Sugestão do Tio João (o retorno!): Tales of Graces f

Os usuários "old school" do Adrenaline devem se lembrar das minhas sugestões semanais de games que estiveram ausentes por um bom tempo. Mas chegou a hora de voltar com algumas dicas de jogos no fim de semana, de preferência títulos menos populares que podem ter passado batido como Tales of Graces f.

Tales of Graces f é mais um game dentre tantos outros da série "Tales of" de JRPGs da Namco Bandai. Essa é uma franquia de sucesso que a produtora não tem problemas em tentar extrair até a última gota, então tentar experimentar um jogo é meio que uma "loteria". E que surpresa boa eu tive com Graces.

Tales of Graces foi originalmente lançado para o Wii e o seu port para o PS3 saiu no ano seguinte adicionando o "f" ao título, então o game está disponível nesses dois consoles. Trata-se de um JRPG que eu sugiro fortemente para quem está em busca de um jogo no estilo mais tradicional possível desse gênero. O combate pode não ser em turnos, mas o resto está todo aí: personagens estereotipados de animes, dublagem forçada, visuais mirabolantes e uma história melosa e muitas vezes brega. Falando assim parece que estou criticando o jogo, mas eu juro que digo essas características no melhor sentido possível! Isso porque num mercado que fica cada vez mais competitivo para fazer jogos dignos de prêmio, é bom demais experimentar um JRPG despretensioso, leve e direto que só quer divertir. E rapaz, Tales of Graces é divertido!

A começar pelos personagens. Sim, eles são os estereótipos do herói meio tolo que acredita na amizade acima de todas as coisas, a frágil mocinha que sabe lutar e o metódico metidão que critica todo mundo, mas no fundo tem um bom coração. Mas funciona. A química entre os personagens é convincente e a maneira que a história é contada no jogo, começando com um longo trecho em que jogamos na infância dos protagonistas, realmente faz a gente se apegar a essas pessoas e se interessar pelas suas vidas. Outra coisa que prende muito o jogador é como o game progride aos poucos, sempre adicionando novos elementos à jogabilidade e à história de maneira constante, de modo que com aproximadamente 5 ou 6 horas de gameplay você ainda não viu nem metade do que o título tem pra oferecer.

O sistema de combate é simples o suficiente pra pegar a manha rapidamente, mas complexo o bastante para você não dominá-lo em poucas horas. Isso dá uma dinâmica ótima em que mesmo quando você está lutando só para aumentar o nível dos seus personagens, você também aproveita para treinar suas próprias habilidades e domínio sobre o sistema de lutas do jogo. Mas não é só isso que vai garantir que você não fique entediado na hora de fazer um "level grinding". Tales of Graces f investe num sistema de "Títulos". Existem diversos títulos para serem conseguidos por cada protagonista e cada título tem seus próprios níveis, separado do level do personagem. Liberar um novo título permite equipá-lo e ver sua lista de habilidades. A cada novo nível do título, uma nova habilidade pode ser usada, podendo ser tanto movimentos de luta como ganhos de status para o personagem. Essa dinâmica de liberar títulos e as habilidades contidas neles, associado a aumentar níveis dos personagens e treinar para dominar o combate do jogo garantem horas e mais horas de lutas sem nunca enjoar nenhum pouco.

Mas o jogo conta ainda com customização de equipamento, criação de itens através da coleta de diferentes materiais e, é claro, side quests, tudo num pacote de bonitos gráficos caprichados em estilo de anime. Tales of Graces f foi uma grata surpresa na minha vida, ainda mais tendo pegado o jogo numa promoção. Recomendo o game sem medo pra qualquer pessoa que conseguir pegá-lo com um bom desconto e para os amantes do gênero arrisco que vale a pena até pagar o preço cheio

- Continua após a publicidade -

Tags
  • Redator: João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira

    João Gabriel Nogueira se formou em jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em 2015 e curte games desde muito antes. Começou com o Master System e o gosto pelos jogos eletrônicos trouxe o gosto pela tecnologia. Escrever notícias e análises de jogos, hardware e dispositivos móveis para o Adrenaline, além de trabalho é uma alegria e um aprendizado.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.