• IMPORTANTE: No dia 01/02/2020 ficamos 100% independentes em relação a nossa estrutura de servidores. Para você usuário o mais importante é alterar links de favoritos, removendo o ".UOL" de todas as URLs do site e fórum Adrenaline.

    Essas URLs irão parar de funcionar em breve, sendo assim é importante fazer essa alteração para evitar problemas e ajudar no processo de migração.

    Equipe Adrenaline

.: Tópico Oficial dos Românticos :. #2

plinkin002

Member
Registrado
Infelizmente pelo relato voces ja terminaram, sé nao falaram um com o outro sobre. Veja eu acredito que a vida é feita de altos e baixos, vai ter dias em que o casal fica mais afastado e outros que nao se desgrudam, mas ai quando tu fala 5 meses sem conexao e etc vejo um problema, e o problema é que vcs nao se amam, a paixao passou e agora o que resta é o apego que tem um com o outro, aquele apego de que ja se acostumaram juntos e a rotina, voce esta acostumado com ela e é por isso que tem medo de seguir em frente... acho que é o mesmo dilema quando tu recebe uma oferta de trabalho em outra empresa, tu fica: mas eu ja sou acostumado aqui, ja tenho meus amigos, minha rotina....


Sobre o caso do @plinkin002

A vida de casado é assim mesmo, acho que o importante é ter dialogo entre o casal, relacionamento tambem é se doar um para o outro, tem momentos que voce vai ter que fazer um programa que nao gosta por ela, e ela a mesma coisa. Sobre a mudanca de pais, é natural ela se sentir insegura em relacao a ir embora do país, principalmente se ela for filha unica, é um grande passo, voces estaram indo para um país com uma cultura diferente, sem amigos e etc, terao que recomecar a vida, e para alguns nao é uma decisao facil, novamente acho que o melhor é o dialogo, combinem para morarem fora do país por um ano para verem como é etc, pois no fim até voce que nao ve a hora de sair do Brasil pode mudar de ideia.
Por ex. Era meu sonho morar fora, morei 2 anos nos EUA e estou a 6 meses na Alemanha, e aprendi a gostar do Brasil mesmo com tanta inseguranca e corrupcao (penso no futuro em comprar um sitio no Paraná e morar tranquilo) e eu era desses que nao via a hora de sair do Brasil e nunca mais voltar.

De qualquer modo desejo sucesso aos dois =)

Minha esposa tem 5 irmãos, ela é a filha mais nova e a unica mulher, mas ela é bem apega da mãe, eu sou super apegado a minha família também, sempre nos reunimos fds e as vezes dou um pulo na casa da minha tia ou da minha mãe, mas eu gostaria de ir para outro país pois é meu sonho, mesmo sabendo que vou sofrer com a saudade da família, eu não posso deixar de tentar uma coisa que eu sempre sonhei... e a minha esposa não compartilha muito disso de mudar para outro país e tals, uma vez ela me disse que só iria se os pais dela forem, ta foda...

Mas vlw por opinar!
 

[{Goku}]

Member
Registrado
Pessoal, queria a opiniao aqui de quem já passou por algo parecido.

O relacoinamento nao é longo, 2 anos, sendo 1 ano de noivado. Moramos juntos, trabalhamos juntos... Talvez um pouco de empolgacao, mas no começo era tudo mt bom e foi fluindo.
Hoje em dia, nao temos conexao. Nao temos assunto, nao temos tesao, nao temos projetos futuros iguais... e estamos assim tem uns 5 meses. Levando com a barriga.
Por um lado, sei que ela será uma mae perfeita, alem de ótima como pessoa. Mas parece que as diferen;cas foram se destacando, sabem? O dilema: terminar, largando o seguro e garantido e indo atrás do incerto e duvidoso. Alguém já passou por isso? Já tentei demais, mas nao sinto forcas das duas partes em melhorar o que quer que seja...

Dá uma tristeza pensar em perder a amiga, mas hoje em dia é isso, somos basicamente roomates e amigos.

Flw!!!
Olhe... não ache que filhos vão melhorar a relação... a tendência é piorar. O sexo não vai existir, os níveis de stress vão aumentar.

Primeiramente, reflita sobre o assunto. Pense se vc quer continuar tentando, se é só um momento ou realmente acabou.
Depois, sente e converse com ela.
Feito isso... tome uma decisão!

[]s
 

adaounder

Gemini no Saint
Registrado
Pessoal, queria a opiniao aqui de quem já passou por algo parecido.

O relacoinamento nao é longo, 2 anos, sendo 1 ano de noivado. Moramos juntos, trabalhamos juntos... Talvez um pouco de empolgacao, mas no começo era tudo mt bom e foi fluindo.
Hoje em dia, nao temos conexao. Nao temos assunto, nao temos tesao, nao temos projetos futuros iguais... e estamos assim tem uns 5 meses. Levando com a barriga.
Por um lado, sei que ela será uma mae perfeita, alem de ótima como pessoa. Mas parece que as diferen;cas foram se destacando, sabem? O dilema: terminar, largando o seguro e garantido e indo atrás do incerto e duvidoso. Alguém já passou por isso? Já tentei demais, mas nao sinto forcas das duas partes em melhorar o que quer que seja...

Dá uma tristeza pensar em perder a amiga, mas hoje em dia é isso, somos basicamente roomates e amigos.

Flw!!!
Já conversou com ela sobre o que vc ta sentindo, amigo?
 

phenomx3

New Member
Registrado
Cara... no tópico fechado do "O papo é sexo" tinha um cara que tmb conheceu uma "mino" que só dps soube que ela era trans. A tecnologia hj em dia nos proporcionou mtas coisas boas, mas tmb chegou a um ponto onde um trans pode mto bem se passar por mulher. Só uma coisa, tem gogó não saporra???

E acho que nada melhor que o @phenomx3 pra tirar essa dúvida ai! O cara é brabo!
Pq não experimentar? E se ela pedir pra comer... tu fala não, se quiser. Ou está com medinho de cair na tentação de uma chupadinha? :melior4:
Ei ninguém vai ficar sabendo vai lá :dog:
 

igordão

Gamer frustrado
Registrado
Passei por algo semelhante.

Meu relato:
Com pouco mais de 3 anos de relacionamento fomos morar juntos, mas eu era bem jovem, tinha uns 19 anos ... Ela era 3 anos mais velha.

Jovem e inocente eu tinha grandes expectativas para morar junto, achava que seria as mil maravilhas, sexo todo dia, a paz de ter o proprio espaço e tudo mais. :risos:

E assim como no seu caso, no começo era tudo muito bom mas com o tempo fomos perdendo conexão. Não trabalhavamos juntos, mas o problema estava no morar junto. Era aquela coisa, chegar em casa depois de um dia desgastante, estressado e cansado, e justo nesse dia a patroa estava carente de atenção e carinho. Aí quando eu chegava todo carinhoso algum outro dia, ela não queria papo ... Uns meses desses "desalinhamentos" de humor já começaram a estragar tudo.

Ela tinha alguns problemas psicológicos sérios (incluindo epilepsia) então as vezes a rotina se tornava absurdamente difícil em decorrência disso. Além de uma mãe bipolar que me odiava e de vez em quando aparecia falando que ia atear fogo nas minhas coisas.

Enfim, tentamos levar as coisas. Tudo que eu fazia era pensando nela, nem cogitava uma vida sem ela. Mas o stress do dia a dia e minha dificuldade em expressar sentimentos acabaram fazendo as coisas esfriar. Um dia ela sentou do meu lado e falou "Eu não te amo mais". E aquilo me quebrou de uma forma que eu nunca poderia imaginar :fail: Conversamos, ela garantiu que não estava me traindo, mas que não queria continuar vivendo assim sem sentir mais nada, e que antes que ela acabasse se interessando por alguém, queria terminar comigo.

Como já morávamos juntos, e o AP era dela, ela não me expulsou de casa e continuamos vivendo lá como amigos. Inclusive rolava uma ação noturna de vez em quando. Eventualmente ela conheceu um cara e falou que seria melhor eu ir embora.

Meu conselho:

Assim como na maioria dos conflitos que o pessoal apresenta aqui, o caminho é o diálogo.

Quando minha ex viu que já não tinha mais sentimento, ela assumiu pra mim e expos isso, mesmo sabendo que me machucaria, mas que era a melhor coisa a se fazer. Foi algo que eu não fiz quando precisei. Em muitos momentos em que atitudes dela me frustraram muito, acabei reprimindo tudo devido à condição neurológica dela. Eu pensava algo do tipo "Ela é doente, não posso culpa-la" e não abria o diálogo.

Independente da doença dela, talvez se tivessemos conversado mais sobre os problemas, ela entenderia que as coisas não eram fáceis pra mim e que as vezes que eu estava esgotado mentalmente não era por não gostar dela.

Se eu tivesse conversado mais, será que teria terminado diferente? Talvez sim, talvez não, mas não importa pra mim porque se caminha para a frente.

Tomei o aprendizado, aprendi o valor do diálogo e aprendi a fazer um esforço para não levar o mau humor do trabalho pra casa, pois você acaba descontando nos outros e nem percebe. As vezes só de você sentar pra conversar sobre porque o dia foi tão difícil já vai ajudar a dar vazão ao stress. E o mesmo se aplica no sentido contrário, as vezes a parceira vai chegar chateada, se mostre disposto a escutar, de atenção ...

Enfim bicho ... Não tem outro jeito a não ser sentar, conversar e expor isso. Explicar como você está se sentindo, esclarecer essa questão dos planos para o futuro e tal ... Isso é importante. Se você quer uma coisa e ela quer outra totalmente diferente, difícil dar certo né. Tem que alinhar tudo isso aí e entender o que aconteceu. Pode ter certeza que teve falha dos dois pra chegar a esse ponto.



Veja da seguinte forma:

Talvez já tenha terminado, "terminar" não passa de uma formalidade... A única coisa "garantida" é ter alguém pra dividir as responsabilidades e contas, nada mais.

Temos medo do duvidoso, do incerto, isso é fato. Por isso tantos casais continuam juntos mesmo quando parecem se odiar. Por isso tantas pessoas continuam em empregos medíocres onde são explorados até as últimas energias mas não tem coragem de pedir demissão e buscar outro.

Mas é melhor ter certeza que não será feliz ali? Ou arriscar algo novo e talvez ser feliz?

Obrigado pela resposta!

Acho que sofro do mesmo mal que você: guardo/absorvo e não transpareço. Talvez, tenha percebido isso tarde demais.
--- Post duplicado mesclado automaticamente: ---

Rapaz, a única solução ai é puxar duas cadeiras e deixar o verbo sair, em outras palavras, ter um dialogo.

Infelizmente lendo assim, o pensamento que vem é que ACABOU, mas será mesmo que é mesmo? se sim, vai ficar assim até quando, ambos presos um ao outro, talvez por comodismo. E se realmente não acabou, está faltando só uma conversa bem intima e profunda entre ambos, talvez há algo que chateie o cônjuge e vai deixando por receios.

