Área de TI não suporta mais introvertidos?

DN10

New Member
Registrado
Sempre tive o costume de trabalhar quieto, porque para mim hora de trabalhar não é momento de conversa, mas me lembro que minha colega de trabalho achava que eu não gostava dela, pelo simples motivo de não conversar , o que não fazia sentido nenhum para mim. Logo comecei a notar que a área de TI no geral se tornou um ambiente de gente extrovertida e até aí tudo bem, o problema começa quando começam a reclamar por você não puxar conversa, sendo que está lá cumprindo as tarefas, e a questionar sua quietude.

Isso torna tudo ridículo, um ambiente para idiotas, e gente problemática. Sinto que as pessoas vão trabalhar pensando nos beneficios, que aquilo é uma extensão da casa delas, um relacionamento dedo no cu em pleno ambiente de trabalho. Tornando tudo menos sério.

é só isso mesmo que eu queria falar, flw.
 

Zxf95

Faço programa e também desenvolvo
Registrado
Mas é basicamente isso mesmo, principalmente se for trabalhar em startup da moda. As empresas tentam implantar na cabeça das pessoas essa ideia de que o trabalho é uma segunda casa e todo mundo tem que ser amigo.

Não quer isso? Vá trabalhar em empresa de gente velha ou multinacional mais das antigas.
 

Phytheon

Member
Registrado
Área de TI não é a única, pois existem outras áreas que também dão preferência para o perfil extrovertido. O pior de tudo é que certas atividades nem precisariam desse tipo de perfil. :rolleyes:
 

Playck031

Well-Known Member
Registrado
Isso está acontecendo em basicamente qualquer área, sendo evidente desde a admissão de funcionários. Quando estava procurando emprego, já tive vontade de ir com um certo nível de embriaguez para aguentar alguns processos seletivos.

Mas como falaram acima, pelo menos ainda existem empresas "old school" ou "tradicionais". Também existem empresas pequenas que não foram contaminadas por essa infantilização do ambiente de trabalho.
 
Última edição:

sveenom

Ancião
Registrado
Se você tiver um cargo técnico razoável, ninguém liga se você da bom dia ou não. Geralmente pessoal interage um pouco, mas na maior parte do dia é cada um com seu fone no ouvido trabalhando.
Ou então trabalhe com asiaticos, onde eu trabalho é bom dia quando chego, até amanha quando vou embora. E o dia todo praticamente a unica coisa que escuto são as teclas dos teclados. Tanto que aqui eu acho o melhor lugar pra estudar, rusho meu trabalho e depois fico horas estudando tranquilamente.
 

DunhaMaster

¯\_(ツ)_/¯
Registrado
Realmente a área de TI está mudando nesse ponto mesmo. Eu particularmente não me irrito com isso, apesar de preferir trabalhar quieto na minha e sempre com meu fone de ouvido.

Agora o que me irrita de verdade são 2 coisas: 1º - processo seletivo. Sério, isso desafia a minha esperança na humanidade. Alguns processos seletivos que você vê hoje em dia não fazem sentido algum e são inúteis. Eu tenho certeza que vai aparecer alguém de RH aqui querendo defender, que é útil e que serve pra X motivo. Mas qual o intuito de fazer alguém imitar um macaco na dinâmica de grupo? Qual o sentido de fazer um candidato a analista de TI fazer cirandinha?

2º -infantilização de adultos. Essa eu acho até pior. Primeiro pq os empregadores tratam todo mundo como crianças sem maturidade, que não sabem conviver com as outras, que não sabem se portar em ambiente de trabalho e que não sabem respeitar o próximo. E segundo pq pra uma quantidade absurdamente alta de pessoas, o primeiro ponto é verdade...
 

Zxf95

Faço programa e também desenvolvo
Registrado
Eu tenho um nojo enorme de startup que tem vídeo game, mesa de sinuca e puff.

Já tive uma péssima experiência trabalhando numa dessas (MadeiraMadeira) e hoje em dia fujo. O que eles tem de sobra em "diversão", falta em processos bem definidos e respeito ao funcionário. Já ouvi merda do CTO lá quando ele descobriu que eu tava sendo entrevistado pra sair do Brasil.

