- Publicidade -

Radeon RX 6500 XT: para os gamers de entrada, as migalhas

Placa faz muitas economias e acaba mal tendo algo para oferecer
Por Diego Kerber 19/01/2022 14:17 | atualizado 19/01/2022 14:47 Comentários Reportar erro

Nós temos o mercado de placas de vídeo dividido em três segmentos atualmente: o high-end, com placas como a RTX 3080 e RX 6800; o intermediário, começando com chips gráficos como a RTX 3060 e RX 6600; e abaixo desses um segmento que só pode ser classificado como "Terra Arrasada". Quando você baixa o orçamento dos R$ 3,5 mil, só vai achar escombros e placas velhas.

Por isso, mesmo com as especificações bastante baixas da RX 6500 XT anunciadas pela AMD, ainda fiquei animado. Ao menos era um lançamento em um segmento que a última novidade relevante foi em 2019, com o a GTX 1650. Quase três anos depois, algo é melhor do que nada, não é mesmo? Pois a RX 6500 XT consegue ser a melhor placa de vídeo de entrada lançada nos últimos três anos e ainda assim ser bem ruim.

Sem lançamentos desde 2019, ter uma placa de entrada novamente é melhor que nada, não é?

A Radeon RX 6500 XT é basicamente meia RX 6600 XT. Ela tem 16 Unidades Computacionais, 4GB de memória GDDR6, 16MB de Infinity Cache e uma interface de memória de 64-bit. Sim, todos os números são rigorosamente a metade do que há em uma RX 6600 XT. Mas em contrapartida, na computação as coisas não escalonam linearmente, e o fato dessa placa chegar com altíssimas frequências de operação poderia resultar em um desempenho "não tão ruim assim". Mas na verdade, é ruim:

A placa performa um terço do que a RX 6600 XT. E também memorize a diferença entre ela e a RX 5500 XT nesses gráficos. O principal fator influenciando aqui, além das reduções em unidades computacionais, é um gargalo sério dessa placa: ela opera em apenas 4 pistas PCIe. Modelos de entrada de placas de vídeo devem operar sem problemas em configurações a partir de 8 trilhas PCIe, porém 4 nos trás para o patamar de SSDs. Isso é muito pouco, mesmo para uma placa de vídeo de entrada.

Como a placa possui apenas 4GB de memória de vídeo e tem uma largura de banda extremamente limitada no PCIe, o que dificulta trocar dados agilmente e compensar a falta de espaço carregando texturas constantemente, o resultado final é uma placa totalmente "espremida" pela nossa bateria em FullHD em pre-set Ultra, entregando a mesma performance da GTX 1650 em vários casos. A exceção, não à toa, foi o jogo mais velho da bateria, GTA V.

- Continua após a publicidade -

Mas essa não é uma placa para jogar no Ultra, algo que fica evidente pelos 4GB de VRAM. E se trocamos para um pre-set intermediário e vemos os mesmos games? O resultado fica bem mais favorável:

Aqui temos cenários em que a placa começa a performance parecida ou até melhor que a Radeon RX 5500 XT, e começa a abrir uma vantagem sobre a GTX 1650 que pode ir dos 20% até 70% graças ao bom desempenho com o FSR habilitado. Isso mostra o quanto havia performance na GPU da 6500 XT, mas limitações de VRAM e do PCIe estavam segurando seu desempenho.

Tudo que vimos até agora foi colocando a RX 6500 XT em seu melhor cenário possível, combinando com um AMD Ryzen 9 5900X em um sistema baseado na tecnologia PCIe 4.0. E isso é mesmo o melhor cenário, pois a galera de mercado de entrada é muito potencialmente alguém que tem uma bancada mais antiga.

- Continua após a publicidade -

Falando em sistema Intel, só donos de CPUs da 11ª geração Core ou mais recente tem PCIe 4.0 disponível. Na AMD o suporte é mais antigo, presente já nos Ryzen série 3000, mas somente nos chipsets da série 500. 

Mas o que acontece em um sistema em PCIe 3.0? Temos uma redução sensível na largura de banda. Cada pista PCIe 4.0 entrega até 2GB/s, totalizando 8GB/s em uma configuração PCIe 4.0 x4. O PCIe 3.0 tem metade da performance por pista, entregado 1GB/s em cada lane e fazendo com que a RX 6500 XT tenha que operar com apenas 4GB/s de transferência se ligada em um sistema baseado em PCIe 3.0.  O que isso causa nessa placa?