Tente sentar e esclarecer esse clima frio, as diferenças, os objetivos.
Valeu!

Sem dúvidas, a conversa vai ser dolorida e difícil, mas não consigo mais segurar essas coisas que sinto. O provável é o término, mas vamos ver se a probabilidade se concretiza!
--- Post duplicado mesclado automaticamente: ---

Aproveitando, algo que talvez não tenha deixado claro: acho que ela tem fortes traços de depressao (deprimida, no minimo, esta) e pra piorar, essa semana, recebeu feedback super negativo do ano passado no trabalho.
 

nettoandrade

New Member
Registrado
Obrigado!!

Rapaz, sua esposa é criativa em! que massa a ideia dela kkkkkkk
Já me avisaram muito sobre o dormir, to só esperando pra ver o desastre skpaksopaksoaks

Mas deve ser tudo de bom ter um ser que é só amores! :wub:
Deve ser um desafio essa parte da educação :fuckyeah:



COMO ASSIM MANO???
não existe essa de só moro com você se for na minha casa ou com a minha família toda junto... Que loucura isso... Acho que o problema real não é ela ser apegada não, é medo da mudança...
Acho que você tem que dar um ultimato ...

Acho que se for menino, você deveria por lei criar uma enquete aqui no adrena pra gente escolher o nome. kkkkkkkkkk

Fora a brincadeira, muita saúde, paz e amor para você, sua donzela e o baby que vem por aí. Tendo isso daí, o resto a gente corre atrás.
 

[TFDS]FoXgF

Hero
Registrado
Acho que se for menino, você deveria por lei criar uma enquete aqui no adrena pra gente escolher o nome. kkkkkkkkkk

Fora a brincadeira, muita saúde, paz e amor para você, sua donzela e o baby que vem por aí. Tendo isso daí, o resto a gente corre atrás.
Obrigado pelas felicitações!
Temos algumas dificuldades como todo casal, relação entre seres humanos é algo conturbado por si só!

acho que ela vai vencer e o nome do menino será Júlio Cesar, homenagear meu pai que se chamava Cesar
 

brenopapito

Member
Registrado
Com todo respeito aos colegas... Nada mais brega que nome composto e de alguma personalidade.
:clo:
 

neoyankee

Member
Registrado
Com todo respeito aos colegas... Nada mais brega que nome composto e de alguma personalidade.
:clo:
Sem falar que é o nome do goleiro do 7 x 1, já pensou se o moleque cresce e gosta de futebol? :haha:
 

A1eX_

Member
Registrado
E depois de 5 anos, apareço aqui novamente, 5 anos namorando, e chegou ao fim, uma tristeza enorme, quando a gente cria um vinculo com a família da pessoa, é tudo mais doloroso, uma dor no coração gigante. E o pior, amigos todos namorando, casados, melhor amigo que tinha infelizmente faleceu, vai ser difícil quando a pessoa era a sua base de sustentação.
 

GabrielVinicios

New Member
Registrado
E depois de 5 anos, apareço aqui novamente, 5 anos namorando, e chegou ao fim, uma tristeza enorme, quando a gente cria um vinculo com a família da pessoa, é tudo mais doloroso, uma dor no coração gigante. E o pior, amigos todos namorando, casados, melhor amigo que tinha infelizmente faleceu, vai ser difícil quando a pessoa era a sua base de sustentação.
Poxa meu caro. Por que terminaram??
 

Alberth-OC

New Member
Registrado
deveras Júlio Cesar é uma boa persona que leva o nome
--- Post duplicado mesclado automaticamente: ---
Bota meu nome caraio! No começo vai estranhar em chamar ele, mas quando adulto será foda dms principalmente se ele estudar engenharia... Fora que o nome começa com "A" e não ficará na fila esperando ele na escola e nas reuniões será um dos primeiros a sair. Só coisa boa, pô!
 

A1eX_

Member
Registrado
Poxa meu caro. Por que terminaram??
Esfriou, com o tempo, entramos em um consenso e decidimos dar um tempo para ver se é isso mesmo, porém, sinceramente não tenho esperança em um retorno de relacionamento, ainda mais agora que os pais dela alugaram um ape para ela (cursa medicina) e a distância tende a aumentar. É isso, não tive coragem de contar para minha família e nem ela, mas acredito que logo passa esse aperto. Já tinha feito alguns planos de mudar para está mesma cidade (tenho uma casa lá) e morar com ela, porém agora é tarde.
Vou esperar um tempo em sinal de respeito por todo esse tempo, e seguir minha vida, namorar agora não vou mais tão cedo, 5 anos sem traição, sempre tendo admiração e respeito.
Agora, com dinheiro no bolso, carro zero, vou passar o trator...
 

TImelo_Rego

New Member
Registrado
Não sou de postar muito, e passei alguns anos afastado do fórum e também desse tópico em que já aprendi muito, opinei algumas vezes e agora sinto que é minha vez de relatar algo. (aviso de walltext)

Entre o Natal e Ano novo, eu li quase 300 páginas em busca de "convivência" e apoio, ver se tinha situações parecidas com a minha e também ver as histórias (particularmente adoro pq sou historiador, mas enfim... sou sofredor do amor e romantismo heheh)

Resuminho do antes (2013- 2015/16): tive um primeiro namoro sério de apresentar a moça pra família, fazer planos, estava em vias de noivar, e fim, tudo terminou por N razoes, infantilidades de ambas as partes, mas por fim, traição por parte dela duas vezes, e aí foi a gota d'água), depois foi o sofrimento, e ela tentando voltar, eu não quis e ela desistiu, aí depois eu quis e soube que ela noivou, e minha vida foi ladeira a baixo nos relacionamentos, nunca mais confiei e acreditei, tive algumas ficadas/sexo mas casual, eventualmente me apaixonei mas preferi manter amizade do que algo que poderia dar errado no futuro - trauma explicito). E assim fui levando a vida, insistindo nos estudos (pós e atualmente mestrado), lazer etc. enfim... (a parte de relacionamentos eu fiquei muito, muito pessimista e não confiei mais em ninguém, nunca mais fui o mesmo, guardei meus sentimentos não sei aonde, virei um sem coração - nunca prejudiquei ninguém nem nada do tipo, apenas era sem sentimento algum)

Chegamos em agosto de 2018, eis que no aplicativo "adoteumcara" eu encontrei uma menina relativamente bonita, da mesma área que eu, e as conversas foram ótimas, as ideias batiam, marcamos de sair e foi muito bom e divertido, parecia que nos conhecíamos ha tempos. No final do encontro (barzinho calmo, porções e refri/cerveja), nos despedimos e ela disse que eu poderia beija-la, e aí ficamos... A partir de então conversávamos todos os dias, e marcamos algumas vezes mais de sair.. (nesse ano eu trabalhei em shopping e era um horário da tarde/noite e era difícil eu ter tempo, pois precisava estudar e ela também) e a coisa foi engatando, enfim.. a questão é que eu não queria me apaixonar nem nada, mas tava sendo ótimo ter alguém pra sair e dividir o cotidiano, não achava ela a pessoa mais linda do mundo (o famoso não faz meu tipo, não é feia mas ok), nem nada, apenas estava sendo legal. A questão é que ela começou a gostar de mim de verdade, eu senti isso mas fui levando "em banho maria, empurrando com as coxas" (eu sei que foi muito errado, mas eu esperava que nascesse em mim o mesmo sentimento, ficava analisando n possibilidades e pensando se seria um futuro legal, etc) Chegamos a viajar pra apresentar trabalhos acadêmicos, foi muito bom.

detalhe importante: eu sempre tive bloqueio familiar para tratar desses assuntos, sempre fui tímido por ter irmãs ciumentas e mãe também (que é incherida e não respeita muito minha intimidade/privacidade, mas não culpo, mãe é mãe), e também sempre levei a questão de relacionamento a sério, tinha jurado que só apresentaria pra família aquela pessoa que eu soubesse que fosse a certa e pra vida toda, enfim) e aí que pra eu sair eu sempre dou uma desculpa, etc, mas jamais revelei a existência dela pra minha família (sim, eu sei que isso é um problema que eu devo tratar, mas não sei como - e isso que começou a desandar as coisas)

2019 = o lugar que eu trabalhava fechou, e aí todos foram mandados embora, a sorte é que eu consegui bolsa da universidade pra me dedicar aos estudos, e aí eu consegui mais tempo, o que foi bom, eu realmente precisava. Enfim, por isso a convivência tbm facilitou (mesmo ela morando na região metropolitana). Chegamos a viajar pra apresentar trabalhos acadêmicos e passamos 1 semana num hotel e foi ótima a experiencia. Só que nessa altura, fui percebendo que as cosias estavam ficando sérias.. e aí eu sabia que precisava tomar uma atitude mas não me decidia, e aí ela também começou a falar sobre isso algumas vezes e disse que não era pra eu esperar tanto pra pedir ela em namoro e oficializar tudo.... e eu sempre dava um jeito de jogar pra frente, pois não sabia o que queria nem como lidar com isso (o que é bem estranho, pensando agora, e muito errado da minha parte, eu admito e assumo toda a culpa - como verão mais adiante), e também meu mestrado estava muito complicado e eu quase desisti, enfim.... um detalhe importante é que ela sempre me chamava pra sair e fazer coisas, e eu não queria, ou estava ocupado estudando ou então surgia alguma coisa que tinha que cancelar). O fato é que agora mais pro fim do ano eu comecei a dar conta de que eu gostava ela e que iria arriscar e namorar com ela (pois já conhecia a família dela, fui em aniversário, churrasco, só que mais como amigo da família, só a irma dela sabia que estávamos nessa relação, a mãe dela desconfiava). Aí o plano era chamar ela pra passar o natal com minha família, apresentar e já pedir ela em namoro e assumir tudo! porém ela ia passar com a família dela, e aqui iriamos receber visitas de parentes que estavam viajando por motivo de luto, e aí ficou esquisito eu eu achei melhor adiar.

Após o Natal ela viajou para a praia com a família e amigos da família e disse que ficava até dia 31 - e não me chamou, o que achei meio estranho mas ok né? - só que aí eu percebi que ela pouco falava comigo, disse que o sinal de internet era ruim na praia (e realmente é, pra quem vai pro litoral do paraná-sc sabe), e aí por dentro eu comecei a sentir uma saudade dela e comecei a remoer tudo isso, e vim aqui pro fórum pra ler esse tópico e tal..) aí ela me contou que iria passar o ano novo lá, e aí no ano novo mandei mensagem na hora da virada etc, e ela só me respondeu no dia seguinte, de forma normal sabe, sem aquele carinho especial que a gente percebe? Aí eu notei que ela estava diferente... e disse que voltaria alguns dias depois, pois queria aproveitar a praia e refletir na vida...