Mas ainda assim a galera defende a empresa com unhas e dentes, afinal são otários. Ganham um salário merda numa empresa meia boca, mas o sentimento de pertencer a algo fala mais alto.
 

Andromeda's Ryder

Quid Est Veritas?
Registrado
Imagina programar um C-zinho suave de um sisteminha embarcado de tempo real básico pra entregar na semana seguinte, com um ser tagalarante na mesa ao lado, seria incrível e produtivo

Fone de ouvido ;)

Fica a dica.
 

Zxf95

Faço programa e também desenvolvo
Registrado
Fone de ouvido ;)

Fica a dica.
Dependendo do caso, nem fone resolve. Já trabalhei uma época dividindo a sala dos Dev com o RH. Gente conversando e telefone tocando o dia todo. Nem fone de construção resolve.
 

DunhaMaster

¯\_(ツ)_/¯
Registrado
Dependendo do caso, nem fone resolve. Já trabalhei uma época dividindo a sala dos Dev com o RH. Gente conversando e telefone tocando o dia todo. Nem fone de construção resolve.
E ainda tem geralmente o agravante de ter gente que SABE o que você faz, sabe que exige concentração, te VÊ de fone e ainda vem cutucar querendo puxar papo. Você tira o fone (um lado só, claro) e pergunta o que foi. O "ser" vira e fala "Oi, ta ocupado?". Você está, mas por educação fala que não e pergunta o que foi. O "ser" então fala "ah, nada não, é que você tá quieto ai" :bwahaha:

Só rindo mesmo.
 

Andromeda's Ryder

Quid Est Veritas?
Registrado
Realmente a área de TI está mudando nesse ponto mesmo. Eu particularmente não me irrito com isso, apesar de preferir trabalhar quieto na minha e sempre com meu fone de ouvido.

Agora o que me irrita de verdade são 2 coisas: 1º - processo seletivo. Sério, isso desafia a minha esperança na humanidade. Alguns processos seletivos que você vê hoje em dia não fazem sentido algum e são inúteis. Eu tenho certeza que vai aparecer alguém de RH aqui querendo defender, que é útil e que serve pra X motivo. Mas qual o intuito de fazer alguém imitar um macaco na dinâmica de grupo? Qual o sentido de fazer um candidato a analista de TI fazer cirandinha?

2º -infantilização de adultos. Essa eu acho até pior. Primeiro pq os empregadores tratam todo mundo como crianças sem maturidade, que não sabem conviver com as outras, que não sabem se portar em ambiente de trabalho e que não sabem respeitar o próximo. E segundo pq pra uma quantidade absurdamente alta de pessoas, o primeiro ponto é verdade...

1- Dinâmica de grupo é mais pra cargo Junior/Estagiário/Trainee pelo que lembro, ou talvez para aqueles cargos de nível alto (gerente talvez? :hmm:), ao menos para a área de T.I essa tem sido minha experiência.

2- Sobre o segundo ponto, infelizmente isso sempre foi verdade, tem muita empresa que exagera no fator "segurar as mãos" mas elas fazem isso porque tem muita gente que não sabe conviver de forma tranquila, educada e profissional no ambiente de trabalho, aí os funcionários começam a reclamar do ambiente de trabalho (com razão) que fica uma porcaria, o próximo passo são as pessoas começarem a pedir as contas porque arranjaram outro emprego... nenhuma empresa quer essa situação então a solução que encontraram foi colocar um monte de regra, mesmo quando a empresa é mais light isso acontece.

Exemplos bem básicos:
1- tem gente que abusa do dress code light, aí a empresa tem que criar uma regrinha de dress code light mais detalhada para não ter desculpa de "não entendi"
2- gente que acha que está num chiqueiro e trata o banheiro da empresa como se fosse o de casa (ou pior)
3- tem gente que abusa da pinga na festa de fim de ano da empresa e faz mil e uma besteiras, aí a empresa tira o álcool e a galera reclama que estão tratando eles como criança. :apelo:
4- tem gente que vê aquela moça bonita e já fica paquerando, isso quando o cara é light/tranquilo, antigamente até passar a mão faziam, minha mãe conta muito desses casos, (ela trabalhava no Departamento Pessoal), aí quando a moça reclama pro RH é uma xingação generalizada para todo lado, existe motivo para toda empresa atualmente ter uma regra clara ( e normalmente em negrito) sobre Assédio.
5- Tem gente que não sabe se portar em reunião ou quando é hora de dar/receber o feedback anual, e por aí vai.
 

