Pesquisa: 79% dos jovens brasileiros já tiveram experiências negativas na web

Um estudo divulgado pela Symantec na Campus Party 2012 mostra que 79% das crianças e adolescentes brasileiros entre 8 e 17 anos jÁ passaram por algum tipo de experiência negativa na Internet. Desse total, 45% afirmaram jÁ ter infectado com malware seu próprio PC ou de outra pessoa da família.

Outros incidentes incluem a visualização de imagens violentas e a requisição de amizade em redes sociais por pessoas desconhecidas. O estudo ainda aponta que oito em cada dez pais com filhos nessa faixa etÁria jÁ foram vítimas de algum crime cibernético.

De acordo com a Symantec, as crianças estão passando cada vez mais tempo online, em uma média de 30 horas semanais. A esmagadora maioria dos pais, pelo menos, afirma saber o que seus filhos fazem na rede: apenas 2% declararam não fazer ideia das atividades das crianças. Por outro lado, 12% dos jovens acreditam que seus pais não sabem o que eles fazem na web. A maioria não conversa sobre isso com a família com medo de ter o acesso à Internet e ao computador restringidos.

Mesmo assim, os jovens ainda conseguem executar algumas atividades sem o consentimento dos pais. Não são só os crimes cibernéticos que preocupam, mas as atividades normalmente legítimas também. Um bom exemplo disso são as compras online. O estudo da Symantec mostra que um terço das crianças no mundo adquirem produtos na web, sendo que 24% delas, eventualmente, compram sem o consentimento dos pais.

- Continua após a publicidade -


No Brasil, 70% das crianças que sofreram experiências negativas  têm regras para acessar a Internet em casa, mas 91% delas jÁ burlaram as normas

A pesquisa foi realizada pela StrategyOne em 24 países, entre fevereiro e março de 2011, e entrevistou 12.704 adultos, 4.553 jovens e 2.379 professores.

Educação para a segurança
A conscientização sobre os riscos de uma navegação sem cuidados não deve vir só dos pais, mas também dos educadores. Conforme a pesquisa, 67% dos jovens brasileiros consideram que recebem pouca orientação na escola sobre segurança online. No mundo, o índice cai para 44%. Professores e pais concordam com essa necessidade: 93% e 81%, respectivamente, acreditam que as instituições de ensino deveriam fazer mais para educar as crianças sobre o assunto.

Assuntos
Tags
  • Redator: Risa Lemos Stoider

    Risa Lemos Stoider

    Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e gamemaníaca desde os 4 anos de idade. Já experimentou consoles de várias gerações e atualmente mantém uma ainda modesta coleção. Aliando a prática jornalística com a paixão pela tecnologia e os games, colabora com a Adrenaline publicando notícias e artigos.

Qual a sua marca de mouses para jogos favorita? - Pesquisa de Periféricos 2020

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.