Detalhes da Licitação dos Helicópteros de Ataque e Transporte da FAB

San Andreas

New Member
Registrado
Defesa - Defense

Defesanet - 26 Outubro 2007

Licitação de Helicópteros: Ataque e Transporte

Nelson During


O governo abriu uma licitação para a aquisição de dois lotes de helicópteros: um de transporte e outro de ataque. Esperada para o fim do ano de 2006 a licitação saiu agora. Os documentos do RFP (Request for Proposal) foram entregues pelos competidores à FAB, no dia 15 de Outubro.

Essa licitação que vinha gerando uma surda batalha, desde os primeiros movimentos, no final de 2006, atrai os holofotes não somente pela compra em si, mas pelo que sinalizará para as demais licitações dentro dos diversos Programas de Modernização da Forças Armadas prometido para o segundo mandato do Governo Luiz Inácio.

Após o fiasco internacional do Programa F-X, o Comando da Aeronáutica, o Ministério da Defesa e em especial o terceiro andar do Palácio do Planalto devem levar a um porto seguro o processo, que está em curso.


A Licitação​


A presente licitação segue um caminho diferente até então adotada pela FAB ao colocar como órgão que a gerenciará o Centro Logístico da Aeronáutica (CELOG),sediado em São Paulo, ligado ao Comando-Geral de Apoio (COMGAP), e não a um órgão como a COPAG ligado ao DEPED.

Com as saídas do Ministro Luiz Furlan, do Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, grande incentivador de uma compra direta de helicópteros russos, em troca por carne de frango, e do Comandante da Aeronáutica Brigadeiro Silva Bueno, acreditava-se como morta a presente licitação.

Porém no segundo semestre de 2007 ela ressurgiu via o COMGAP e em tempo recorde foi lançado o RFI (Request for Information) e o RFP (Request for Proposal).

No dia 15 de Outubro foram entregues as propostas de três fabricantes estrangeiros às duas licitações.


Os Modelos​


Os modelos oferecidos pelas empresas que responderam ao RFP foram: Eurocopter (Alemanha-França), AgustaWestland (Itália) e Rosoboronexport (Rússia), e os modelos são os seguintes:





Aqui a vantagem aparente é da Rosoboronexport que oferece um modelo de custo mais baixo do que seus concorrentes. Em especial a Eurocopter que teve de oferecer um modelo de maior capacidade de carga e mais avançado, o EC-725 é a última versão do Cougar, e a versão C-SAR, chamada Caracal, está operando no Afeganistão com as Forças Especiais Francesas. O Cougar está em operação pelo Exército Brasileiro.

Outro ponto é que a versão civil do Mi-171V já está certificado para operar no país desde Junho de 2005 em operações off-shore.





A AgustaWestland propôs um mix de modelos o leve AW109LUH, de menor custo, com um sistema de armas flexível e o conhecido AW129 (anteriormente conhecido como Mangusta), mais caro, em operação no Exército Italiano. A oferta pode ser um mix dos dois helicópteros ou um modelo somente.

A Rússia apresentou o conhecido Mi-35M.

A Eurocopter apresentou o mais caro de todos os modelos de helicópteros de ataque oferecidos, o Tigre/Tiger, que está sendo fornecido para vários países europeus (Alemanha, França e Espanha) e a Austrália.


Detalhes​


Uma análise preliminar sobre os possíveis custos dos modelos oferecidos indica um vencedor, a Rosoboronexport. Porém os outros dois fabricantes mostram confiança no seu conjunto de propostas industriais.

Podermos ter finalmente uma presença mais atuante do Grupo italiano Finmeccanica que é a Holding da AgustaWestland.

O mesmo para a Eurocopter, que tem uma fábrica no Brasil, a Helibrás, em Itajubá (MG) e a EADS, sua Holding, já atua no Brasil já há bastante tempo.

