Saints Row the Third está de volta num belo Remastered! Mas por que agora?

O jogo preferido da franquia faz seu retorno... Só que é tarde demais - ou cedo demais!

Se você é MUITO fã do terceiro Saints Row e sente uma necessidade incontrolável de ter o game em todas as gerações de consoles que ele sair, Saints Row the Third Remastered é simplesmente imperdível! Fora esse tipo específico de pessoa, tenho encontrado dificuldades para entender o motivo deste lançamento.

A parte boa

 

 

 

Saints Row the Third Remastered traz o conteúdo completo do terceiro game da franquia, incluindo logo no lançamento todos os DLCs e adicionais do título original, com costuma acontecer nesse tipo de lançamento. Isso oferece um game com bastante coisa pra fazer e alguns itens que podem lhe deixar overpowered logo no início. Mas nada disso é um problema, afinal, ninguém joga Saints Row pelo desafio.

Os gráficos do remaster receberam incrementos consideráveis. As texturas foram refeitas, o game está compatível com resoluções mais altas e os efeitos de luz, principalmente, deram um salto de qualidade. Claro que não dá pra fazer milagre num remaster, então as animações às vezes deixam a desejar e a água no game chega ser triste de olhar. No geral, porém, o jogo está bem bonito.

- Continua após a publicidade -

E temos também o simples fato de que Saints Row é muito divertido. O gameplay está todo ali, imaculado, pra você explodir o que quiser desde o começo do jogo, criando um personagem tão maluco quanto der vontade. A história e seu senso de humor irreverente, parodiando o próprio game e várias coisas da cultura pop continua bem divertida, principalmente pra quem não jogou o original, é claro. Tudo acompanhado de uma trilha sonora excelente.

Problemas na performance

 

 

 

Vamos então ao que decepciona no remaster de Saints Row the Third. A primeira coisa é o imenso desperdício de ter o game travado a 30fps no PS4 e no Xbox One. Uma das maiores vantagens de se ter um remaster no mundo dos consoles é dar a chance pra essa galera de rejogar seus games preferidos em gloriosos 60 frames por segundo, e Saints Row the Third Remastered erra feio ao não oferecer isso.

- Continua após a publicidade -

É verdade que os gráficos estão mais bonitos, mas não ao ponto de se imaginar que o PS4 ou o Xbox One não dariam conta de rodar a mais quadros por segundo. Principalmente o PS4 Pro e o Xbox One X que também ficam presos aos 30fps.

Outra escorregada é não levar um port ao Switch. Em vez de esperar um pouco pra lançar o remaster no portátil da Nintendo, a Deep Silver levou a versão original do game e deixou por isso mesmo. 

Esses são todos indicativos de que está meio difícil de fazer o remaster rodar bem. Jogando dá pra perceber. A versão que recebemos aqui foi para o PS4, e joguei o game na versão slim do console. Ele roda normalmente a maior parte do tempo, mas às vezes perde alguns frames e dá umas engasgadas quando os tiroteios ficam intensos. Fora alguma telas imensas de loading. É o tipo de coisa comum num jogo de mundo aberto, porém feio de ver num remaster.

E a evolução dos gráficos, aliás, além de não justificar a trava do framerate, dificilmente justifica também um remaster. Quando falamos de um clássico dos tempos do PSOne ou PS2, tudo bem, mas remasterizar um jogo que estava disponível logo na geração passada realmente não acrescenta muita coisa à experiência. Se você se divertiu com Saints Row the Third, mas não chegou a virar um fã de carteirinha do game, não é uma melhora assim dos gráficos que vai dar vontade de jogar de novo. Ainda mais que já temos o Saints Row IV disponível na geração atual.

Vale a pena?

 

 

 

Para muitos fãs da franquia Saints Row, o terceiro game é o melhor da série e a Deep Silver sabe disso. Mas não é o bastante para justificar um remaster, principalmente quando estamos num momento de virada de gerações e está confirmado que tem um novo Saints Row em desenvolvimento pelo time principal da Volition. O remaster foi desenvolvido por outro time, da Sperasoft Studios.

É verdade que os consoles da próxima geração vão ter retrocompatibilidade, mas você estará preso num game limitado à geração atual e travado a 30fps - coisa que não devia acontecer nem no PS4, imagine no PS5.

Se a Deep Silver acredita de verdade que Saints Row the Third é um grande clássico que merece um remaster, temos aqui um grande desperdício de oportunidade. Era só ter esperado mais e levar o game pra próxima geração direto, com evoluções mais significativas nos gráficos e, por favor, 60 frames por segundo, no mínimo.

Pra terminar este post de impressões num aspecto positivo, não posso deixar de mencionar que a produtora teve noção na hora de definir o preço do game. O título custa R$ 77,45 na Xbox Live, um valor bem abaixo do preço de lançamento para jogos em console, e isso é perfeitamente justo. A PSN não tinha página oficial para ele até essa publicação.

No PC ele está temporariamente exclusivo na Epic Games Store por um ano, custando R$ 75.

Tags
  • Redator: João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira se formou em jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2015 e curte games desde muito antes. Começou com o Master System e o gosto pelos jogos eletrônicos trouxe o gosto pela tecnologia. Escrever notícias e análises de jogos, hardware e dispositivos móveis para o Adrenaline, além de trabalho é uma alegria e um aprendizado.

Qual vai ser o melhor game lançado em agosto de 2020?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.