"Instalações da Foxconn são de primeira classe", diz presidente de agência inspetora

As condições de trabalho nas fÁbricas da Foxconn na China são muito melhores que as de fÁbricas de roupas e quaisquer outras em todo o país, segundo o chefe da Fair Labor Association (FLA), organização sem fins lucrativos que começou a investigar as instalações após as polêmicas em torno de mortes e suicídios dos empregados, além de explosões em suas dependências.

"As instalações são de primeira classe e as condições físicas estão muito, muito acima da média", afirmou o presidente da associação, Auret van Heerden, após passar vÁrios dias visitando as dependências da Foxconn. Para o executivo, outros fatores alheios às condições de trabalho é que devem ter contribuído para os suicídios.

O relatório completo com os resultados das inspeções ainda vai demorar para ser apresentado, mas van Heerden jÁ adiantou suas próprias impressões. "Fiquei muito surpreso quando caminhei pela Foxconn e vi como é tranquila se comparada a uma fÁbrica de vestuÁrio", disse. "Então os problemas não são a intensidade, o desgaste e o ambiente cheio de pressão... são mais em função da monotonia, do tédio, ou alienação talvez."

A organização lida com casos de suicídio em fÁbricas chinesas desde o início da década de 90. Heerden diz que os trabalhadores costumam ser jovens das Áreas rurais que, repentinamente, ficam longe de suas famílias e mudam drasticamente para um estilo de vida urbano e mais intenso, o que provoca um choque nessas pessoas.

Parceria com a Apple
A FLA iniciou as investigações após firmar uma parceria com a Apple, uma das principais empresas a utilizarem a mão-de-obra da Foxconn. Van Herdeen, no entanto, negou qualquer ideia de que sua organização poderia pintar um retrato superficial e positivo dos fornecedores da companhia.



"A Apple não precisava entrar na FLA. Nosso sistema é muito rigoroso. Envolve visitas sem aviso prévio, acesso completo aos locais e relatórios públicos. Se ela quisesse tomar um caminho mais fÁcil, hÁ vÁrias opções disponíveis", afirmou. "O fato de que ela aderiu à FLA mostra que ela estÁ realmente levando as coisas a sério e quer aumentar o nível de exigências."

Aproximadamente 30 membros da FLA estão visitando as fÁbricas da Foxconn em Shenzen e Chengdu para entrevistar 35 mil empregados do total de 100 mil em cada planta. Eles utilizarão iPads para responder perguntas anonimamente sobre processos de contratação, pagamentos, condições dos quartos e alimentação e aspectos emocionais.

Assuntos
Tags
  • Redator: Risa Lemos Stoider

    Risa Lemos Stoider

    Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e gamemaníaca desde os 4 anos de idade. Já experimentou consoles de várias gerações e atualmente mantém uma ainda modesta coleção. Aliando a prática jornalística com a paixão pela tecnologia e os games, colabora com a Adrenaline publicando notícias e artigos.

Pra você, quem merece o GOTY?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.