Os representantes das empresas foram módicos nas palavras. O representante da Rosoboronexport no Brasil não quis dar detalhes da oferta, nem confirmar os modelos oferecidos pela sua empresa.

O representante da AgustaWestland, Comandante (R1) Roberto Duhá, mencionou a presença forte do modelo leve biturbina AW109, que deverá ter 85 unidades operando no mercado civil do Brasil, até 2010. O helicóptero EH101 Merlin já foi demonstrado para a Marinha do Brasil em anos recentes.

Eduardo Marson, Gerente Geral da EADS no Brasil , lembra a forte presença do grupo no Brasil, a Helibras e a próxima transferência da produção de estruturas de material composto para o país. As três forças militares usam modelos de helicópteros produzidos pela Eurocopter, sendo alguns produzidos no Brasil.


O Futuro​


As perspectivas da licitação estão em uma zona cinza já que o Ministro da Defesa menciona de que qualquer compra militar o item de "Transferência de Tecnologia" será fundamental e que nenhuma aquisição da área de defesa será feita antes de apresentado o Plano Nacional Estratégico de Defesa, previsto para Setembro de 2008.

A quantidade de helicópteros a ser adquirida é de 10-12 unidades em cada modelo (ataque e transporte), porém pode ser reduzido se o custo for maior do que o esperado. A verba disponível é de 300-400 milhões de dólares. Não há notícias sobre os meios de financiamento dessas licitações.

A definição de a FAB adquirir um helicóptero de ataque, e não tradicionalmente o Exército como ocorre na maioria dos países está nas palavras do então Comandante-Geral do Ar, Brigadeiro J. Carlos em entrevista a [email protected], em 2003, ao detalhar o perfil de operações futuras da FAB.

A definição das licitações de ambos os modelos de helicópteros está prevista para Março de 2008.




 

San Andreas

New Member
Registrado
América Latina - Latin America
Defesanet 30 Outubro 2007
BBC Brasil 30 Outubro 2007


Tambores de Guerra


Clarin: Brasil alimenta corrida armamentista na AL
Para 'Clarín', país embarca em movimento liderado por Chile e Venezuela na região.


(Texto original do Clarin: Brasil duplica el gasto militar para recuperar su poder regional)



O Brasil faz parte dos países latino-americanos que alimentam uma nova corrida armamentista na região, afirma nesta terça-feira uma reportagem do jornal argentino Clarín.

O diário de Buenos Aires dedica dois textos à analise do que chama de "indícios de uma incipiente corrida armamentista na América Latina", incluindo a duplicação do gasto militar brasileiro.

Por trás do aumento das despesas com armas está um desejo dos militares brasileiros de recuperar um "atraso militar" em relação aos países vizinhos, afirma a correspondente do jornal no Brasil.

"O plano é aumentar o potencial militar brasileiro de 'dissuasão' e, ao mesmo tempo, vincular o rearmamento ao desenvolvimento da indústria nacional", afirma a repórter.

"Isto explica que o novo orçamento militar seja o mais generoso entre os já enviados (ao Congresso) durante os cinco anos de Presidência de Lula."

Citado na matéria, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, diz que o Brasil não tem planos "expansionistas". O Clarín nota ainda que o rearmamento do país encontra apoio consensual entre partidários de todo o espectro político, da direita à esquerda.

Em uma análise regional, o diário argentino contextualiza a elevação do gasto militar brasileiro. Diz que o país está ao lado de Venezuela, Colômbia e Chile como um dos países que alimentam a corrida armamentista na região.

Um estudo de 2005 citado pelo jornal diz que o Chile liderou a corrida naquele ano, gastando US$ 2,78 bilhões em despesas militares, seguido pela Venezuela (US$ 2,2 bilhões) e o Brasil (US$ 1,34 bilhão).

"A Venezuela, que comprou desde aviões de combate até submarinos - invocando o risco de uma intervenção militar dos Estados Unidos - é o caso mais citado, mas não o único nem o menor", escreve o analista do Clarín.