Quando ela voltou, continuamos a conversar, porém eu sentia que estava diferente e aí ela disse que precisava conversar comigo pessoalmente. Aí eu concordei, falei que também queria - a minha ideia era nessa conversa me abrir com ela, dizer tudo o que sentia e o que eu queria era uma chance pra gente namorar mesmo (como presente de natal ela brincou dizendo que queria namorar cmg- por isso eu pensei naquela surpresa que citei anteriormente. Enfim, só que essa conversa era pra ter sido marcada e não aconteceu... e ela já estava com a postura diferente, eu sabia que ela tinha mudado e que era sério o negócio. aí como eu sou super curioso e ansioso, comecei a jogar uns verdes por whatsapp, e foi indo indo, até que essa semana, quarta-feira, ela acabou abrindo o jogo pelo whatsapp mesmo. E foi aquilo que eu mais temia então: ela admitiu que durante esse fim de ano ela pensou em toda nossa convivência e que foi 1 ano e alguns meses assim e ela não suportava mais essa situação em que um mundo dela eu fazia parte, era como namorado,e no meu mundo ela quase não existia, minha família nem sabe dela nem nada, alem de uma unica amiga minha que encontramos num rolê uma vez. Ela comentou que sofreu algumas vezes por isso e precisava cuidar da saúde emocional e seguir a vida. Ela não foi rude nem ficou com raiva de mim e também se preocupou muito em como eu ia receber essa noticia e se desculpou muito - ela sempre foi muito educada, meiga e sincera e sempre quis meu bem -. Enfim, eu expus minhas ideias e tudo, só que já é tarde. Essa situação veio como um soco no meu peito e me derrubou, me deixou muito mal, porque me fez cair a ficha e perceber que eu gostava muito mais dela do que eu imaginava, e aí eu comecei a remoer tudo, pensar em todas as minhas atitudes e faltas delas, enfim, um sentimento profundo de culpa e remorso, pois eu sei que fui muito covarde e "gastei" esse tempo da vida dela, onde ela fez N coisas pra me conquistar e me tratar bem, me deu inúmeros apoios com estudos, e me ajudou a superar meu trauma com ex relacionamento.

Pra resumir: eu não consigo fazer mais nada além de ficar pensando nisso, to com aquele sentimento de luto, e fico me lamentando por dentro. Ela disse que quer muito minha amizade e que não é pra eu ficar mal, e que somos amigos e que posso contar com ela sempre. Ela é super madura nesse sentido, me deu apoio e se preocupa comigo. Nos falamos pouco desde então, e todas as vezes eu tentei explicar como me sinto, e o que eu quero, só que ela disse que o tempo nosso já passou e que ela precisa aprender a ficar sozinha - pois saiu de um noivado em que a relação era de 9 anos. Eu perguntei se ainda teria alguma chance no futuro e ela disse que não sabe, e que quer ficar sozinha por enquanto. E também tentou me dar apoio e tal..

Eu estou péssimo, pois agora veio tudo a tona e eu quero restaurar essa relação e tentar. Eu tive que perder pra perceber o que tinha e dar valor. Estou cogitando apoio psicológico pois também estou com problemas com o estudo, estou desmotivado e infeliz.

Gostaria de saber a opinião dos colegas sobre tudo isso e o que fazer pra tentar uma chance com ela, e aceito todas as críticas.
 

adaounder

Gemini no Saint
Registrado
Não sou de postar muito, e passei alguns anos afastado do fórum e também desse tópico em que já aprendi muito, opinei algumas vezes e agora sinto que é minha vez de relatar algo. (aviso de walltext)

Entre o Natal e Ano novo, eu li quase 300 páginas em busca de "convivência" e apoio, ver se tinha situações parecidas com a minha e também ver as histórias (particularmente adoro pq sou historiador, mas enfim... sou sofredor do amor e romantismo heheh)

Resuminho do antes (2013- 2015/16): tive um primeiro namoro sério de apresentar a moça pra família, fazer planos, estava em vias de noivar, e fim, tudo terminou por N razoes, infantilidades de ambas as partes, mas por fim, traição por parte dela duas vezes, e aí foi a gota d'água), depois foi o sofrimento, e ela tentando voltar, eu não quis e ela desistiu, aí depois eu quis e soube que ela noivou, e minha vida foi ladeira a baixo nos relacionamentos, nunca mais confiei e acreditei, tive algumas ficadas/sexo mas casual, eventualmente me apaixonei mas preferi manter amizade do que algo que poderia dar errado no futuro - trauma explicito). E assim fui levando a vida, insistindo nos estudos (pós e atualmente mestrado), lazer etc. enfim... (a parte de relacionamentos eu fiquei muito, muito pessimista e não confiei mais em ninguém, nunca mais fui o mesmo, guardei meus sentimentos não sei aonde, virei um sem coração - nunca prejudiquei ninguém nem nada do tipo, apenas era sem sentimento algum)

Chegamos em agosto de 2018, eis que no aplicativo "adoteumcara" eu encontrei uma menina relativamente bonita, da mesma área que eu, e as conversas foram ótimas, as ideias batiam, marcamos de sair e foi muito bom e divertido, parecia que nos conhecíamos ha tempos. No final do encontro (barzinho calmo, porções e refri/cerveja), nos despedimos e ela disse que eu poderia beija-la, e aí ficamos... A partir de então conversávamos todos os dias, e marcamos algumas vezes mais de sair.. (nesse ano eu trabalhei em shopping e era um horário da tarde/noite e era difícil eu ter tempo, pois precisava estudar e ela também) e a coisa foi engatando, enfim.. a questão é que eu não queria me apaixonar nem nada, mas tava sendo ótimo ter alguém pra sair e dividir o cotidiano, não achava ela a pessoa mais linda do mundo (o famoso não faz meu tipo, não é feia mas ok), nem nada, apenas estava sendo legal. A questão é que ela começou a gostar de mim de verdade, eu senti isso mas fui levando "em banho maria, empurrando com as coxas" (eu sei que foi muito errado, mas eu esperava que nascesse em mim o mesmo sentimento, ficava analisando n possibilidades e pensando se seria um futuro legal, etc) Chegamos a viajar pra apresentar trabalhos acadêmicos, foi muito bom.

detalhe importante: eu sempre tive bloqueio familiar para tratar desses assuntos, sempre fui tímido por ter irmãs ciumentas e mãe também (que é incherida e não respeita muito minha intimidade/privacidade, mas não culpo, mãe é mãe), e também sempre levei a questão de relacionamento a sério, tinha jurado que só apresentaria pra família aquela pessoa que eu soubesse que fosse a certa e pra vida toda, enfim) e aí que pra eu sair eu sempre dou uma desculpa, etc, mas jamais revelei a existência dela pra minha família (sim, eu sei que isso é um problema que eu devo tratar, mas não sei como - e isso que começou a desandar as coisas)

2019 = o lugar que eu trabalhava fechou, e aí todos foram mandados embora, a sorte é que eu consegui bolsa da universidade pra me dedicar aos estudos, e aí eu consegui mais tempo, o que foi bom, eu realmente precisava. Enfim, por isso a convivência tbm facilitou (mesmo ela morando na região metropolitana). Chegamos a viajar pra apresentar trabalhos acadêmicos e passamos 1 semana num hotel e foi ótima a experiencia. Só que nessa altura, fui percebendo que as cosias estavam ficando sérias.. e aí eu sabia que precisava tomar uma atitude mas não me decidia, e aí ela também começou a falar sobre isso algumas vezes e disse que não era pra eu esperar tanto pra pedir ela em namoro e oficializar tudo.... e eu sempre dava um jeito de jogar pra frente, pois não sabia o que queria nem como lidar com isso (o que é bem estranho, pensando agora, e muito errado da minha parte, eu admito e assumo toda a culpa - como verão mais adiante), e também meu mestrado estava muito complicado e eu quase desisti, enfim.... um detalhe importante é que ela sempre me chamava pra sair e fazer coisas, e eu não queria, ou estava ocupado estudando ou então surgia alguma coisa que tinha que cancelar). O fato é que agora mais pro fim do ano eu comecei a dar conta de que eu gostava ela e que iria arriscar e namorar com ela (pois já conhecia a família dela, fui em aniversário, churrasco, só que mais como amigo da família, só a irma dela sabia que estávamos nessa relação, a mãe dela desconfiava). Aí o plano era chamar ela pra passar o natal com minha família, apresentar e já pedir ela em namoro e assumir tudo! porém ela ia passar com a família dela, e aqui iriamos receber visitas de parentes que estavam viajando por motivo de luto, e aí ficou esquisito eu eu achei melhor adiar.

Após o Natal ela viajou para a praia com a família e amigos da família e disse que ficava até dia 31 - e não me chamou, o que achei meio estranho mas ok né? - só que aí eu percebi que ela pouco falava comigo, disse que o sinal de internet era ruim na praia (e realmente é, pra quem vai pro litoral do paraná-sc sabe), e aí por dentro eu comecei a sentir uma saudade dela e comecei a remoer tudo isso, e vim aqui pro fórum pra ler esse tópico e tal..) aí ela me contou que iria passar o ano novo lá, e aí no ano novo mandei mensagem na hora da virada etc, e ela só me respondeu no dia seguinte, de forma normal sabe, sem aquele carinho especial que a gente percebe? Aí eu notei que ela estava diferente... e disse que voltaria alguns dias depois, pois queria aproveitar a praia e refletir na vida...

Quando ela voltou, continuamos a conversar, porém eu sentia que estava diferente e aí ela disse que precisava conversar comigo pessoalmente. Aí eu concordei, falei que também queria - a minha ideia era nessa conversa me abrir com ela, dizer tudo o que sentia e o que eu queria era uma chance pra gente namorar mesmo (como presente de natal ela brincou dizendo que queria namorar cmg- por isso eu pensei naquela surpresa que citei anteriormente. Enfim, só que essa conversa era pra ter sido marcada e não aconteceu... e ela já estava com a postura diferente, eu sabia que ela tinha mudado e que era sério o negócio. aí como eu sou super curioso e ansioso, comecei a jogar uns verdes por whatsapp, e foi indo indo, até que essa semana, quarta-feira, ela acabou abrindo o jogo pelo whatsapp mesmo. E foi aquilo que eu mais temia então: ela admitiu que durante esse fim de ano ela pensou em toda nossa convivência e que foi 1 ano e alguns meses assim e ela não suportava mais essa situação em que um mundo dela eu fazia parte, era como namorado,e no meu mundo ela quase não existia, minha família nem sabe dela nem nada, alem de uma unica amiga minha que encontramos num rolê uma vez. Ela comentou que sofreu algumas vezes por isso e precisava cuidar da saúde emocional e seguir a vida. Ela não foi rude nem ficou com raiva de mim e também se preocupou muito em como eu ia receber essa noticia e se desculpou muito - ela sempre foi muito educada, meiga e sincera e sempre quis meu bem -. Enfim, eu expus minhas ideias e tudo, só que já é tarde. Essa situação veio como um soco no meu peito e me derrubou, me deixou muito mal, porque me fez cair a ficha e perceber que eu gostava muito mais dela do que eu imaginava, e aí eu comecei a remoer tudo, pensar em todas as minhas atitudes e faltas delas, enfim, um sentimento profundo de culpa e remorso, pois eu sei que fui muito covarde e "gastei" esse tempo da vida dela, onde ela fez N coisas pra me conquistar e me tratar bem, me deu inúmeros apoios com estudos, e me ajudou a superar meu trauma com ex relacionamento.