alexspeedfly

New Member
Registrado
O que mais se cobra das pessoas hoje em dia são QE (Quociente emocional) e QA (Quociente de adversidade) altos. Essas mudanças são novas e todas as áreas, não somente TI estão em um âmbito de sinergia, por um único objetivo.
 

Mano_RS

😏
Registrado
E ainda tem geralmente o agravante de ter gente que SABE o que você faz, sabe que exige concentração, te VÊ de fone e ainda vem cutucar querendo puxar papo. Você tira o fone (um lado só, claro) e pergunta o que foi. O "ser" vira e fala "Oi, ta ocupado?". Você está, mas por educação fala que não e pergunta o que foi. O "ser" então fala "ah, nada não, é que você tá quieto ai" :bwahaha:
Sério que isso já te aconteceu?! Nossa, isso é coisa de gente sem noção!
 

DunhaMaster

¯\_(ツ)_/¯
Registrado
1- Dinâmica de grupo é mais pra cargo Junior/Estagiário/Trainee pelo que lembro, ou talvez para aqueles cargos de nível alto (gerente talvez? :hmm:), ao menos para a área de T.I essa tem sido minha experiência.
Quando eu entrei na área era assim mesmo, mas hoje em dia isso virou uma praga. Tem empresa que para QUALQUER função/cargo eles fazem essa putaria. E muitas vezes para processo seletivo interno, onde o funcionário já é conhecido e tem uma "carreira" na empresa. Isso é uma abominação na minha opinião.

2- Sobre o segundo ponto, infelizmente isso sempre foi verdade, tem muita empresa que exagera no fator "segurar as mãos" mas elas fazem isso porque tem muita gente que não sabe conviver de forma tranquila, educada e profissional no ambiente de trabalho, aí os funcionários começam a reclamar do ambiente de trabalho (com razão) que fica uma porcaria, o próximo passo são as pessoas começarem a pedir as contas porque arranjaram outro emprego... nenhuma empresa quer essa situação então a solução que encontraram foi colocar um monte de regra, mesmo quando a empresa é mais light isso acontece.

Exemplos bem básicos:
1- tem gente que abusa do dress code light, aí a empresa tem que criar uma regrinha de dress code light mais detalhada para não ter desculpa de "não entendi"
2- gente que acha que está num chiqueiro e trata o banheiro da empresa como se fosse o de casa (ou pior)
3- tem gente que abusa da pinga na festa de fim de ano da empresa e faz mil e uma besteiras, aí a empresa tira o álcool e a galera reclama que estão tratando eles como criança. :apelo:
4- tem gente que vê aquela moça bonita e já fica paquerando, isso quando o cara é light/tranquilo, antigamente até passar a mão faziam, minha mãe conta muito desses casos, (ela trabalhava no Departamento Pessoal), aí quando a moça reclama pro RH é uma xingação generalizada para todo lado, existe motivo para toda empresa atualmente ter uma regra clara ( e normalmente em negrito) sobre Assédio.
5- Tem gente que não sabe se portar em reunião ou quando é hora de dar/receber o feedback anual, e por aí vai.
Sim sim, inclusive coloquei que devido ao enorme número de pessoas que se comportam como criança a empresa faz isso mesmo. E esses exemplos que você deu são inteiramente aplicáveis em todas as empresas que existem hahaha Tem gente sem noção e mal educada em tudo quanto é lugar.

Ai quando você resolve trabalhar com o seu querido fone de ouvido, tranquilo, sem fazer zona... você é o anti social e deve ter algum problema :bwahaha:
--- Post duplicado mesclado automaticamente: ---

Sério que isso já te aconteceu?! Nossa, isso é coisa de gente sem noção!
Cara, isso acontece com uma frequência que beira a insalubridade :bwahaha:
As pessoas estão muito sem noção. Bom, na verdade mesmo as pessoas nunca tiveram noção. Mas hoje em dia é "cool" ser sem noção, só está aflorando esse lado em todo mundo hahaha
 
Eu tenho um nojo enorme de startup que tem vídeo game, mesa de sinuca e puff.