"A sobrevivência de antigos conflitos não-resolvidos na região faz pensar que o país poderia resistir à tentação de se rearmar se um ou mais vizinhos o fizer."
 

Nai

-
Registrado
A definição de a FAB adquirir um helicóptero de ataque, e não tradicionalmente o Exército como ocorre na maioria dos países está nas palavras do então Comandante-Geral do Ar, Brigadeiro J. Carlos em entrevista a [email protected], em 2003, ao detalhar o perfil de operações futuras da FAB.
Fui da euforia ao desespero total com isso.

Só a FAB ?

E a Aviação do Exército ? Já possuímos helicóptero de ataque,por que então não nos armar melhor ?

É brincadeira isso viu,agora a FAB vai ter que criar um escola de aviação de caça enquanto o EB já possui.

Para compensar isso só com a reativação da Engesa e a compra de alguns Mi-17s e seus 36 homens de capacidade,seria ótimo para as nossas aerotransportadas !

Ka-50 pro EB !!

Edit:
O representante da AgustaWestland, Comandante (R1) Roberto Duhá, mencionou a presença forte do modelo leve biturbina AW109, que deverá ter 85 unidades operando no mercado civil do Brasil
Só não entendi isso !
 

bsl

Usuário Não Registrado
Registrado
É, vamos esperar que nao parem por ai viu... aquele Mi-35 é o bicho!
 
F

Flanker

Guest
Será que eu sou o unico que nao gostou desta noticia?

Esta claro que esta concorrencia esta com cartas marcadas, os russos estao sendo favorecidos e a escolha foi feita pelo pessoal da area economica sem nenhum criterio tecnico, nem ouviram a Fab e o EB

A Fab nao precisa de helicopteros de ataque, nem tem doutrina para isso pois nao é a funçao dela , o correto é que sejam para o exercito


O que a Fab precisa é de mais helicopteros de tranportes medios , mas nao de outro fornecedor como os russos, pois vai criar problemas de ordem logistica, ja temos Black Hawk e os Cougar

Se fosse alguns helicopteros pesados tudo bem, tipo o MI-26

MI-35 é de um projeto mais velho que a minha avó

A helibras que fabrica para a eurocopter poderia muito bem contruir o Tiger


E os argentinos nao sabem o que falam, o que esta acontecendo é apenas uma procura normal por equipamentos novos para trocar a velharia, o que esta longe de caracterizar uma corrida armamentista encabeçada pelo Brasil
 

San Andreas

New Member
Registrado
Será que eu sou o unico que nao gostou desta noticia?

Esta claro que esta concorrencia esta com cartas marcadas, os russos estao sendo favorecidos e a escolha foi feita pelo pessoal da area economica sem nenhum criterio tecnico, nem ouviram a Fab e o EB

A Fab nao precisa de helicopteros de ataque, nem tem doutrina para isso pois nao é a funçao dela , o correto é que sejam para o exercito


O que a Fab precisa é de mais helicopteros de tranportes medios , mas nao de outro fornecedor como os russos, pois vai criar problemas de ordem logistica, ja temos Black Hawk e os Cougar

Se fosse alguns helicopteros pesados tudo bem, tipo o MI-26

MI-35 é de um projeto mais velho que a minha avó

A helibras que fabrica para a eurocopter poderia muito bem contruir o Tiger


E os argentinos nao sabem o que falam, o que esta acontecendo é apenas uma procura normal por equipamentos novos para trocar a velharia, o que esta longe de caracterizar uma corrida armamentista encabeçada pelo Brasil
Tambem acho que o governo vai escolher os helis russos por motivos ideologicos

Uma força aerea operar helicopteros de transporte é normal (assim como a marinha), mas operar helicopteros para destruir tanques é fora do comum.