Pra resumir: eu não consigo fazer mais nada além de ficar pensando nisso, to com aquele sentimento de luto, e fico me lamentando por dentro. Ela disse que quer muito minha amizade e que não é pra eu ficar mal, e que somos amigos e que posso contar com ela sempre. Ela é super madura nesse sentido, me deu apoio e se preocupa comigo. Nos falamos pouco desde então, e todas as vezes eu tentei explicar como me sinto, e o que eu quero, só que ela disse que o tempo nosso já passou e que ela precisa aprender a ficar sozinha - pois saiu de um noivado em que a relação era de 9 anos. Eu perguntei se ainda teria alguma chance no futuro e ela disse que não sabe, e que quer ficar sozinha por enquanto. E também tentou me dar apoio e tal..

Eu estou péssimo, pois agora veio tudo a tona e eu quero restaurar essa relação e tentar. Eu tive que perder pra perceber o que tinha e dar valor. Estou cogitando apoio psicológico pois também estou com problemas com o estudo, estou desmotivado e infeliz.

Gostaria de saber a opinião dos colegas sobre tudo isso e o que fazer pra tentar uma chance com ela, e aceito todas as críticas.
Se ela disse que o tempo de vcs passou respeite isso, brother. Nada forçado vale a pena. Vai por mim. Segue agora com sua vida como era antes dela.
A vida é assim. A gente só aprender a dar valor quando perde realmente. Mas isso não é de todo ruim.
Tá doendo agora (e é bom que doa pra vc fixar bem a lição), mas se vc tomar a postura correta isso vai servir de aprendizado, crescimento e amadurecimento pra não repetir o mesmo erro no futuro.
E não descarte a ajuda de um profissional de psicologia. Isso faz uma diferença enorme na nossa qualidade de vida.
Seja resiliente nesse momento. Tente manter uma postura positiva o máximo que puder e não perca as esperanças. Se for pra vcs ficarem juntos a vida da um jeito de uni-los, mas se não for, vc encontrará alguém tão boa quanto ela era pra vc.
E eu não recomendo amizade, na minha opinião vc deve se preservar e cuidar de vc, e isso não inclui alimentar sentimentos através do contato.
Boa sorte ai, mano. Qualquer coisa tamos ai
 

Alberth-OC

New Member
Registrado
Não sou de postar muito, e passei alguns anos afastado do fórum e também desse tópico em que já aprendi muito, opinei algumas vezes e agora sinto que é minha vez de relatar algo. (aviso de walltext)

Entre o Natal e Ano novo, eu li quase 300 páginas em busca de "convivência" e apoio, ver se tinha situações parecidas com a minha e também ver as histórias (particularmente adoro pq sou historiador, mas enfim... sou sofredor do amor e romantismo heheh)

Resuminho do antes (2013- 2015/16): tive um primeiro namoro sério de apresentar a moça pra família, fazer planos, estava em vias de noivar, e fim, tudo terminou por N razoes, infantilidades de ambas as partes, mas por fim, traição por parte dela duas vezes, e aí foi a gota d'água), depois foi o sofrimento, e ela tentando voltar, eu não quis e ela desistiu, aí depois eu quis e soube que ela noivou, e minha vida foi ladeira a baixo nos relacionamentos, nunca mais confiei e acreditei, tive algumas ficadas/sexo mas casual, eventualmente me apaixonei mas preferi manter amizade do que algo que poderia dar errado no futuro - trauma explicito). E assim fui levando a vida, insistindo nos estudos (pós e atualmente mestrado), lazer etc. enfim... (a parte de relacionamentos eu fiquei muito, muito pessimista e não confiei mais em ninguém, nunca mais fui o mesmo, guardei meus sentimentos não sei aonde, virei um sem coração - nunca prejudiquei ninguém nem nada do tipo, apenas era sem sentimento algum)

Chegamos em agosto de 2018, eis que no aplicativo "adoteumcara" eu encontrei uma menina relativamente bonita, da mesma área que eu, e as conversas foram ótimas, as ideias batiam, marcamos de sair e foi muito bom e divertido, parecia que nos conhecíamos ha tempos. No final do encontro (barzinho calmo, porções e refri/cerveja), nos despedimos e ela disse que eu poderia beija-la, e aí ficamos... A partir de então conversávamos todos os dias, e marcamos algumas vezes mais de sair.. (nesse ano eu trabalhei em shopping e era um horário da tarde/noite e era difícil eu ter tempo, pois precisava estudar e ela também) e a coisa foi engatando, enfim.. a questão é que eu não queria me apaixonar nem nada, mas tava sendo ótimo ter alguém pra sair e dividir o cotidiano, não achava ela a pessoa mais linda do mundo (o famoso não faz meu tipo, não é feia mas ok), nem nada, apenas estava sendo legal. A questão é que ela começou a gostar de mim de verdade, eu senti isso mas fui levando "em banho maria, empurrando com as coxas" (eu sei que foi muito errado, mas eu esperava que nascesse em mim o mesmo sentimento, ficava analisando n possibilidades e pensando se seria um futuro legal, etc) Chegamos a viajar pra apresentar trabalhos acadêmicos, foi muito bom.

detalhe importante: eu sempre tive bloqueio familiar para tratar desses assuntos, sempre fui tímido por ter irmãs ciumentas e mãe também (que é incherida e não respeita muito minha intimidade/privacidade, mas não culpo, mãe é mãe), e também sempre levei a questão de relacionamento a sério, tinha jurado que só apresentaria pra família aquela pessoa que eu soubesse que fosse a certa e pra vida toda, enfim) e aí que pra eu sair eu sempre dou uma desculpa, etc, mas jamais revelei a existência dela pra minha família (sim, eu sei que isso é um problema que eu devo tratar, mas não sei como - e isso que começou a desandar as coisas)

2019 = o lugar que eu trabalhava fechou, e aí todos foram mandados embora, a sorte é que eu consegui bolsa da universidade pra me dedicar aos estudos, e aí eu consegui mais tempo, o que foi bom, eu realmente precisava. Enfim, por isso a convivência tbm facilitou (mesmo ela morando na região metropolitana). Chegamos a viajar pra apresentar trabalhos acadêmicos e passamos 1 semana num hotel e foi ótima a experiencia. Só que nessa altura, fui percebendo que as cosias estavam ficando sérias.. e aí eu sabia que precisava tomar uma atitude mas não me decidia, e aí ela também começou a falar sobre isso algumas vezes e disse que não era pra eu esperar tanto pra pedir ela em namoro e oficializar tudo.... e eu sempre dava um jeito de jogar pra frente, pois não sabia o que queria nem como lidar com isso (o que é bem estranho, pensando agora, e muito errado da minha parte, eu admito e assumo toda a culpa - como verão mais adiante), e também meu mestrado estava muito complicado e eu quase desisti, enfim.... um detalhe importante é que ela sempre me chamava pra sair e fazer coisas, e eu não queria, ou estava ocupado estudando ou então surgia alguma coisa que tinha que cancelar). O fato é que agora mais pro fim do ano eu comecei a dar conta de que eu gostava ela e que iria arriscar e namorar com ela (pois já conhecia a família dela, fui em aniversário, churrasco, só que mais como amigo da família, só a irma dela sabia que estávamos nessa relação, a mãe dela desconfiava). Aí o plano era chamar ela pra passar o natal com minha família, apresentar e já pedir ela em namoro e assumir tudo! porém ela ia passar com a família dela, e aqui iriamos receber visitas de parentes que estavam viajando por motivo de luto, e aí ficou esquisito eu eu achei melhor adiar.

Após o Natal ela viajou para a praia com a família e amigos da família e disse que ficava até dia 31 - e não me chamou, o que achei meio estranho mas ok né? - só que aí eu percebi que ela pouco falava comigo, disse que o sinal de internet era ruim na praia (e realmente é, pra quem vai pro litoral do paraná-sc sabe), e aí por dentro eu comecei a sentir uma saudade dela e comecei a remoer tudo isso, e vim aqui pro fórum pra ler esse tópico e tal..) aí ela me contou que iria passar o ano novo lá, e aí no ano novo mandei mensagem na hora da virada etc, e ela só me respondeu no dia seguinte, de forma normal sabe, sem aquele carinho especial que a gente percebe? Aí eu notei que ela estava diferente... e disse que voltaria alguns dias depois, pois queria aproveitar a praia e refletir na vida...

Quando ela voltou, continuamos a conversar, porém eu sentia que estava diferente e aí ela disse que precisava conversar comigo pessoalmente. Aí eu concordei, falei que também queria - a minha ideia era nessa conversa me abrir com ela, dizer tudo o que sentia e o que eu queria era uma chance pra gente namorar mesmo (como presente de natal ela brincou dizendo que queria namorar cmg- por isso eu pensei naquela surpresa que citei anteriormente. Enfim, só que essa conversa era pra ter sido marcada e não aconteceu... e ela já estava com a postura diferente, eu sabia que ela tinha mudado e que era sério o negócio. aí como eu sou super curioso e ansioso, comecei a jogar uns verdes por whatsapp, e foi indo indo, até que essa semana, quarta-feira, ela acabou abrindo o jogo pelo whatsapp mesmo. E foi aquilo que eu mais temia então: ela admitiu que durante esse fim de ano ela pensou em toda nossa convivência e que foi 1 ano e alguns meses assim e ela não suportava mais essa situação em que um mundo dela eu fazia parte, era como namorado,e no meu mundo ela quase não existia, minha família nem sabe dela nem nada, alem de uma unica amiga minha que encontramos num rolê uma vez. Ela comentou que sofreu algumas vezes por isso e precisava cuidar da saúde emocional e seguir a vida. Ela não foi rude nem ficou com raiva de mim e também se preocupou muito em como eu ia receber essa noticia e se desculpou muito - ela sempre foi muito educada, meiga e sincera e sempre quis meu bem -. Enfim, eu expus minhas ideias e tudo, só que já é tarde. Essa situação veio como um soco no meu peito e me derrubou, me deixou muito mal, porque me fez cair a ficha e perceber que eu gostava muito mais dela do que eu imaginava, e aí eu comecei a remoer tudo, pensar em todas as minhas atitudes e faltas delas, enfim, um sentimento profundo de culpa e remorso, pois eu sei que fui muito covarde e "gastei" esse tempo da vida dela, onde ela fez N coisas pra me conquistar e me tratar bem, me deu inúmeros apoios com estudos, e me ajudou a superar meu trauma com ex relacionamento.