Em benchmarks não aparece tanto. O maior dano dessa largura de banda são nas altas taxas de quadros. Além da perda de performance geral, é nos cenários de gameplay acima dos 100fps em que vemos essa placa sendo mais penalizada pela sua largura de banda inferior. Isso praticamente mata o modelo como uma opção para quem quer jogar games competitivos, onde mesmo havendo performance no chip gráfico para entregar mais desempenho, vemos a taxa de quadros não subir e o uso de GPU não chegar aos 100%. 

Em Rainbow Six, a performance que antes ficava na casa dos 100FPS quando em um sistema PCIe 3.0, subiu para a casa dos 200FPS em PCIe 4.0, enquanto COD Warzone conseguiu apresentar problemas de performance em ambas as configurações. Porém em PCIe 4.0 elas são mais localizadas e depois voltam a um bom nível de gameplay por longos períodos, enquanto em PCIe 3.0 elas são mais constantemente ruins.

Se você está tendo um deja vu, não é coisa da sua cabeça. Não faz muito tempo que linhas PCIe e Radeon levantaram polêmica. Tanto que nós testamos se a Radeon RX 6600 XT não seria penalizada por operar em apenas x8, e em nossos testes não encontramos claros indícios de que a placa perderia muito desempenho rodando em PCIe 3.0. A resposta foi um não, com diferenças inferiores a 5% acontecendo ao longo da bateria de testes. Com oito pistas PCIe 3.0, ela opera com 8GB/s de transferência, ou seja, o dobro que a RX 6500 XT.

Mas, diferente da RX 6600 XT, o PCIe 3.0 realmente impede a RX 6500 XT de operar em sua plenitude. Se o seu computador opera em PCIe 3.0, pode riscar a 6500 XT da lista de opções para você.

E se você montou um sistema com uma B550 e um Ryzen 5 3600? Vale a pena? Não existe um produto ruim, tudo depende do preço, e ela está em pré-venda por R$ 2,2 mil, o que coloca exatamente na mesma faixa de preço que está a GTX 1650. Então, considerando a vantagem de 20 a 40% em alguns títulos, faria sentido ela? Talvez não.

Tem outro fator que eu pesaria na disputa com a GTX 1650. Na hora de cortar pela metade a RX 6600 XT, a AMD cortou também o suporte ao H.264 e HEVC ao meio. Ela consegue decodificar esse codec, ou seja, a placa consegue abrir um vídeo nesse padrão, mas não consegue codificar nesses codecs. Isso quer dizer que você não consegue comprimir seus vídeos via aceleração por GPU, fazendo com que a placa se torne praticamente inútil para quem queria gravar seus gameplays ou especialmente fazer streaming em softwares como o OBS, que só vai ter a possibilidade de usar a codificação via software - o que cai no processador e penaliza muito a performance do sistema, a menos que você tenha um CPU muito potente e... bem, estamos falando do mercado da desolação de entrada, então não deve ser o caso.

Se você possui um processador Intel Core (e de 11ª geração para ter suporte ao PCIe 4.0) ainda há esperança se você codificar seu gameplay via Intel QuickSync. Caso contrário, esqueça a RX 6500 XT para gravar ou fazer streaming. 

Esse é o momento em que, apesar de ter menos performance, pesa a favor da GTX 1650 sua performance mais estável, especialmente em bancadas PCIe 3.0 , já que ela está sobrando pra operar até em PCIe 2.0, pois conta com x16 canais, e ainda trás o extremamente competente codec do NVENC para quem quiser salvar seus replays ou fazer streaming com impacto negligenciável na performance e com bons resultados em compressão da imagem.

Então chegamos ao fim dessa análise respondendo a pergunta lá do começo: estamos sem lançamentos há 3 anos no mercado de placas de vídeo de entrada. A Radeon RX 6500 XT é melhor que nada? Sim, em condições muito específicas, em que o game possui uma bancada moderna o bastante para ter PCIe 4.0, o jogador queira jogar em qualidade intermediária FullHD, não está tão preocupado com altas taxas de quadros em games competitivos, não vê nenhuma possibilidade de querer gravar ou transmitir seus gameplays e por algum motivo não acha uma ideia melhor gastar mais em um upgrade bem mais relevante como uma RX 6600, acho que talvez essa placa faça sentido. Mas eu duvido que esse perfil completo exista. 

A Radeon RX 6500 XT tem dificuldades em se mostrar um upgrade válido versus uma placa de três anos atrás

Obrigado por enfim trazer alguma novidade mas, no fim, o único mérito da Radeon RX 6500 XT é que ela é a única placa de vídeo de entrada lançada desde o começo da pandemia.

Assuntos
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

- Publicidade -

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.