Quase metade dos brasileiros já sofreu invasão de perfil em redes sociais

A invasão de perfis nas redes sociais é o segundo tipo de crime digital mais frequente no Brasil, conforme os dados do Norton Cybercrime Report. Esses ataques são tão comuns que quase metade das pessoas que mantêm perfis nessas redes, mais precisamente 45% delas, jÁ passou por isso.

O ranking é liderado pelos ataques com malware. Em terceiro lugar, vêm os ataques de phishing, tipo de fraude eletrônica que busca convencer a vítima a fornecer seus dados pessoais.

Recentes episódios confirmam, que cada vez mais, os cibercriminosos se aproveitam das mídias digitais, como Facebook e Twitter, para aplicar golpes com os usuÁrios dessas redes. E não são só as pessoas comuns que sofrem com isso. A Norton lembra que até o perfil no Twitter do cantor Justin Bieber, que possui mais de 19 milhões de seguidores, foi invadido e passou a postar mensagens indesejadas. As redes sociais jÁ se tornaram, inclusive, mais perigosas do que sites pornogrÁficos, como alerta a Kaspersky.

Conforme a Norton, quanto mais tempo uma pessoa fica conectada na Internet, maior é o risco de ser atacada. O Norton Cybercrime Report mostra que a média global de tempo de navegação é de 24 horas por semana. No Brasil, esse tempo aumenta para 30 horas no mesmo período.

Outro dado que abre brechas para os cybercriminosos é que 69% dos usuÁrios de Internet no Brasil não possuem um software de segurança instalados em suas mÁquinas. Para evitar os crimes online, a Norton dÁ dicas de segurança:

  • Não clicar em posts suspeitos ou em "saiba quem visitou seu perfil" e links do gênero. Esse tipo de pÁgina estÁ relacionada ao "sequestro" de perfis para um negócio lucrativo de vendas de "curtir" no Facebook.
  • Não aceite convites para ser amigo ou seguidor de pessoas desconhecidas;
  • Nunca digitar uma senha mais de duas vezes quando for acessar sua pÁgina da rede social – esse pode ser um sinal de que você estÁ frente a uma tentativa de ataque virtual;
  • Não divulgar sua senha para estranhos ou deixÁ-la exposta, anotada em locais públicos;
  • Desconfiar de ofertas "boas demais para ser verdade".

Assuntos
Tags
  • Redator: Risa Lemos Stoider

    Risa Lemos Stoider

    Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e gamemaníaca desde os 4 anos de idade. Já experimentou consoles de várias gerações e atualmente mantém uma ainda modesta coleção. Aliando a prática jornalística com a paixão pela tecnologia e os games, colabora com a Adrenaline publicando notícias e artigos.

Qual os planos para hardware esse ano?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.