Pra resumir: eu não consigo fazer mais nada além de ficar pensando nisso, to com aquele sentimento de luto, e fico me lamentando por dentro. Ela disse que quer muito minha amizade e que não é pra eu ficar mal, e que somos amigos e que posso contar com ela sempre. Ela é super madura nesse sentido, me deu apoio e se preocupa comigo. Nos falamos pouco desde então, e todas as vezes eu tentei explicar como me sinto, e o que eu quero, só que ela disse que o tempo nosso já passou e que ela precisa aprender a ficar sozinha - pois saiu de um noivado em que a relação era de 9 anos. Eu perguntei se ainda teria alguma chance no futuro e ela disse que não sabe, e que quer ficar sozinha por enquanto. E também tentou me dar apoio e tal..

Eu estou péssimo, pois agora veio tudo a tona e eu quero restaurar essa relação e tentar. Eu tive que perder pra perceber o que tinha e dar valor. Estou cogitando apoio psicológico pois também estou com problemas com o estudo, estou desmotivado e infeliz.

Gostaria de saber a opinião dos colegas sobre tudo isso e o que fazer pra tentar uma chance com ela, e aceito todas as críticas.
Colega, faça como o @adaounder falou, dê um tempo para essa situação e siga sua vida da mesma forma que vc fez no primeiro relacionamento que foi por água abaixo por culpa da garota que te traiu.
O começo realmente dói pq só agora a ficha caiu, mas isso passa com o tempo e serve até como uma lição do que não fazer novamente caso vc se relacione com outra garota. Com o primeiro vc teve mta confiança, porém brigas e traições impediram a continuidade do msm, no segundo vc não confiou na relação justamente por conta da primeira que acabou causando falta de confiança e de certa forma uma negação a um relacionamento sério.

Vc já tem todos os "predicados" da lição de vida amorosa e do que REALMENTE não fazer e um dos relacionamentos acabou de certa forma atrapalhando o outro e demonstrando que sua percepção amorosa precisava mudar. Boa sorte e procure sim um profissional de psicologia para lhe ajudar e entrar nos eixos, existe mto preconceito em quem procura esses profissionais pq já o colocam como uma pessoa louca ou sem emoção alguma, mas é justamente o contrário, eles servem para tirar a pessoa do caminho errado e apontar para a rota certa que se deve fazer. tenho certeza que isso será benéfico para ti.
 

illusion1

Life is an illusion.
Registrado
Não sou de postar muito, e passei alguns anos afastado do fórum e também desse tópico em que já aprendi muito, opinei algumas vezes e agora sinto que é minha vez de relatar algo. (aviso de walltext)

Entre o Natal e Ano novo, eu li quase 300 páginas em busca de "convivência" e apoio, ver se tinha situações parecidas com a minha e também ver as histórias (particularmente adoro pq sou historiador, mas enfim... sou sofredor do amor e romantismo heheh)

Resuminho do antes (2013- 2015/16): tive um primeiro namoro sério de apresentar a moça pra família, fazer planos, estava em vias de noivar, e fim, tudo terminou por N razoes, infantilidades de ambas as partes, mas por fim, traição por parte dela duas vezes, e aí foi a gota d'água), depois foi o sofrimento, e ela tentando voltar, eu não quis e ela desistiu, aí depois eu quis e soube que ela noivou, e minha vida foi ladeira a baixo nos relacionamentos, nunca mais confiei e acreditei, tive algumas ficadas/sexo mas casual, eventualmente me apaixonei mas preferi manter amizade do que algo que poderia dar errado no futuro - trauma explicito). E assim fui levando a vida, insistindo nos estudos (pós e atualmente mestrado), lazer etc. enfim... (a parte de relacionamentos eu fiquei muito, muito pessimista e não confiei mais em ninguém, nunca mais fui o mesmo, guardei meus sentimentos não sei aonde, virei um sem coração - nunca prejudiquei ninguém nem nada do tipo, apenas era sem sentimento algum)

Chegamos em agosto de 2018, eis que no aplicativo "adoteumcara" eu encontrei uma menina relativamente bonita, da mesma área que eu, e as conversas foram ótimas, as ideias batiam, marcamos de sair e foi muito bom e divertido, parecia que nos conhecíamos ha tempos. No final do encontro (barzinho calmo, porções e refri/cerveja), nos despedimos e ela disse que eu poderia beija-la, e aí ficamos... A partir de então conversávamos todos os dias, e marcamos algumas vezes mais de sair.. (nesse ano eu trabalhei em shopping e era um horário da tarde/noite e era difícil eu ter tempo, pois precisava estudar e ela também) e a coisa foi engatando, enfim.. a questão é que eu não queria me apaixonar nem nada, mas tava sendo ótimo ter alguém pra sair e dividir o cotidiano, não achava ela a pessoa mais linda do mundo (o famoso não faz meu tipo, não é feia mas ok), nem nada, apenas estava sendo legal. A questão é que ela começou a gostar de mim de verdade, eu senti isso mas fui levando "em banho maria, empurrando com as coxas" (eu sei que foi muito errado, mas eu esperava que nascesse em mim o mesmo sentimento, ficava analisando n possibilidades e pensando se seria um futuro legal, etc) Chegamos a viajar pra apresentar trabalhos acadêmicos, foi muito bom.

detalhe importante: eu sempre tive bloqueio familiar para tratar desses assuntos, sempre fui tímido por ter irmãs ciumentas e mãe também (que é incherida e não respeita muito minha intimidade/privacidade, mas não culpo, mãe é mãe), e também sempre levei a questão de relacionamento a sério, tinha jurado que só apresentaria pra família aquela pessoa que eu soubesse que fosse a certa e pra vida toda, enfim) e aí que pra eu sair eu sempre dou uma desculpa, etc, mas jamais revelei a existência dela pra minha família (sim, eu sei que isso é um problema que eu devo tratar, mas não sei como - e isso que começou a desandar as coisas)

2019 = o lugar que eu trabalhava fechou, e aí todos foram mandados embora, a sorte é que eu consegui bolsa da universidade pra me dedicar aos estudos, e aí eu consegui mais tempo, o que foi bom, eu realmente precisava. Enfim, por isso a convivência tbm facilitou (mesmo ela morando na região metropolitana). Chegamos a viajar pra apresentar trabalhos acadêmicos e passamos 1 semana num hotel e foi ótima a experiencia. Só que nessa altura, fui percebendo que as cosias estavam ficando sérias.. e aí eu sabia que precisava tomar uma atitude mas não me decidia, e aí ela também começou a falar sobre isso algumas vezes e disse que não era pra eu esperar tanto pra pedir ela em namoro e oficializar tudo.... e eu sempre dava um jeito de jogar pra frente, pois não sabia o que queria nem como lidar com isso (o que é bem estranho, pensando agora, e muito errado da minha parte, eu admito e assumo toda a culpa - como verão mais adiante), e também meu mestrado estava muito complicado e eu quase desisti, enfim.... um detalhe importante é que ela sempre me chamava pra sair e fazer coisas, e eu não queria, ou estava ocupado estudando ou então surgia alguma coisa que tinha que cancelar). O fato é que agora mais pro fim do ano eu comecei a dar conta de que eu gostava ela e que iria arriscar e namorar com ela (pois já conhecia a família dela, fui em aniversário, churrasco, só que mais como amigo da família, só a irma dela sabia que estávamos nessa relação, a mãe dela desconfiava). Aí o plano era chamar ela pra passar o natal com minha família, apresentar e já pedir ela em namoro e assumir tudo! porém ela ia passar com a família dela, e aqui iriamos receber visitas de parentes que estavam viajando por motivo de luto, e aí ficou esquisito eu eu achei melhor adiar.

Após o Natal ela viajou para a praia com a família e amigos da família e disse que ficava até dia 31 - e não me chamou, o que achei meio estranho mas ok né? - só que aí eu percebi que ela pouco falava comigo, disse que o sinal de internet era ruim na praia (e realmente é, pra quem vai pro litoral do paraná-sc sabe), e aí por dentro eu comecei a sentir uma saudade dela e comecei a remoer tudo isso, e vim aqui pro fórum pra ler esse tópico e tal..) aí ela me contou que iria passar o ano novo lá, e aí no ano novo mandei mensagem na hora da virada etc, e ela só me respondeu no dia seguinte, de forma normal sabe, sem aquele carinho especial que a gente percebe? Aí eu notei que ela estava diferente... e disse que voltaria alguns dias depois, pois queria aproveitar a praia e refletir na vida...

Quando ela voltou, continuamos a conversar, porém eu sentia que estava diferente e aí ela disse que precisava conversar comigo pessoalmente. Aí eu concordei, falei que também queria - a minha ideia era nessa conversa me abrir com ela, dizer tudo o que sentia e o que eu queria era uma chance pra gente namorar mesmo (como presente de natal ela brincou dizendo que queria namorar cmg- por isso eu pensei naquela surpresa que citei anteriormente. Enfim, só que essa conversa era pra ter sido marcada e não aconteceu... e ela já estava com a postura diferente, eu sabia que ela tinha mudado e que era sério o negócio. aí como eu sou super curioso e ansioso, comecei a jogar uns verdes por whatsapp, e foi indo indo, até que essa semana, quarta-feira, ela acabou abrindo o jogo pelo whatsapp mesmo. E foi aquilo que eu mais temia então: ela admitiu que durante esse fim de ano ela pensou em toda nossa convivência e que foi 1 ano e alguns meses assim e ela não suportava mais essa situação em que um mundo dela eu fazia parte, era como namorado,e no meu mundo ela quase não existia, minha família nem sabe dela nem nada, alem de uma unica amiga minha que encontramos num rolê uma vez. Ela comentou que sofreu algumas vezes por isso e precisava cuidar da saúde emocional e seguir a vida. Ela não foi rude nem ficou com raiva de mim e também se preocupou muito em como eu ia receber essa noticia e se desculpou muito - ela sempre foi muito educada, meiga e sincera e sempre quis meu bem -. Enfim, eu expus minhas ideias e tudo, só que já é tarde. Essa situação veio como um soco no meu peito e me derrubou, me deixou muito mal, porque me fez cair a ficha e perceber que eu gostava muito mais dela do que eu imaginava, e aí eu comecei a remoer tudo, pensar em todas as minhas atitudes e faltas delas, enfim, um sentimento profundo de culpa e remorso, pois eu sei que fui muito covarde e "gastei" esse tempo da vida dela, onde ela fez N coisas pra me conquistar e me tratar bem, me deu inúmeros apoios com estudos, e me ajudou a superar meu trauma com ex relacionamento.