Já tive uma péssima experiência trabalhando numa dessas (MadeiraMadeira) e hoje em dia fujo. O que eles tem de sobra em "diversão", falta em processos bem definidos e respeito ao funcionário. Já ouvi merda do CTO lá quando ele descobriu que eu tava sendo entrevistado pra sair do Brasil.

Mas ainda assim a galera defende a empresa com unhas e dentes, afinal são otários. Ganham um salário merda numa empresa meia boca, mas o sentimento de pertencer a algo fala mais alto.
Uma vez entrei numa dessas GPTW (Great Place To Work). Tinha ambiente descolado, frutas e tudo mais. Me demitiram porque não queria almoçar todo dia no Outback com eles.

Imagina... gastar 100 reais de almoço todo dia só pra parecer extrovertido.

Resumo: fujam de empresas assim.

Sou da opinião que trabalho é trabalho. Se quiser jogar vídeo game jogo em casa.
 

Cirillo

Membro
Registrado
Uma vez entrei numa dessas GPTW (Great Place To Work). Tinha ambiente descolado, frutas e tudo mais. Me demitiram porque não queria almoçar todo dia no Outback com eles.

Imagina... gastar 100 reais de almoço todo dia só pra parecer extrovertido.

Resumo: fujam de empresas assim.

Sou da opinião que trabalho é trabalho. Se quiser jogar vídeo game jogo em casa.
Exatamente! Esses locais que disponibilizam monte de "ambiente de descompressão" é só pra encobrir o fato de querer te manter lá pelo maior tempo possível.

E tem isso também, se for pra escolher as pessoas que quero passar meu tempo livre, certamente será com a minha família, em casa, assistindo algo, jogando algo. Enfim.
 

GCN

Audi Lover
Registrado
Racional por trás do pão e circo detalhadamente:

A. Empresa de recrutamento e seleção ''força'' candidatos á se comportarem igual macacos ou palhaços:

Nada mais é do que um teste psicológico pra saber até onde você aguentaria humilhações, frustrações e qualquer tipo de pressão por parte da empresa e superiores sem reclamar. E o que você seria capaz de fazer (ou se humilhar) pela empresa. Afinal, ninguém quer ter um funcionário com opinião e vontades próprias correto? Talvez um bom gestor ou diretor tenha esse direito.
(só pra deixar claro, nem todas as empresas são assim)

B. Frutas, comidas, vídeo game e outras distrações pela empresa. Servem para duas coisas primariamente,

1. Fazer você ficar mais tempo no trabalho e trabalhar mais
(afinal tem locais que tem até cerveja e comidas boas, pra que vou sair pra almoçar / jantar ou comprar o almoço)

2. Identificar vagabundos em potencial: sabe o seu colega que vai tomar água toda hora ou dar um cagão pra tomar tempo e enrolar o trabalho? Então, essa é uma forma de identificar esse pessoal de uma forma mais explicita, colocam o videogame lá de ''arapuca'' quem for esperto joga 15-20min e sai, já os com tendências procrastinadoras ficarão horas e serão identificados facilmente.

Não sou contra valorizar os funcionários, o problema é você criar todo um circo exagerado e com más intenções justamente para prender ou enganar ainda mais os funcionários.

Empresa não é lugar de brincadeiras, bebidas ou socialização. Empresa é lugar de produzir, um CEO deveria se preocupar em fazer os funcionários produzirem mais por hora trabalhada do que tentar reter eles ainda mais nas dependências da empresa.

O que você prefere: fazer da empresa uma extensão da sua casa com ''bebidinhas'' ou ''comidinhas'' ou simplesmente entrar trabalhar 4-5 horas no máximo e ficar livre para fazer o que quiser?
(Quanto maior a produtividade/hr trabalhada , menor será a jornada necessária pra finalizar um projeto, reunião, relatório,etc...)

