EUA querem extraditar fundador do Megaupload

As autoridades americanas querem extraditar o fundador do Megaupload, Kim Schmitz, também conhecido como Kim Dotcom, sob alegações de que ele arquitetou um esquema que arrecadou mais de US$175 milhões em poucos anos através da cópia e distribuição de conteúdos protegidos por direitos autorais.

Dotcom foi preso na Nova Zelândia na semana passada, quando o site foi fechado pelo FBI. Uma corte do país ordenou hoje que ele continue preso e o juiz David McNaughton diz que comunicarÁ por escrito até quarta-feira a decisão sobre a possibilidade de aplicar uma fiança.


Kim Dotcom seria dono de um conglomerado milionÁrio de distribuição de pirataria, segundo as acusações


O fundador do Megaupload, por sua vez, nega as acusações de pirataria na Internet e de lavagem de dinheiro, afirmando que as autoridades estão tentando fazer a pior imagem possível dele, conforme a Reuters. A sua defesa argumenta que o site simplesmente oferecia armazenamento online.

Para a procuradora Anne Toohey, Dotcom era um risco "no ponto extremo da escala" porque teria acesso a fundos, múltiplas identidades e um histórico de fugir de acusações criminais. "O FBI acredita que as somas localizadas não representam todas as contas bancÁrias do senhor Dotcom", disse.

O advogado de Dotcom, porém, assegura que seu cliente não representa risco de fugir ou retomar seus negócios, jÁ que ele tem cooperado plenamente com a Justiça. Além disso, o acusado teve os passaportes apreendidos e os fundos congelados.

Assuntos
Tags
  • Redator: Risa Lemos Stoider

    Risa Lemos Stoider

    Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e gamemaníaca desde os 4 anos de idade. Já experimentou consoles de várias gerações e atualmente mantém uma ainda modesta coleção. Aliando a prática jornalística com a paixão pela tecnologia e os games, colabora com a Adrenaline publicando notícias e artigos.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.