Pra resumir: eu não consigo fazer mais nada além de ficar pensando nisso, to com aquele sentimento de luto, e fico me lamentando por dentro. Ela disse que quer muito minha amizade e que não é pra eu ficar mal, e que somos amigos e que posso contar com ela sempre. Ela é super madura nesse sentido, me deu apoio e se preocupa comigo. Nos falamos pouco desde então, e todas as vezes eu tentei explicar como me sinto, e o que eu quero, só que ela disse que o tempo nosso já passou e que ela precisa aprender a ficar sozinha - pois saiu de um noivado em que a relação era de 9 anos. Eu perguntei se ainda teria alguma chance no futuro e ela disse que não sabe, e que quer ficar sozinha por enquanto. E também tentou me dar apoio e tal..

Eu estou péssimo, pois agora veio tudo a tona e eu quero restaurar essa relação e tentar. Eu tive que perder pra perceber o que tinha e dar valor. Estou cogitando apoio psicológico pois também estou com problemas com o estudo, estou desmotivado e infeliz.

Gostaria de saber a opinião dos colegas sobre tudo isso e o que fazer pra tentar uma chance com ela, e aceito todas as críticas.
Cara, seu problema não é algo apenas amoroso, você tem que parar um pouco de pensar em relacionamentos e fazer como ela fez, refletir, colocar tudo de lado e seguir em frente.

Nunca fique enrolando coisas na vida, pois não dá pra saber o dia de amanhã. Meu pai perdeu a oportunidade de emprego da vida dele e hj 40 anos depois ele ainda se arrepende. Minha tia ignorou o amor da vida dela só pq queria se fazer de difícil, o cara desistiu e se casou com outra e minha tia nunca conseguiu superar isso e nunca mais procurou outro relacionamento.

Nada acontece por o acaso. Tudo que entra na sua vida esta entrando por algum motivo.

Eu sei que é difícil pra kct, mas o melhor que você faz é tentar ao máximo seguir em frente. Não converse com essa menina até vc ter cabeça o suficiente pra isso, senão essa sua ferida só vai ficar se abrindo de novo e de novo. Diga isso a ela e não fale mais nada.

Procure um psiquiatra antes, conte pra ele tudo que está acontecendo e peça uma indicação de psicólogo. Isso vai fazer com que alguém possa te ver clinicamente e ver se você está bem o suficiente pra absorver uma terapia, se não ele pode te indicar um remédio. Também é importante que ele te dê essa referência de um psicólogo bom porque o que mais tem é psicólogo lixo. Minha esposa é psicóloga e conheço bem a área, tem muita gente recém formada que não presta e você acaba perdendo tempo.

Enfim, tente viver uma vida mais leve. Quando a gente está desesperado ou passando apertos, tudo parece dar errado ou parece que nada vai dar certo, mas na real tudo vai acontecer no momento certo.
 

TImelo_Rego

New Member
Registrado
Se ela disse que o tempo de vcs passou respeite isso, brother. Nada forçado vale a pena. Vai por mim. Segue agora com sua vida como era antes dela.
A vida é assim. A gente só aprender a dar valor quando perde realmente. Mas isso não é de todo ruim.
Tá doendo agora (e é bom que doa pra vc fixar bem a lição), mas se vc tomar a postura correta isso vai servir de aprendizado, crescimento e amadurecimento pra não repetir o mesmo erro no futuro.
E não descarte a ajuda de um profissional de psicologia. Isso faz uma diferença enorme na nossa qualidade de vida.
Seja resiliente nesse momento. Tente manter uma postura positiva o máximo que puder e não perca as esperanças. Se for pra vcs ficarem juntos a vida da um jeito de uni-los, mas se não for, vc encontrará alguém tão boa quanto ela era pra vc.
E eu não recomendo amizade, na minha opinião vc deve se preservar e cuidar de vc, e isso não inclui alimentar sentimentos através do contato.
Boa sorte ai, mano. Qualquer coisa tamos ai
Sim, eu e ela iriamos conversar pessoalmente sobre esse "desfecho". Eu no fim das contas quando ela voltou de viagem e comentou que foi bom pra pensar na vida etc, eu percebi o que ela quis dizer. Como eu falei, acabei insistindo algumas vezes com indiretas até que entramos no assunto e ficamos a madrugada toda trocando mensagens e conversando. Ela me deu bons conselhos tais como o que vc disse. Além disso, disse que nossa amizade continua e que eu sou uma ótima pessoa etc etc, e disse que eu iria superar e que ela queria o meu bem. Disse que irá sempre estar disposta caso eu queira conversar, e se precisar de ajuda com os estudos ela vai ajudar - inclusive hje a tarde enquanto eu escrevia aqui ela me perguntou se eu estava estudando...- outro problema é que fui convidado pro casamento dos pais dela (que só depois de anos tiveram condição e resolveram fazer o casamento, e a data está chegando, e ela insistiu muito pra eu ir, pq afinal, sou amigo da família e os pais dela me adoram) porém não sei se irei.

Eu concordo com vc, sei que preciso seguir em frente (tenho prazo pra entregar a dissertação que está chegando), comecei fazer academia pra cuidar da saúde e ter um tempo pra mim tbm além dos estudos. Agora preciso retomar as amizades que acabei deixando de lado por conta disso tudo (estudos principalmente).
Referena a ajuda psicológica, já peguei indicacações aqui e vou procurar essa semana.

Colega, faça como o @adaounder falou, dê um tempo para essa situação e siga sua vida da mesma forma que vc fez no primeiro relacionamento que foi por água abaixo por culpa da garota que te traiu.
O começo realmente dói pq só agora a ficha caiu, mas isso passa com o tempo e serve até como uma lição do que não fazer novamente caso vc se relacione com outra garota. Com o primeiro vc teve mta confiança, porém brigas e traições impediram a continuidade do msm, no segundo vc não confiou na relação justamente por conta da primeira que acabou causando falta de confiança e de certa forma uma negação a um relacionamento sério.

Vc já tem todos os "predicados" da lição de vida amorosa e do que REALMENTE não fazer e um dos relacionamentos acabou de certa forma atrapalhando o outro e demonstrando que sua percepção amorosa precisava mudar. Boa sorte e procure sim um profissional de psicologia para lhe ajudar e entrar nos eixos, existe mto preconceito em quem procura esses profissionais pq já o colocam como uma pessoa louca ou sem emoção alguma, mas é justamente o contrário, eles servem para tirar a pessoa do caminho errado e apontar para a rota certa que se deve fazer. tenho certeza que isso será benéfico para ti.
Obrigado pelas palavras. Como disse ao colega acima, eu penso que realmente é esse começo até assimilar tudo que é complicado, e me faz querer "recuperar" a relação. Quem sabe daqui um tempo ela repense também e as coisas se ajeitam. Enquanto isso, vou focar nos estudos (tentando criar animo pra isso), e na saúde e reatar as amizades.

Referente ao misturar um relacionamento com o antigo, nao ocorreu, na real eu apliquei o aprendizado que eu tive ao longo desse tempo, e estava sendo ótimo, mas eu acho que pequei em excesso. Eu acho que posterguei a querer assumir porque estava comodo, e ambos de acordo, não tinha o "rótulo", mas eu acho que ela se sentiu insegura e excluida do meu mundo e da minha familia, e eu tbm disse não varias vezes pros roles e deixava ela de lado, e eu acho que ela se cansou de eu oferecer "migalhas".

Não tenho preconceito com psicologia e psiquiatria, acho necessário pra sociedade e inclusive penso que todos deveriam fazer terapia hehehe. Como eu falei, vou procurar essa semana.

Cara, seu problema não é algo apenas amoroso, você tem que parar um pouco de pensar em relacionamentos e fazer como ela fez, refletir, colocar tudo de lado e seguir em frente.

Nunca fique enrolando coisas na vida, pois não dá pra saber o dia de amanhã. Meu pai perdeu a oportunidade de emprego da vida dele e hj 40 anos depois ele ainda se arrepende. Minha tia ignorou o amor da vida dela só pq queria se fazer de difícil, o cara desistiu e se casou com outra e minha tia nunca conseguiu superar isso e nunca mais procurou outro relacionamento.

Nada acontece por o acaso. Tudo que entra na sua vida esta entrando por algum motivo.

Eu sei que é difícil pra kct, mas o melhor que você faz é tentar ao máximo seguir em frente. Não converse com essa menina até vc ter cabeça o suficiente pra isso, senão essa sua ferida só vai ficar se abrindo de novo e de novo. Diga isso a ela e não fale mais nada.

Procure um psiquiatra antes, conte pra ele tudo que está acontecendo e peça uma indicação de psicólogo. Isso vai fazer com que alguém possa te ver clinicamente e ver se você está bem o suficiente pra absorver uma terapia, se não ele pode te indicar um remédio. Também é importante que ele te dê essa referência de um psicólogo bom porque o que mais tem é psicólogo lixo. Minha esposa é psicóloga e conheço bem a área, tem muita gente recém formada que não presta e você acaba perdendo tempo.

Enfim, tente viver uma vida mais leve. Quando a gente está desesperado ou passando apertos, tudo parece dar errado ou parece que nada vai dar certo, mas na real tudo vai acontecer no momento certo.
Obrigado pela sua opinião.

Realmente, agora com a cabeça mais fria depois do desabafo aqui, eu concordo que preciso refletir e ver qual é o momento da minha vida e o que se passa. Faz sentido sobre não enrolar na vida, eu estou aprendendo a lição de uma forma não legal, mas ainda é aprendizado.
Tenho um pequeno receio de buscar já um psiquiatra e ter que tomar remédios que possam afetar minha rotina, eu preciso muito estudar e entregar meu trabalho. Assim que eu encaminhar um pouco, vou me sentir mais seguro. Sobre psicologo, é um bom ponto pesquisar bem pra não ir no primeiro e torrar dinheiro e tempo atoa.

Vou procurar respirar fundo e não remoer essa situação. Espero que essa semana seja mais leve e que eu equilibre melhor a situação.
 

illusion1

Life is an illusion.
Registrado
Tenho um pequeno receio de buscar já um psiquiatra e ter que tomar remédios que possam afetar minha rotina, eu preciso muito estudar e entregar meu trabalho. Assim que eu encaminhar um pouco, vou me sentir mais seguro. Sobre psicologo, é um bom ponto pesquisar bem pra não ir no primeiro e torrar dinheiro e tempo atoa.

Vou procurar respirar fundo e não remoer essa situação. Espero que essa semana seja mais leve e que eu equilibre melhor a situação.
Então, é por isso que eu falei que é bom você passar pelo psiquiatra pra ele analisar seu caso. Você não é obrigado a tomar nada, se ele achar que você precisa ele vai conversar com você e você topa se quiser.

