Câmara aprova texto base da emenda que libera R$ 24 bi para a saúde

Krato$

New Member
Registrado
Com 291 votos favoráveis, 111 contrários e uma abstenção, a Câmara dos Deputados aprovou hoje o texto base da emenda 29 --que destina recursos para a saúde. A ampliação dos recursos para a saúde faz parte da negociação da aprovação da PEC (Proposta de Emenda Constitucional) que prorroga a cobrança da CPMF até 2011.

Para facilitar a aprovação do texto, o governo elevou a proposta de repasse de recursos para a saúde para R$ 24 bilhões ao longo de quatro anos --de 2008 a 2011. Inicialmente, a proposta previa a alocação de R$ 23 bilhões neste período e mais R$ 16 bilhões --divididos em 2012 e 2013.

Pela proposta apresentada, o governo repassará para a saúde R$ 4,07 bilhões a mais em 2008. Pela proposta anterior seriam R$ 3,66 bilhões. A mudança foi possível porque o texto base elevou os percentuais de arrecadação da CPMF acrescentados aos gastos totais do setor por parte da União de 9,161% para 10,178%.

Pelo texto aprovado hoje, serão repassados R$ 5 bilhões adicionais para a saúde em 2009. Em 2010, serão mais R$ 6 bilhões; e em 2011 mais R$ 9 bilhões.

Além de ampliar a proposta em R$ 1 bilhão, o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, afirmou que o setor receberá mesmo mais R$ 16 bilhões entre 2012 e 2013.

CPMF

O governo apresentou hoje uma proposta ao PSDB para garantir o apoio dos senadores tucanos na votação da PEC que prorroga a cobrança da CPMF. O PSDB avalia a proposta do governo na terça-feira.

Para a pessoa física, o governo propõe uma isenção da CPMF para quem ganha até R$ 1.640 mensais e um abatimento na declaração do Imposto de Renda para quem acima disso.

Já as empresas seriam contempladas com a desoneração da folha de pagamento por meio da redução da contribuição ao "Sistema S" --Sesi, Senai, Sesc, Senac. Essa arrecadação rende a essas entidades cerca de R$ 13 bilhões por ano. "O governo acha que há espaço para redução [no Sistema S]", disse Jucá.

As pessoas jurídicas teriam também uma antecipação do crédito do PIS-Cofins incidente sobre exportações e a redução pela metade do prazo de depreciação dos bens de capital --abatimento que as empresas fazem no IR sobre investimentos feitos.

Além das desonerações, o governo dará ainda R$ 23 bilhões adicionais para a saúde nos próximos quatro ano, sendo R$ 4 bilhões já em 2008. O Planalto também se propôs a negociar o pagamento dos precatórios (pendências judiciais), a limitação do endividamento da União na LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal) e a redução dos gastos correntes.

Acompanhe as notícias em seu celular: digite wap.folha.com.br
 

Krato$

New Member
Registrado
Poxa ninguém comentou, então move pro Papo Cabeça então...
 

Gustavo.sj

New Member
Registrado
1º - Ninguém é obrigado a comentar nos tópicos.

2º - Se você sabe que existe o Papo Cabeça, e postou no geral, então tem consciência que fez coisa errada. Nesse caso vou deixar o tópico aqui no geral mesmo, da próxima vez, você que poste na área certa!
 

Krato$

New Member
Registrado
Achei que fosse uma coias que poderia ser discutida livremente aqui no Geral...

Mas como ninguém falou nada, concluí que é sério demais pra isso, então pensei que ficaria melhor no Papo Cabeça mesmo.
 

Soufly3xtr3m3

Loading...
Registrado
Se metade desse dinheiro realmente fosse pra saude eu me dava por satisfeito....
 

.mauricio

New Member
Registrado
foi só le bilhoes que o pessoal berro na hora 'tá aprovado!! tá aprovado!!!' ja esfregando as mãos pensando nas férias no caribe e em novas contas na suíça....
aiai...........
 

Usuários que estão vendo esse Tópico (Users: 0, Guests: 1)

Topo