publicando notícias e artigos.

O que você pesa mais quando escolhe sua plataforma para jogos?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.