Prefiro a segunda opção sem dúvidas. E essa só vem com o aumento da produtividade por hora trabalhada o que é a antítese de tentar ''prender'' os funcionários na empresa, quando você cria distrações e retenções aos funcionários está empurrando eles para a improdutividade ou por acaso é muito produtivo parar uma linha de montagem pros funcionários beberem e jogarem video game em pleno expediente?

Quando trabalhava fora, entrava fazia meu trabalho o mais rápido possível pra poder sair no horário. Socializava com os colegas sim, mas nunca de uma forma que fosse comprometer a minha produtividade, afinal empresa não é a minha casa, empresa é lugar de produzir ganhar $$ e sair pra ir curtir o resto do dia.
 

Cirillo

Membro
Registrado
Racional por trás do pão e circo detalhadamente:

A. Empresa de recrutamento e seleção ''força'' candidatos á se comportarem igual macacos ou palhaços:

Nada mais é do que um teste psicológico pra saber até onde você aguentaria humilhações, frustrações e qualquer tipo de pressão por parte da empresa e superiores sem reclamar. E o que você seria capaz de fazer (ou se humilhar) pela empresa. Afinal, ninguém quer ter um funcionário com opinião e vontades próprias correto? Talvez um bom gestor ou diretor tenha esse direito.
(só pra deixar claro, nem todas as empresas são assim)

B. Frutas, comidas, vídeo game e outras distrações pela empresa. Servem para duas coisas primariamente,

1. Fazer você ficar mais tempo no trabalho e trabalhar mais
(afinal tem locais que tem até cerveja e comidas boas, pra que vou sair pra almoçar / jantar ou comprar o almoço)

2. Identificar vagabundos em potencial: sabe o seu colega que vai tomar água toda hora ou dar um cagão pra tomar tempo e enrolar o trabalho? Então, essa é uma forma de identificar esse pessoal de uma forma mais explicita, colocam o videogame lá de ''arapuca'' quem for esperto joga 15-20min e sai, já os com tendências procrastinadoras ficarão horas e serão identificados facilmente.

Não sou contra valorizar os funcionários, o problema é você criar todo um circo exagerado e com más intenções justamente para prender ou enganar ainda mais os funcionários.

Empresa não é lugar de brincadeiras, bebidas ou socialização. Empresa é lugar de produzir, um CEO deveria se preocupar em fazer os funcionários produzirem mais por hora trabalhada do que tentar reter eles ainda mais nas dependências da empresa.

O que você prefere: fazer da empresa uma extensão da sua casa com ''bebidinhas'' ou ''comidinhas'' ou simplesmente entrar trabalhar 4-5 horas no máximo e ficar livre para fazer o que quiser?
(Quanto maior a produtividade/hr trabalhada , menor será a jornada necessária pra finalizar um projeto, reunião, relatório,etc...)

Prefiro a segunda opção sem dúvidas. E essa só vem com o aumento da produtividade por hora trabalhada o que é a antítese de tentar ''prender'' os funcionários na empresa, quando você cria distrações e retenções aos funcionários está empurrando eles para a improdutividade ou por acaso é muito produtivo parar uma linha de montagem pros funcionários beberem e jogarem video game em pleno expediente?

Quando trabalhava fora, entrava fazia meu trabalho o mais rápido possível pra poder sair no horário. Socializava com os colegas sim, mas nunca de uma forma que fosse comprometer a minha produtividade, afinal empresa não é a minha casa, empresa é lugar de produzir ganhar $$ e sair pra ir curtir o resto do dia.
Perfeito! Concordo com tudo que disse. Tem também a breja no serviço que é o cúmulo. Não me sentiria à vontade em beber no trabalho muito menos aguentar quem bebe durante expediente.
 

GCN

Audi Lover
Registrado
Perfeito! Concordo com tudo que disse. Tem também a breja no serviço que é o cúmulo. Não me sentiria à vontade em beber no trabalho muito menos aguentar quem bebe durante expediente.
Aí todo mundo começa a ficar alegre , fazer piada e o trabalho fica pro outro dia. A gente sabe que na maioria das vezes acontece isso.