Algo que esqueci de te falar, se puder tente fazer um tempinho de academia ou dar uma caminhada na rua. Você vai se sentir melhor, botar stress pra fora e ainda vai cuidar da sua saúde.
 

dkTTTT

The Dark Knight
Registrado
Não sou de postar muito, e passei alguns anos afastado do fórum e também desse tópico em que já aprendi muito, opinei algumas vezes e agora sinto que é minha vez de relatar algo. (aviso de walltext)

Entre o Natal e Ano novo, eu li quase 300 páginas em busca de "convivência" e apoio, ver se tinha situações parecidas com a minha e também ver as histórias (particularmente adoro pq sou historiador, mas enfim... sou sofredor do amor e romantismo heheh)

Resuminho do antes (2013- 2015/16): tive um primeiro namoro sério de apresentar a moça pra família, fazer planos, estava em vias de noivar, e fim, tudo terminou por N razoes, infantilidades de ambas as partes, mas por fim, traição por parte dela duas vezes, e aí foi a gota d'água), depois foi o sofrimento, e ela tentando voltar, eu não quis e ela desistiu, aí depois eu quis e soube que ela noivou, e minha vida foi ladeira a baixo nos relacionamentos, nunca mais confiei e acreditei, tive algumas ficadas/sexo mas casual, eventualmente me apaixonei mas preferi manter amizade do que algo que poderia dar errado no futuro - trauma explicito). E assim fui levando a vida, insistindo nos estudos (pós e atualmente mestrado), lazer etc. enfim... (a parte de relacionamentos eu fiquei muito, muito pessimista e não confiei mais em ninguém, nunca mais fui o mesmo, guardei meus sentimentos não sei aonde, virei um sem coração - nunca prejudiquei ninguém nem nada do tipo, apenas era sem sentimento algum)

Chegamos em agosto de 2018, eis que no aplicativo "adoteumcara" eu encontrei uma menina relativamente bonita, da mesma área que eu, e as conversas foram ótimas, as ideias batiam, marcamos de sair e foi muito bom e divertido, parecia que nos conhecíamos ha tempos. No final do encontro (barzinho calmo, porções e refri/cerveja), nos despedimos e ela disse que eu poderia beija-la, e aí ficamos... A partir de então conversávamos todos os dias, e marcamos algumas vezes mais de sair.. (nesse ano eu trabalhei em shopping e era um horário da tarde/noite e era difícil eu ter tempo, pois precisava estudar e ela também) e a coisa foi engatando, enfim.. a questão é que eu não queria me apaixonar nem nada, mas tava sendo ótimo ter alguém pra sair e dividir o cotidiano, não achava ela a pessoa mais linda do mundo (o famoso não faz meu tipo, não é feia mas ok), nem nada, apenas estava sendo legal. A questão é que ela começou a gostar de mim de verdade, eu senti isso mas fui levando "em banho maria, empurrando com as coxas" (eu sei que foi muito errado, mas eu esperava que nascesse em mim o mesmo sentimento, ficava analisando n possibilidades e pensando se seria um futuro legal, etc) Chegamos a viajar pra apresentar trabalhos acadêmicos, foi muito bom.

detalhe importante: eu sempre tive bloqueio familiar para tratar desses assuntos, sempre fui tímido por ter irmãs ciumentas e mãe também (que é incherida e não respeita muito minha intimidade/privacidade, mas não culpo, mãe é mãe), e também sempre levei a questão de relacionamento a sério, tinha jurado que só apresentaria pra família aquela pessoa que eu soubesse que fosse a certa e pra vida toda, enfim) e aí que pra eu sair eu sempre dou uma desculpa, etc, mas jamais revelei a existência dela pra minha família (sim, eu sei que isso é um problema que eu devo tratar, mas não sei como - e isso que começou a desandar as coisas)

2019 = o lugar que eu trabalhava fechou, e aí todos foram mandados embora, a sorte é que eu consegui bolsa da universidade pra me dedicar aos estudos, e aí eu consegui mais tempo, o que foi bom, eu realmente precisava. Enfim, por isso a convivência tbm facilitou (mesmo ela morando na região metropolitana). Chegamos a viajar pra apresentar trabalhos acadêmicos e passamos 1 semana num hotel e foi ótima a experiencia. Só que nessa altura, fui percebendo que as cosias estavam ficando sérias.. e aí eu sabia que precisava tomar uma atitude mas não me decidia, e aí ela também começou a falar sobre isso algumas vezes e disse que não era pra eu esperar tanto pra pedir ela em namoro e oficializar tudo.... e eu sempre dava um jeito de jogar pra frente, pois não sabia o que queria nem como lidar com isso (o que é bem estranho, pensando agora, e muito errado da minha parte, eu admito e assumo toda a culpa - como verão mais adiante), e também meu mestrado estava muito complicado e eu quase desisti, enfim.... um detalhe importante é que ela sempre me chamava pra sair e fazer coisas, e eu não queria, ou estava ocupado estudando ou então surgia alguma coisa que tinha que cancelar). O fato é que agora mais pro fim do ano eu comecei a dar conta de que eu gostava ela e que iria arriscar e namorar com ela (pois já conhecia a família dela, fui em aniversário, churrasco, só que mais como amigo da família, só a irma dela sabia que estávamos nessa relação, a mãe dela desconfiava). Aí o plano era chamar ela pra passar o natal com minha família, apresentar e já pedir ela em namoro e assumir tudo! porém ela ia passar com a família dela, e aqui iriamos receber visitas de parentes que estavam viajando por motivo de luto, e aí ficou esquisito eu eu achei melhor adiar.

Após o Natal ela viajou para a praia com a família e amigos da família e disse que ficava até dia 31 - e não me chamou, o que achei meio estranho mas ok né? - só que aí eu percebi que ela pouco falava comigo, disse que o sinal de internet era ruim na praia (e realmente é, pra quem vai pro litoral do paraná-sc sabe), e aí por dentro eu comecei a sentir uma saudade dela e comecei a remoer tudo isso, e vim aqui pro fórum pra ler esse tópico e tal..) aí ela me contou que iria passar o ano novo lá, e aí no ano novo mandei mensagem na hora da virada etc, e ela só me respondeu no dia seguinte, de forma normal sabe, sem aquele carinho especial que a gente percebe? Aí eu notei que ela estava diferente... e disse que voltaria alguns dias depois, pois queria aproveitar a praia e refletir na vida...

Quando ela voltou, continuamos a conversar, porém eu sentia que estava diferente e aí ela disse que precisava conversar comigo pessoalmente. Aí eu concordei, falei que também queria - a minha ideia era nessa conversa me abrir com ela, dizer tudo o que sentia e o que eu queria era uma chance pra gente namorar mesmo (como presente de natal ela brincou dizendo que queria namorar cmg- por isso eu pensei naquela surpresa que citei anteriormente. Enfim, só que essa conversa era pra ter sido marcada e não aconteceu... e ela já estava com a postura diferente, eu sabia que ela tinha mudado e que era sério o negócio. aí como eu sou super curioso e ansioso, comecei a jogar uns verdes por whatsapp, e foi indo indo, até que essa semana, quarta-feira, ela acabou abrindo o jogo pelo whatsapp mesmo. E foi aquilo que eu mais temia então: ela admitiu que durante esse fim de ano ela pensou em toda nossa convivência e que foi 1 ano e alguns meses assim e ela não suportava mais essa situação em que um mundo dela eu fazia parte, era como namorado,e no meu mundo ela quase não existia, minha família nem sabe dela nem nada, alem de uma unica amiga minha que encontramos num rolê uma vez. Ela comentou que sofreu algumas vezes por isso e precisava cuidar da saúde emocional e seguir a vida. Ela não foi rude nem ficou com raiva de mim e também se preocupou muito em como eu ia receber essa noticia e se desculpou muito - ela sempre foi muito educada, meiga e sincera e sempre quis meu bem -. Enfim, eu expus minhas ideias e tudo, só que já é tarde. Essa situação veio como um soco no meu peito e me derrubou, me deixou muito mal, porque me fez cair a ficha e perceber que eu gostava muito mais dela do que eu imaginava, e aí eu comecei a remoer tudo, pensar em todas as minhas atitudes e faltas delas, enfim, um sentimento profundo de culpa e remorso, pois eu sei que fui muito covarde e "gastei" esse tempo da vida dela, onde ela fez N coisas pra me conquistar e me tratar bem, me deu inúmeros apoios com estudos, e me ajudou a superar meu trauma com ex relacionamento.

Pra resumir: eu não consigo fazer mais nada além de ficar pensando nisso, to com aquele sentimento de luto, e fico me lamentando por dentro. Ela disse que quer muito minha amizade e que não é pra eu ficar mal, e que somos amigos e que posso contar com ela sempre. Ela é super madura nesse sentido, me deu apoio e se preocupa comigo. Nos falamos pouco desde então, e todas as vezes eu tentei explicar como me sinto, e o que eu quero, só que ela disse que o tempo nosso já passou e que ela precisa aprender a ficar sozinha - pois saiu de um noivado em que a relação era de 9 anos. Eu perguntei se ainda teria alguma chance no futuro e ela disse que não sabe, e que quer ficar sozinha por enquanto. E também tentou me dar apoio e tal..

Eu estou péssimo, pois agora veio tudo a tona e eu quero restaurar essa relação e tentar. Eu tive que perder pra perceber o que tinha e dar valor. Estou cogitando apoio psicológico pois também estou com problemas com o estudo, estou desmotivado e infeliz.

Gostaria de saber a opinião dos colegas sobre tudo isso e o que fazer pra tentar uma chance com ela, e aceito todas as críticas.
Cara, passei por algo extremamente parecido, só q quem fez o seu papel na história foi a patroa.

Se ela te disse q o tempo de vcs passou, não insista. Quanto mais vc insistir, mais incômodo será para ela. Deixe fluir naturalmente, e leve a sua vida como vc levava antes dela, digo, ocupe o seu tempo com o que vc fazia antes de conhecê-la. Se serve como consolo, vc sairá bem mais experiente dessa situação e futuramente verá como foi uma parte importante da sua vida.
 

TImelo_Rego

New Member
Registrado
Então, é por isso que eu falei que é bom você passar pelo psiquiatra pra ele analisar seu caso. Você não é obrigado a tomar nada, se ele achar que você precisa ele vai conversar com você e você topa se quiser.

Algo que esqueci de te falar, se puder tente fazer um tempinho de academia ou dar uma caminhada na rua. Você vai se sentir melhor, botar stress pra fora e ainda vai cuidar da sua saúde.
Entendi o lance da psiquiatria, agora estou mais aliviado. Vou procurar um profissional.

Sobre a academia, coincidentemente eu comecei faz duas semanas, tento por questão de necessidade à saúde, quanto por estética e meta pra 2020.

Cara, passei por algo extremamente parecido, só q quem fez o seu papel na história foi a patroa.