Quanto aos BlackHawk da FAB, eles já chegaram, mas não sei se estão operacionais




Força Aérea Brasileira

Defesanet 26 Julho 2006

FAB 26 Julho 2006

CECOMSAER



Começam os trabalhos de recebimento do primeiro helicóptero BlackHawk


O primeiro helicóptero BlackHawk adquirido pelo Governo Brasileiro destinado à Força Aérea Brasileira pousou as 10h18 (hora local) do dia 24 de julho, no aeroporto de Huntsville, proveniente do Redstone Arsenal, em Alabama, nos Estados Unidos.

A aeronave era aguardada por militares do 7°/8° Grupo de Aviação, por membros da Comissão de Fiscalização e Recebimento de Material (COMFIREM), e por representantes do governo americano.

A aeronave de matrícula FAB 8901 estará nos próximos dias envolvida no processo de inventário dos itens, bem como registro e verificação de toda a documentação pertinente.

A partir do dia 26 de julho ocorrerá a cerimônia oficial de entrega do novo helicóptero pelo governo americano à Força Aérea Brasileira.

O lote de helicópteros BlackHawk foi adquirido pela FAB por meio do sistema de gerenciamento de compras adotado pelos EUA, também conhecido como FMS (Foreign Military Sales). O programa é um instrumento do governo americano e a economia é considerada como maior vantagem para a aquisição de material e serviços, além de contar com o apoio de toda estrutura logística das Forças Armadas americanas.

Após o processo de recebimento da aeronave, a tripulação do 7°/8° Grupo de Aviação realizará o vôo de traslado passando pelos estados do Alabama, Georgia e Flórida, nos Estados Unidos, além de cruzar todo o mar do Caribe.

O pouso da aeronave na Base Aérea de Manaus está previsto para a primeira semana de agosto.




 

BlackBurN

Gamer
Registrado
sem nocao esse brasil...


é muito simples pow.......... compra alguns BlackHawk para transporte de tropas especiais...... e alguns Tiger para ataque.....

isso para o EB

para a FAB, tem q comprar primeiro é caças decentes........depois renovar a frota de helicopteros.
 
F

Flanker

Guest
Tambem acho que o governo vai escolher os helis russos por motivos ideologicos

Uma força aerea operar helicopteros de transporte é normal (assim como a marinha), mas operar helicopteros para destruir tanques é fora do comum.

Quanto aos BlackHawk da FAB, eles já chegaram, mas não sei se estão operacionais




QUOTE]


Pois é, o que se cogita é um segundo lote de Blackhawks, o primeiro ja esta operacional, participaram inclusive das operaçoes no acidente da Gol

É um excelente helicoptero e se adaptou muito bem a amazonia

Acompra de helicopteros russos esta relacionado ao equilibrio da balança comercial com os mesmos, ou seja foi/será uma descisao economica/politica

Se fossem os Mi-28N de ataque para o EB, tudo bem, mas Mi-35 e para Fab?


Agora, para morrer de inveja, olhem as compras do tio chaves

http://www.fav-club.com/favclubnews.htm
 

Nai

-
Registrado
Mas será mesmo que esses helicópteros vão para a FAB ?

E o projeto FX2 ?

Ainda não acredito que a FAB terá esses caças superiories em CAS e o EB ficará apenas com com o Esquilo e algumas metralhadoras axiais.

Isso só vai incrementar a disputa entre as forças que já é grande.
 

Nai

-
Registrado
Agora, para morrer de inveja, olhem as compras do tio chaves

http://www.fav-club.com/favclubnews.htm
Até hovercraft ... lol !

Sabia que o hermano lá estava se armando,mas não sabia que era de tudo um pouco.

PS:

Repara nos 'Zapadores Anfibios' deles,sei lá viu,mas não dou nada para uma unidade que camufla o rosto do jeito mais simples possível e esquece do pescoço todo dando aquele contraste,ainda mais depois de conhecer os nossos COMANFs.
 
F

Flanker

Guest
Mas será mesmo que esses helicópteros vão para a FAB ?

E o projeto FX2 ?