Enfim, longe de querer impor o que eu acho correto. Tem muita gente que curte empresas assim. Eu hoje se fosse voltar a ser funcionário, evitaria ao máximo esse tipo de empresa.

No fim das contas sair 1 hora mais cedo é muito mais útil e facilita bastante a vida de quem pega engarrafamento, se eu fosse gestor liberaria minha equipe por metas e não por tempo trabalhado.

A equipe fica o dia todo em cima de um projeto, termina faltando 1 hora pro fim do expediente e não tem mais o que fazer, porque até iniciar outra coisa já consumiu quase a hora toda. Nada mais justo que liberar todo mundo (lógico que esporadicamente pra não virar baderna), mas não os caras preferem aparecer com 10 barris de chopp 8 horas da manhã, pra fazer o pessoal perder tempo bebendo e ficando alegre hehehe.
 

Cirillo

Membro
Registrado
Aí todo mundo começa a ficar alegre , fazer piada e o trabalho fica pro outro dia. A gente sabe que na maioria das vezes acontece isso.

Enfim, longe de querer impor o que eu acho correto. Tem muita gente que curte empresas assim. Eu hoje se fosse voltar a ser funcionário, evitaria ao máximo esse tipo de empresa.

No fim das contas sair 1 hora mais cedo é muito mais útil e facilita bastante a vida de quem pega engarrafamento, se eu fosse gestor liberaria minha equipe por metas e não por tempo trabalhado.

A equipe fica o dia todo em cima de um projeto, termina faltando 1 hora pro fim do expediente e não tem mais o que fazer, porque até iniciar outra coisa já consumiu quase a hora toda. Nada mais justo que liberar todo mundo (lógico que esporadicamente pra não virar baderna), mas não os caras preferem aparecer com 10 barris de chopp 8 horas da manhã, pra fazer o pessoal perder tempo bebendo e ficando alegre hehehe.
Sim, acho que falta essa visão realmente moderna de gestão de tempo do colaborador. Acredito que manter o colaborador dentro da empresa apenas nos horários produtivos é uma tremenda forma de pensar no bem-estar dele. Muitos setores hoje ainda mantém o trabalho presencial sendo que um home-office em muitos casos resolveria diversas questões para o colaborador e reduziria gastos da empresa.
 

Gtx1050ti

😷
Registrado
2. Identificar vagabundos em potencial: sabe o seu colega que vai tomar água toda hora ou dar um cagão pra tomar tempo e enrolar o trabalho? Então, essa é uma forma de identificar esse pessoal de uma forma mais explicita, colocam o videogame lá de ''arapuca'' quem for esperto joga 15-20min e sai, já os com tendências procrastinadoras ficarão horas e serão identificados facilmente.
@jr.pardal
 

Zxf95

Faço programa e também desenvolvo
Registrado
Perfeito! Concordo com tudo que disse. Tem também a breja no serviço que é o cúmulo. Não me sentiria à vontade em beber no trabalho muito menos aguentar quem bebe durante expediente.
Tudo depende da mentalidade da empresa. Se for ter essas coisas pra segurar o funcionário, aí é coisa de retardado mesmo. Eu odeio empresa assim.

Agora aqui onde eu trabalho vez ou outra tem uma cervejinha. Geralmente num final de sexta feira pra relaxar. Cada uma pega a sua, bate 5 minutos de papo e leva a garrafinha pra mesa. Aí eu acho bem mais tranquilo.
 

Phytheon

Member
Registrado
O pessoal falou muito em startup e/ou empresas mais liberais. Eu tenho dois relatos para colocar aqui:

Em 2017, eu fui chamado para uma entrevista de estágio em uma startup aqui de Porto Alegre que estava querendo bater de frente com a empresa iFood.
Quando eu cheguei nessa empresa, a primeira coisa que eu notei foram CAIXAS ESPALHADAS pra tudo quanto é lado, funcionários (provavelmente os DONOS ou níveis hierarquicos altos JOGANDO SINUCA e pinbolim e o restante da 'plebeia' provavelmente trabalhando - Já que estavam no telefone. NOTA-SE, o meu horário de entrevista foi em torno das 16:00.

