Exército dos EUA subiu mais de 94 mil GB para o Megaupload, diz Kim Dotcom

O fechamento do Megaupload pelo FBI prejudicou não só pessoas comuns que gostavam de compartilhar arquivos, mas também funcionÁrios do próprio governo americano e até do exército. Kim Dotcom, o fundador do serviço, forneceu algumas informações ao site TorrentFreak. De acordo com o milionÁrio, o exército dos Estados Unidos fez o upload de 340.983 arquivos, totalizando 96,5 mil GB.

Contando os domínios af.mil, army.mil, centcom.mil, navy.mil e osd.mil, havia um total de 15.634 usuÁrios registrados, dos quais 10.223 pagavam por contras Premium.

Os dados vêm à tona em consequência do esforço da Electronic Frontier Foundation em recuperar conteúdo legal e devolvê-lo aos usuÁrios do Megaupload. Desde a desativação do site, em janeiro, a situação dos arquivos hospedados ainda é incerta.

Mesmo que organizações como a MPAA e a RIAA insistam em afirmar que o site era uma espécie de central de pirataria, havia muitas pessoas utilizando o Megaupload como uma forma legítima de armazenar ou transferir arquivos grandes demais para caber em um anexo de email, como aponta o TorrentFreak.

Além do exército, outros departamentos oficiais dos Estados Unidos também utilizavam o serviço. É o caso do Senado, do Departamento de Segurança Interna, da NASA e do próprio FBI. Dos domínios dhs.gov, doe.gov, FBI.gov, hhs.gov, NASA.gov, senate.gov, treas.gov e uscourts.gov, havia um total de 1058 contas no Megaupload. Desse total, 344 usuÁrios pagavam por contas Premium. Ao todo, foram enviados 15.242 arquivos, o equivalente a 1,8 mil GB.

Assuntos
Tags
  • Redator: Risa Lemos Stoider

    Risa Lemos Stoider

    Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e gamemaníaca desde os 4 anos de idade. Já experimentou consoles de várias gerações e atualmente mantém uma ainda modesta coleção. Aliando a prática jornalística com a paixão pela tecnologia e os games, colabora com a Adrenaline publicando notícias e artigos.

Qual os planos para hardware esse ano?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.