Calor promete aumentar a velocidade dos HDs magnéticos em 100 vezes!

Embora em fase inicial de desenvolvimento, uma nova tecnologia de gravação de dados promete esticar em muitos anos a vida dos discos rígidos magnéticos.

Para quem aposta que a era dos discos rígidos magnéticos estÁ com os dias contados em detrimento dos SSDs, eis uma notícia que promete esticar a vida útil do bom e velho HD.

 Cientistas da Universidade de York desenvolveram uma tecnologia que promete turbinar a velocidade dos discos rígidos em até 100 vezes. O segredo estÁ no método para gravar os dados nos dispositivos. Saem de cenas os campos magnéticos para a utilização de (pasmem) calor!

De acordo com os pesquisadores, a nova técnica permitirÁ que os HDs sejam capazes de gravar milhares de gigabytes por segundo.

- Continua após a publicidade -

"Em vez de usar um campo magnético para gravar as informações em meio magnético, temos aproveitado forças internas muito mais fortes usando apenas o calor", revelou Thomas Ostler, físico da Universidade de York.


Tecnologia de gravação magnética moderna emprega o princípio de que o pólo norte de um ímã é atraído para o pólo sul de outro, repulsando os dois pólos iguais.

Até agora, acreditava-se que, para gravar um bit de informação - invertendo os pólos de um ímã - havia uma necessidade de aplicar um campo magnético externo. Quanto mais forte for o campo aplicado, mais rÁpida serÁ a gravação de um bit de informação magnética.

No entanto, a equipe de cientistas demonstrou que as posições de ambos os pólos (Norte e Sul) de um ímã podem ser invertidos por um pulso de calor ultracurto, aproveitando o poder de forças internas muito mais fortes que o magnetismo.

Assuntos
Tags
  • Redator: Filipe Braga

    Filipe Braga

    Filipe Braga é um cearense extremamente simpático formado em Ciências da Computação e apaixonado por computadores e tecnologia em geral. Também participa de reviews de hardware, especialmente placas de vídeo, processadores e placas mãe.

Qual os planos para hardware esse ano?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.