A parte boa chega agora: eu entrei no escritório com uma cara amigável, olhando de forma ampla e esse pessoal que estava no ócio, todos me olharam com uma cara séria e pararam o que estavam fazendo para arrumar a bagunça do local. Eu senti, literalmente, que estava estragando a diversão de todos ali. :rolleyes:

Obviamente e felizmente, não fui contratado.

Sinceramente, eu não consigo me encaixar em startups. Eu noto que as pessoas ficam muito folgadas, sinto que não produzem. Além disso, também gostam de ficar tirando fotos para postar no Linkedin com o intuito de chamar atenção, dando a impressão de que todos estão sendo bem tratados e estão sendo felizes onde estão trabalhando. Eu acho ridículo - Quem gosta de estudar sobre sorrios falsos, é um prato cheio.

(Não sei se seria uma boa colocar nome dessa empresa aqui :sefu:)

Eu também, já tive uma entrevista com uma concorrente de uma grande empresa prestadora de serviço no ramo do transporte privado (foi estágio). No entanto, essa entrevista foi via skype, mas o que mais me indignou foi o responsável do setor dizendo que queria uma pessoa desenibida/extrovertida para entrar em contato com clientes e fazer outras atividades administrativas (não lembro o que era exatamente). Sem contar, as perguntas ridículas que ele me fez; não tinha como saber aquilo nem se eu tivesse pesquisado muito bem sobre a empresa. :rolleyes:

Uma vez entrei numa dessas GPTW (Great Place To Work). Tinha ambiente descolado, frutas e tudo mais. Me demitiram porque não queria almoçar todo dia no Outback com eles.

Imagina... gastar 100 reais de almoço todo dia só pra parecer extrovertido.

Resumo: fujam de empresas assim.

Sou da opinião que trabalho é trabalho. Se quiser jogar vídeo game jogo em casa.
Tu está de sacanagem, né? Falaram que sua demição foi por causa disso? :mad:
 
Última edição:

leandrosn

Active Member
Registrado
Realmente a área de TI está mudando nesse ponto mesmo. Eu particularmente não me irrito com isso, apesar de preferir trabalhar quieto na minha e sempre com meu fone de ouvido.

Agora o que me irrita de verdade são 2 coisas: 1º - processo seletivo. Sério, isso desafia a minha esperança na humanidade. Alguns processos seletivos que você vê hoje em dia não fazem sentido algum e são inúteis. Eu tenho certeza que vai aparecer alguém de RH aqui querendo defender, que é útil e que serve pra X motivo. Mas qual o intuito de fazer alguém imitar um macaco na dinâmica de grupo? Qual o sentido de fazer um candidato a analista de TI fazer cirandinha?

2º -infantilização de adultos. Essa eu acho até pior. Primeiro pq os empregadores tratam todo mundo como crianças sem maturidade, que não sabem conviver com as outras, que não sabem se portar em ambiente de trabalho e que não sabem respeitar o próximo. E segundo pq pra uma quantidade absurdamente alta de pessoas, o primeiro ponto é verdade...
Ficava muito p da vida nos processos seletivos quando tinha essas palhaçadas de dinâmicas nada a ver com o cargo...

Certa vez fui em um processo seletivo de uma fábrica de software para cargo de programador e uma das etapas do processo seletivo era a dinâmica em grupo. Dai na dinâmica pediram para que cada candidato pensasse em qual animal gostaria de ser e fizesse uma encenação para que os outros candidatos adivinhassem que animal era esse. :rolleyes: :rolleyes: :rolleyes:
Nessa hora o sangue ferveu e questionei:
- Afinal, estamos em uma empresa séria ou em um circo? Pensei que aqui fosse uma empresa séria, mas pelo visto me enganei.
Depois de falar isso, vi que estava só perdendo o meu tempo ali, levantei e fui embora.

Em que diabos o fato de saber imitar um animal acrescentaria no processo seletivo? Por que não avaliar/selecionar o candidato com base no mérito e competência dele (conhecimentos, qualificações e habilidades técnicas)? Por que não fazer perguntas/dinâmicas que tenham algum tipo de relação com o nicho de mercado da empresa, com a cultura, valores etc?
 

Usuários que estão vendo esse Tópico (Users: 0, Guests: 1)

Topo