Ainda não acredito que a FAB terá esses caças superiories em CAS e o EB ficará apenas com com o Esquilo e algumas metralhadoras axiais.

Isso só vai incrementar a disputa entre as forças que já é grande.

A Fab pode fazer o apoio aereo com os A--29 equipados com pods, nao precisa de helicopteros de ataque

Ja o exercito e o Corpo de fuzileiros precisam de helicopteros de ataque "puro", o esquilo é fraquinho

Lembre-se a doutrina operacional de "Aviaçao de Exercito" é completamente diferente de uma força aerea, a aviaçao do exercito sempre procura operar proxima das forças aliadas e das forças inimigas, ela tem que voar baixo e rasteiro acompanhando, dando suporte de fogo e atacando os alvos importantes

Ja os helicopteros da força aerea que tem outra missao precisam operar de um local seguro e longe das forças inimigas, ou seja precisam do suporte de uma base aerea

Entao nao faz sentido militar nenhum a FAB operar helicopteros de ataque
 

Nai

-
Registrado
A Fab pode fazer o apoio aereo com os A--29 equipados com pods, nao precisa de helicopteros de ataque

Ja o exercito e o Corpo de fuzileiros precisam de helicopteros de ataque "puro", o esquilo é fraquinho

Lembre-se a doutrina operacional de "Aviaçao de Exercito" é completamente diferente de uma força aerea, a aviaçao do exercito sempre procura operar proxima das forças aliadas e das forças inimigas, ela tem que voar baixo e rasteiro acompanhando, dando suporte de fogo e atacando os alvos importantes

Ja os helicopteros da força aerea que tem outra missao precisam operar de um local seguro e longe das forças inimigas, ou seja precisam do suporte de uma base aerea

Entao nao faz sentido militar nenhum a FAB operar helicopteros de ataque
Verdade,nesse momento estou voando com o A-29 no FS9 sobrevoando a Amazonia,e para o que ele foi projetado funciona melhor que qualquer helicóptero.

CAS (Close Air Suport) é tão importando para o EB quanto os Mirages,Tigers e talvez Rafales são para a FAB.

O EB precisa muito mais de suporte aéreo,rasteiro como mesmo disse que a FAB,mas se querem tanto algo nesse patamar,porque não o A-10 então,aeronave feita para CAS e que serveria melhor uma força aérea que um helicóptero.

Deixa cada força com sua função,concorda ?
 
F

Flanker

Guest
Verdade,nesse momento estou voando com o A-29 no FS9 sobrevoando a Amazonia,e para o que ele foi projetado funciona melhor que qualquer helicóptero.

CAS (Close Air Suport) é tão importando para o EB quanto os Mirages,Tigers e talvez Rafales são para a FAB.

O EB precisa muito mais de suporte aéreo,rasteiro como mesmo disse que a FAB,mas se querem tanto algo nesse patamar,porque não o A-10 então,aeronave feita para CAS e que serveria melhor uma força aérea que um helicóptero.

Deixa cada força com sua função,concorda ?
Concordo

Mas, voce disse o A-10 para o exercito?

O A-10 nao "acampa" e nem avança junto com as tropas
Entendeu? Esta é a diferença , helicoptero de ataque é "coisa de exercito"



Com relaçao ao FX2 tá para sair alguma coisa neste proximo ano , fevereiro quem sabe

E quanto as compras da Venezuela, nao acredito que eles vao entrar em guerra conosco, mas armas nao sao apenas para a guerra, sao tambem para os negocios e a politica, portanto se ficarmos para tras nao vamos ter poder de influencia nenhum na nossa regiao

Abraço
 

Nai

-
Registrado
Concordo

Mas, voce disse o A-10 para o exercito?