Se ela te disse q o tempo de vcs passou, não insista. Quanto mais vc insistir, mais incômodo será para ela. Deixe fluir naturalmente, e leve a sua vida como vc levava antes dela, digo, ocupe o seu tempo com o que vc fazia antes de conhecê-la. Se serve como consolo, vc sairá bem mais experiente dessa situação e futuramente verá como foi uma parte importante da sua vida.
É, eu acho que realmente não tenho muito o que fazer a não ser seguir a vida. Pensando com mais calma, também devo respeito afetivo a ela, entender a necessidade e decisão dela, visto que ela também sofreu ao longo da relação e viu que não estava sendo saudável pra ela. Preciso deixar ela seguir a vida também.

O triste é a sensação de voltar a estaca zero como se fosse o tempo antes de conhecer ela... é difícil a sensação de vazio e solidão/solteiro e e sentir que estou envelhecendo.
 

Peanuts

.... +_+ ....
Registrado
Não sou de postar muito, e passei alguns anos afastado do fórum e também desse tópico em que já aprendi muito, opinei algumas vezes e agora sinto que é minha vez de relatar algo. (aviso de walltext)

Entre o Natal e Ano novo, eu li quase 300 páginas em busca de "convivência" e apoio, ver se tinha situações parecidas com a minha e também ver as histórias (particularmente adoro pq sou historiador, mas enfim... sou sofredor do amor e romantismo heheh)

Resuminho do antes (2013- 2015/16): tive um primeiro namoro sério de apresentar a moça pra família, fazer planos, estava em vias de noivar, e fim, tudo terminou por N razoes, infantilidades de ambas as partes, mas por fim, traição por parte dela duas vezes, e aí foi a gota d'água), depois foi o sofrimento, e ela tentando voltar, eu não quis e ela desistiu, aí depois eu quis e soube que ela noivou, e minha vida foi ladeira a baixo nos relacionamentos, nunca mais confiei e acreditei, tive algumas ficadas/sexo mas casual, eventualmente me apaixonei mas preferi manter amizade do que algo que poderia dar errado no futuro - trauma explicito). E assim fui levando a vida, insistindo nos estudos (pós e atualmente mestrado), lazer etc. enfim... (a parte de relacionamentos eu fiquei muito, muito pessimista e não confiei mais em ninguém, nunca mais fui o mesmo, guardei meus sentimentos não sei aonde, virei um sem coração - nunca prejudiquei ninguém nem nada do tipo, apenas era sem sentimento algum)

Chegamos em agosto de 2018, eis que no aplicativo "adoteumcara" eu encontrei uma menina relativamente bonita, da mesma área que eu, e as conversas foram ótimas, as ideias batiam, marcamos de sair e foi muito bom e divertido, parecia que nos conhecíamos ha tempos. No final do encontro (barzinho calmo, porções e refri/cerveja), nos despedimos e ela disse que eu poderia beija-la, e aí ficamos... A partir de então conversávamos todos os dias, e marcamos algumas vezes mais de sair.. (nesse ano eu trabalhei em shopping e era um horário da tarde/noite e era difícil eu ter tempo, pois precisava estudar e ela também) e a coisa foi engatando, enfim.. a questão é que eu não queria me apaixonar nem nada, mas tava sendo ótimo ter alguém pra sair e dividir o cotidiano, não achava ela a pessoa mais linda do mundo (o famoso não faz meu tipo, não é feia mas ok), nem nada, apenas estava sendo legal. A questão é que ela começou a gostar de mim de verdade, eu senti isso mas fui levando "em banho maria, empurrando com as coxas" (eu sei que foi muito errado, mas eu esperava que nascesse em mim o mesmo sentimento, ficava analisando n possibilidades e pensando se seria um futuro legal, etc) Chegamos a viajar pra apresentar trabalhos acadêmicos, foi muito bom.

detalhe importante: eu sempre tive bloqueio familiar para tratar desses assuntos, sempre fui tímido por ter irmãs ciumentas e mãe também (que é incherida e não respeita muito minha intimidade/privacidade, mas não culpo, mãe é mãe), e também sempre levei a questão de relacionamento a sério, tinha jurado que só apresentaria pra família aquela pessoa que eu soubesse que fosse a certa e pra vida toda, enfim) e aí que pra eu sair eu sempre dou uma desculpa, etc, mas jamais revelei a existência dela pra minha família (sim, eu sei que isso é um problema que eu devo tratar, mas não sei como - e isso que começou a desandar as coisas)

2019 = o lugar que eu trabalhava fechou, e aí todos foram mandados embora, a sorte é que eu consegui bolsa da universidade pra me dedicar aos estudos, e aí eu consegui mais tempo, o que foi bom, eu realmente precisava. Enfim, por isso a convivência tbm facilitou (mesmo ela morando na região metropolitana). Chegamos a viajar pra apresentar trabalhos acadêmicos e passamos 1 semana num hotel e foi ótima a experiencia. Só que nessa altura, fui percebendo que as cosias estavam ficando sérias.. e aí eu sabia que precisava tomar uma atitude mas não me decidia, e aí ela também começou a falar sobre isso algumas vezes e disse que não era pra eu esperar tanto pra pedir ela em namoro e oficializar tudo.... e eu sempre dava um jeito de jogar pra frente, pois não sabia o que queria nem como lidar com isso (o que é bem estranho, pensando agora, e muito errado da minha parte, eu admito e assumo toda a culpa - como verão mais adiante), e também meu mestrado estava muito complicado e eu quase desisti, enfim.... um detalhe importante é que ela sempre me chamava pra sair e fazer coisas, e eu não queria, ou estava ocupado estudando ou então surgia alguma coisa que tinha que cancelar). O fato é que agora mais pro fim do ano eu comecei a dar conta de que eu gostava ela e que iria arriscar e namorar com ela (pois já conhecia a família dela, fui em aniversário, churrasco, só que mais como amigo da família, só a irma dela sabia que estávamos nessa relação, a mãe dela desconfiava). Aí o plano era chamar ela pra passar o natal com minha família, apresentar e já pedir ela em namoro e assumir tudo! porém ela ia passar com a família dela, e aqui iriamos receber visitas de parentes que estavam viajando por motivo de luto, e aí ficou esquisito eu eu achei melhor adiar.

Após o Natal ela viajou para a praia com a família e amigos da família e disse que ficava até dia 31 - e não me chamou, o que achei meio estranho mas ok né? - só que aí eu percebi que ela pouco falava comigo, disse que o sinal de internet era ruim na praia (e realmente é, pra quem vai pro litoral do paraná-sc sabe), e aí por dentro eu comecei a sentir uma saudade dela e comecei a remoer tudo isso, e vim aqui pro fórum pra ler esse tópico e tal..) aí ela me contou que iria passar o ano novo lá, e aí no ano novo mandei mensagem na hora da virada etc, e ela só me respondeu no dia seguinte, de forma normal sabe, sem aquele carinho especial que a gente percebe? Aí eu notei que ela estava diferente... e disse que voltaria alguns dias depois, pois queria aproveitar a praia e refletir na vida...

Quando ela voltou, continuamos a conversar, porém eu sentia que estava diferente e aí ela disse que precisava conversar comigo pessoalmente. Aí eu concordei, falei que também queria - a minha ideia era nessa conversa me abrir com ela, dizer tudo o que sentia e o que eu queria era uma chance pra gente namorar mesmo (como presente de natal ela brincou dizendo que queria namorar cmg- por isso eu pensei naquela surpresa que citei anteriormente. Enfim, só que essa conversa era pra ter sido marcada e não aconteceu... e ela já estava com a postura diferente, eu sabia que ela tinha mudado e que era sério o negócio. aí como eu sou super curioso e ansioso, comecei a jogar uns verdes por whatsapp, e foi indo indo, até que essa semana, quarta-feira, ela acabou abrindo o jogo pelo whatsapp mesmo. E foi aquilo que eu mais temia então: ela admitiu que durante esse fim de ano ela pensou em toda nossa convivência e que foi 1 ano e alguns meses assim e ela não suportava mais essa situação em que um mundo dela eu fazia parte, era como namorado,e no meu mundo ela quase não existia, minha família nem sabe dela nem nada, alem de uma unica amiga minha que encontramos num rolê uma vez. Ela comentou que sofreu algumas vezes por isso e precisava cuidar da saúde emocional e seguir a vida. Ela não foi rude nem ficou com raiva de mim e também se preocupou muito em como eu ia receber essa noticia e se desculpou muito - ela sempre foi muito educada, meiga e sincera e sempre quis meu bem -. Enfim, eu expus minhas ideias e tudo, só que já é tarde. Essa situação veio como um soco no meu peito e me derrubou, me deixou muito mal, porque me fez cair a ficha e perceber que eu gostava muito mais dela do que eu imaginava, e aí eu comecei a remoer tudo, pensar em todas as minhas atitudes e faltas delas, enfim, um sentimento profundo de culpa e remorso, pois eu sei que fui muito covarde e "gastei" esse tempo da vida dela, onde ela fez N coisas pra me conquistar e me tratar bem, me deu inúmeros apoios com estudos, e me ajudou a superar meu trauma com ex relacionamento.

Pra resumir: eu não consigo fazer mais nada além de ficar pensando nisso, to com aquele sentimento de luto, e fico me lamentando por dentro. Ela disse que quer muito minha amizade e que não é pra eu ficar mal, e que somos amigos e que posso contar com ela sempre. Ela é super madura nesse sentido, me deu apoio e se preocupa comigo. Nos falamos pouco desde então, e todas as vezes eu tentei explicar como me sinto, e o que eu quero, só que ela disse que o tempo nosso já passou e que ela precisa aprender a ficar sozinha - pois saiu de um noivado em que a relação era de 9 anos. Eu perguntei se ainda teria alguma chance no futuro e ela disse que não sabe, e que quer ficar sozinha por enquanto. E também tentou me dar apoio e tal..

Eu estou péssimo, pois agora veio tudo a tona e eu quero restaurar essa relação e tentar. Eu tive que perder pra perceber o que tinha e dar valor. Estou cogitando apoio psicológico pois também estou com problemas com o estudo, estou desmotivado e infeliz.

Gostaria de saber a opinião dos colegas sobre tudo isso e o que fazer pra tentar uma chance com ela, e aceito todas as críticas.
passou, velho... não insista e nem force a barra... pior coisa é se fazer de coitado pra pessoa ficar com você por pena... fica o aprendizado e os bons sentimentos...

se tiver que conversar com ela, fale sobre coisas que não envolva essa situação... coisas divertidas, papo descontraído... se tu não consegue, não perturbe a guria de modo algum... vai ficar ruim pra ambos... se ela não quiser papo algum, respeite e deixe essa situação quieta por um tempo... é o melhor que tu faz...

se precisar, procure ajuda médica...

não fique com esperanças e nem nada do tipo... se for pra rolar de novo, vai acontecer naturalmente...

:thatfeel:

P.S.: novamente, não force a barra...

:thatfeel:
 

Usuários que estão vendo esse Tópico (Users: 0, Guests: 12)

Topo