Troquei por um smartphone melhor e valeu muito a pena

Sempre defendi que o investimento que se faz num aparelho que entra e sai do seu bolso constantemente e lhe acompanha nas mais diversas aventuras tem que ser muitíssimo bem pensado. Não entra na minha cabeça (nem no meu bolso) a ideia de gastar R$ 3.000 que podem ir pro bueiro num só tombo (às vezes até literalmente). Por isso sempre economizei como pude na compra de um smartphone, que o diga meu guerreiro Galaxy Win 2 Duos, que me acompanhou desde o ano passado até o início de agosto. Mas, depois de uma boa quantidade de stress, resolvi investir um pouco mais e "subir de nível" o meu celular. E eu não poderia estar mais satisfeito.

Comparativo

Samsung Galaxy
Win 2 Duos
Motorola Moto
G3 Turbo

Preços

Preço no lançamentoR$ 729,00 R$ 1.149,00
Preço atualizadoR$ 629,00 R$ 1.099,00

Especificações

Armazenamento interno|8GB| |16GB|
Cartão microSDaté 32GB
Memória RAM1GB 2GB
Número de núcleos4 8
Portas de conexão|Micro-USB| |Mini-USB|
Sistema OperacionalAndroid 4.4 Android 5.1
Update disponível para o sistemaAndroid 5.0 Android 6.0
ProcessadorQualcomm Snapdragon 410 Qualcomm Snapdragon 615
Clock1.2 GHzQuad-Core 1.5GHz | Quad-Core 1.0GHz GHz
GPUAdreno 306 Adreno 405
Bateria2000 mAh mAh2.470 mAh mAh
Dimensões131.3 x 68.3 x 8.8 mm mm142,1 x 72,4 x 6,1 a 11,6 mm mm
Peso130 g g155g g

Recursos

GPSSim Sim
Leitor de DigitalNão
LTESim Sim
NFCNão
Número de cartões SIM2 2
RadioSim Sim
Tipo de cartão SIMMicro SIM Micro SIM
TV DigitalSim Não
Bluetoothv4.0 4.0
ExtrasCertificação IP67, carregador TurboPower

Display

Resolução480 x 800 720 x 1280
Tamanho4.5 polegadas 5 polegadas
TecnologiaTFT LCD IPS
ProteçãoCorning Gorilla Glass 3

Câmera

Vídeos720p 30fps 1080p 30 fps
Traseira5MP 13MP
Frontal2MP 5MP

Como revelado pela tabela comparativa, eu passei pra um Moto G3 Turbo. Não preciso ficar aqui comentando porque ele é melhor, basta olhar as specs e ver que não tem uma característica dele que não seja melhor que do Galaxy Win 2, e é isso que se espera, afinal ele custa mais caro. O meu foco nessa coluna é explicar o que me incentivou a investir mais num smartphone e isso não foi causado tanto pelos atrativos do Moto G3 Turbo, foi mais pelos "repelentes" do meus aparelho anterior.

O negócio de ter um smartphone de entrada é o "efeito água mole, pedra dura". O aparelho funciona e cumpre suas funções, mas com engasgos, pequenas demoras pra carregar e, às vezes, até travamentos. Esse tipo de problema é agravado pelo uso constante que temos de um celular. Se você não joga o tempo todo no smartphone ou fica pendurado em redes sociais e no WhatsApp, pode até pensar que não mexe tanto no aparelho, e isso acontece porque a maior parte das vezes que se pega no celular já é imediatamente esquecida depois. É pegar pra ver a hora, olhar uma notificação, responder uma mensagem... Ou até atender uma ligação, acredite ou não, smartphones ainda são celulares.

Cada uma dessas vezes envolve uma pequena demora no uso do celular e não dar tempo de responder uma mensagem antes de descer do ônibus porque demorou pra abrir o WhatsApp, ter que reiniciar o aparelho depois de abrir um aplicativo mais pesado e problemas no espaço livre do armazenamento, com o tempo, começam a incomodar de verdade. E tudo isso é agravado pelo fato de aplicativos novos cada vez ignorarem mais telas com tamanhos menores que 5'', tornando seu uso bem prejudicado num aparelho de 4,7''.

Continuo considerando um desperdício investir num smartphone topo de linha

Mas isso não significa uma reversão completa no que sempre defendi. Continuo considerando um desperdício investir num smartphone topo de linha. Na verdade, usando um aparelho intermediário, percebo mais ainda que um high-end não vale a pena, afinal o meu atual Moto G3 Turbo já faz tudo que espero que um smartphone faça e sem problemas com engasgos ou travamentos. 

Só que, infelizmente, não é todo mundo que pode investir mais num aparelho. E no mundo constantemente conectado em que hoje vivemos, é complicado não se ter um smartphone. A maioria das pessoas já parte do pressuposto que você tem um e quem diz que não usa o WhatsApp é visto com os mesmos olhos desconfiados que são dirigidos para quem não tem Facebook, por exemplo. Então se for pra escolher um aparelho de entrada ou nada, com certeza recomendo. Até o Galaxy Win 2 Duos, que me ajudou por um bom tempo. 

- Continua após a publicidade -

E parece que o segmento intermediário é mais atrativo do que até o premium, segundo essa coluna do Diego.

Tags
  • Redator: João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira se formou em jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2015 e curte games desde muito antes. Começou com o Master System e o gosto pelos jogos eletrônicos trouxe o gosto pela tecnologia. Escrever notícias e análises de jogos, hardware e dispositivos móveis para o Adrenaline, além de trabalho é uma alegria e um aprendizado.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.