Google pode vender a divisão de hardware da Motorola para a Huawei

Quando o Google anunciou a compra da Motorola, muitos fãs do Android esperavam que a empresa começasse a fabricar seus próprios smartphones. Aparentemente, porém, o interesse do gigante é apenas no portfólio de 17 mil patentes, conforme o Wall Street Journal. Tanto que alguns rumores sugerem que o Google jÁ teria oferecido a divisão de hardware da Motorola para a Huawei por um alto preço.

Essas patentes ajudariam o Google a proteger o Android em disputas judiciais. Mas a atribuição de 20.500 empregados da Motorola que trabalham em 92 fÁbricas em 97 países, inclusive o Brasil, ainda não foi definida.

Ainda segundo o jornal, algumas pessoas próximas ao Google comentaram que a companhia pretende fazer altos investimentos na fÁbrica da Motorola localizada em Libertyville, nos Estados Unidos, cuja participação no mercado de smartphones estÁ definhando em apenas 4%. O objetivo seria desenvolver dispositivos realmente inovadores, o que requer tanto dinheiro quanto talento.

Por outro lado, o Google fornece sua plataforma para uma enormidade de empresas que fabricam smartphones baseados em Android e a compra da Motorola não deve afastÁ-los. Fabricar seus próprios dispositivos colocaria a companhia em concorrência direta com alguns de seus maiores parceiros, como nota o Android Community.

Nessa situação, por enquanto parece que nem o Google estÁ muito certo do que irÁ fazer. O próprio vice-presidente sênior da Área móvel da companhia, Andy Rubin, declarou que hÁ uma espécie de "firewall" entre as duas empresas e que não sabe quais serão os produtos da Motorola.

.....

Está pensando em comprar algum produto online? Conheça a extensão Economize do Adrenaline para Google Chrome. Ela é gratuita e oferece a você comparativo de preços nas principais lojas e cupons para você comprar sempre com o melhor preço. Baixe agora.

Assuntos
Tags
  • Redator: Risa Lemos Stoider

    Risa Lemos Stoider

    Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e gamemaníaca desde os 4 anos de idade. Já experimentou consoles de várias gerações e atualmente mantém uma ainda modesta coleção. Aliando a prática jornalística com a paixão pela tecnologia e os games, colabora com a Adrenaline publicando notícias e artigos.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.