O A-10 nao "acampa" e nem avança junto com as tropas
Entendeu? Esta é a diferença , helicoptero de ataque é "coisa de exercito"



Com relaçao ao FX2 tá para sair alguma coisa neste proximo ano , fevereiro quem sabe

E quanto as compras da Venezuela, nao acredito que eles vao entrar em guerra conosco, mas armas nao sao apenas para a guerra, sao tambem para os negocios e a politica, portanto se ficarmos para tras nao vamos ter poder de influencia nenhum na nossa regiao

Abraço
Não não,A-10 justamente para a FAB,já que ela quer uma aeronave de caça desse estilo e deixar os helicópteros para o EB mesmo,que é o ideal.

Também acho que não,mas mesmo assim né Flanker,a Europa também achava uns anos atrás.

Senti falta de blindados ? A Venezuela não adquiriu tanques T-xx não ?
 

bsl

Usuário Não Registrado
Registrado
Acho que a FAB deveria prestar mais atenção e comprar novos caças, a Venezuela, com os 24 Sukhoi comprados da Russia tem o poder de fechar a Amazonia e o Brasil ficaria sem nenhuma resposta a esse tipo de ataque, já que o Brasil nao tem caças decentes.

A ideia da Venezuela com a compra de todo esse equipamento bélico é uma questão mais politica, ja que ela não conseguiria no momento ganhar do Brasil, tirando que haveria uma intervenção de outros países que iriam cair matando. Com esse poder militar conquistado através da compra desses materiais bélicos, a Venezuela exigiria um poder politico maior na região, na minha opinião, a intenção dela no momento é conseguir um lugar no Conselho de segurança da ONU.
Quem deveria se preucupar com a Venezuela, na verdade, seria a Guiana e a Colombia. Uma vez que os venezuelanos acham que tem direito a uma parte de dois terços do território total da Guiana (não lembro a razão) e a Colombia, já que os guerrilheiros são FARC são simpáticos as idéias de Hugo Chavez e inimigos do governo Álvaro Uribe.
 

Nai

-
Registrado
O Mi-35 venceu a concorrência da FAB?

A nota saiu no site da Revista ASAS hoje:

Brasil prestes a assinar compra de helicópteros de ataque russos Mi-35
(EXCLUSIVO, da Redação, 12 de Agosto de 2008)


Nas próximas semanas, o Ministério da Defesa do Brasil deverá assinar o contrato de compra de helicópteros de ataque Mil Mi-35, de fabricação russa. A informação foi obtida pela equipe de ASAS junto a fontes não-oficiais de representantes do governo russo e de militares brasileiros.
As duas partes já teriam concluído os termos da negociação, e agora já se estaria nos trâmites finais, de documentação e contrato final. A assinatura pode ocorrer mesmo já na próxima semana. Porém, as fontes ouvidas por ASAS não puderam precisar a quantidade de aeronaves, nem maiores detalhes do acordo.

Não é um anúncio oficial, mas a Asas normalmente tem acertado em suas notícias.

Referência: Revista Asas

vootatico.com
 

Detønatør

Banido
Banido
Com esse poder militar conquistado através da compra desses materiais bélicos, a Venezuela exigiria um poder politico maior na região, na minha opinião, a intenção dela no momento é conseguir um lugar no Conselho de segurança da ONU.

Se fosse por isso a coreia do norte tava com um assento lá né.
eles tem a bomba atomica.

pra sentar no conselho pela "dissuasão" só assustando o EUA+Europa+Russia.

e isso é beeemmm difícil.
 

usucapiao

NON COGITO ERGO SANCTVM
Registrado
Um amigo meu já voou em Blackhawk, ele fez esse vídeo aí.

 

Nai

-
Registrado
Se for verdade mesmo,o Mi-35 ganhou por ser um helicóptero de ataque pesado que pode levar uma tripulação além do piloto e o artilheiro,ideal para as missões de resgate de seus pilotos abatidos atrás das linhas inimigas.

Helicóptero com essa característica só o Mi-35 mesmo,então se veio o Mi,quem sabe não vem o Su.
 

Usuários que estão vendo esse Tópico (Users: 0, Guests: 1)

Topo