Dirigi o Novo Focus Hatch 2016: primeiras impressões

Essa semana a Ford anunciou a chegada do novo Focus Hatch 2016 ao Brasil. Como existe uma tendência forte de grandes players de tecnologia investindo em carros, como Apple, Google e Microsoft, começaremos a escrever cada vez mais sobre o assunto, sempre buscando focar na tecnologia embarcada, hoje falaremos do novo Focus.

Com 05 versões, o Focus 2016 chega as concessionárias em agosto com preços que variam de R$ 69.900,00 para o modelo SE 1.6, de entrada, até R$ 95.900,00 no modelo Titanium Plus 2.0 AT, o top de linha. O carro sofreu um facelift ganhando ajustes no design que o deixam mais alinhado com o posicionamento global da marca, trazendo ainda várias novidades tecnológicas. O Adrenaline recebeu um convite da Ford e viajou para Aquiraz, no Ceará, onde o anúncio oficial foi realizado e, claro, além de poder conferir de perto as mudanças no novo Focus, aproveitei para dar uma voltinha no líder do segmento de Hatches médios no Brasil.

Já faz algum tempo que a Ford vem alinhando sua linha de automóveis no Brasil para deixá-la em sintonia com o mercado global. Carros como o Ka e o Fiesta já são vendidos no Brasil nas mesmas versões encontradas em outros mercados e, com o anúncio do modelo 2016, o Focus também passa a fazer parte dessa categoria. Anunciado na Europa em Outubro de 2014, o novo Focus chegou aos Estados Unidos em Dezembro e agora, apenas 08 meses após seu lançamento global, o Brasil se torna o terceiro mercado a receber a atualização do modelo, uma aposta da Ford em busca da manutenção e ampliação da liderança que a empresa possui no segmento de hatches médios.

O Focus é o carro que melhor representa o DNA da Ford.


- Luiz Morroni, Engenheiro Chefe da Linha Focus


O carro que dirigi pelas ruas de Aquiraz e Fortaleza foi o Focus SE 1.6, modelo de entrada da linha. Como era meu primeiro test drive, dei mole e não "rushei" para os carros. Apenas quando já era tarde, notei que os macacos velhos do setor automotivo já se planejam para ficar sentados mais próximos da saída durante a coletiva de apresentação dos executivos da Ford, ficando assim mais perto dos carros que eles planejam dirigir. Eu, acostumado com coletivas do mercado de tech, que precisa de um assento mais próximo para um melhor ângulo para as fotos, dei mole. Vivendo e aprendendo!

- Continua após a publicidade -

Mas se engana quem pensa que dirigir o carro de entrada foi um má experiência, muito pelo contrário. Apesar de não ter todos os recursos dos outros modelos, o Focus SE 1.6 vem equipado com motor 1.6 Sigma Flex com 135/131 cv, rodas de liga leve de 17", controle eletrônico de estabilidade e tração, sistema de estabilidade preventivo, assistente de partida em rampas (não preciso, claro) controle de torque em curvas, aviso de pressão baixa dos pneus, freio a disco nas quatro rodas, faróis de neblina, acendimento automático dos faróis, retrovisor eletrocrômico, sensor de chuva, chave programável e o sistema de conectividade SYNC com tela de 4,2" colorida, conexão Bluetooth, duas entradas USB, comandos de voz para áudio/fone em português e sistema AppLink com 05 novos aplicativos e assistência de emergência. Parece completo né? Dentro das opções que o novo Focus oferece, está longe de ser!

A Ford vai incluindo diversas tecnologias e componentes adicionais em cada uma das 05 versões, não vendendo pacotes de acessórios a parte. Se o consumidor quiser um pacote específico de componentes / tecnologias, terá que escolher a versão correta de acordo com seus interesses. Por exemplo, a partir do Focus SE Plus 1.6, todos as versões trazem banco revestido em couro, rodas de liga leve de 17"com design exclusivo, aibags laterais, sensor de estacionamento traseiro, controle de velocidade de cruzeiro com limitador de velocidade e ar condicionado digital dual zone. Esse modelo sair por R$ 71.900,00 ou seja, por R$ 2.000,00 você adiciona um pacote com diversas vantagens.

Os consumidores que prezam por tecnologia, como os leitores do Adrenaline, esses podem se interessar mais pelo Focus Titanium 2.0 AT, que sai por R$ 86.900,00, pois a partir desse modelo o novo Focus já conta com um sistema de infotainment baseado no SYNC com tela sensível ao toque (resistiva) de 8" e traz um sistema de navegação com mapas atualizáveis, comando de voz para telefone, áudio, navegação e ar-condicionado, proporcionando uma experiência de navegação e entretenimento bem mais rica que os modelos anteriores. No modelo de entrada da linha Titanium você ainda encontra um acabamento exclusivo Titanium, rodas de liga leve de 17" exclusivas (com fundo escuro e frente diamantada), airbags de cortina, chave com sensor de presença e partida inteligente e o sistema de som Sony Premium Sound com 09 alto-falantes, que faz um ótimo combo com o Sync. O Focus Titanium AT herda ainda o motor 2.0 Direct Flex e transmissão sequencial de 06 velocidades de dupla embreagem com Paddle Shift, disponíveis desde a versão SE Plus 2.0 AT que custa R$ 78.900,00.

O Novo Focus não é compatível com o Apple CarPlay e com o Android Auto, porém a Ford está trabalhando na integração para versões futuras

Quanto ao test drive, dentro do que foi proposto o carro se saiu muito bem. Assim que você senta no carro, logo nota que os instrumentos e comandos em gerais são mais voltados ao motorista, no que a Ford chama de cockpit esportivo. O acesso aos ajustes manuais do banco do motorista e ajuste elétrico dos retrovisores é super fácil. Assim que saímos do hotel dirigi por uma região urbana, com radares e bastante movimento. Pelo curto percurso em que eu guiei o Focus - cerca de 35km, deu para sentir que o carro é bem estável e responde bem aos comandos, com boa retomada de velocidade em ultrapassagens, ao menos em baixas velocidades. A transmissão é bem suave, com embreagem macia, fazendo com a troca de marchas fosse bem tranquila e prazerosa. Em nenhum momento senti dificuldade, o que poderia ser compreensível já que eu não dirigia um carro manual há 03 anos. Esse modelo conta com uma tela de instrumentos no painel que dá acesso a odômetros e informações básicas do veículo e que é facilmente acessível pelo volante.

- Continua após a publicidade -

Ao dirigir o novo Focus o único item que deixou a desejar foi a versão do SYNC nele embarcada, que ainda não é compatível com o Android Auto e o Apple Car Play, o que limita bastante as opções de integração do smartphone com o carro. Claro que no carro que eu estava dirrigindo, com tela de 4.2", não teria uma grande vantagem utilizar um sistema com esses sistemas, pois os mesmos se aproveitam de telas maiores e mais modernas, que possibilitem multitouch, onde o usuário pode interagir com os dedos dando zoom no GPS, por exemplo. Mas se no modelo de entrada faz sentido não ter essa compatibilidade, no top de linha, com tela de 8", a falta de compatibilidade é sentida. Tanto a Volkswagen quanto a Chevrolet já anunciaram que alguns de seus carros trarão suporte a essas tecnologias ainda em 2016, através do App-Connect e do MyLink, respectivivamente. No caso da Volks, o sistema estará presente inclusive no Fox, um carro de entrada, um belo diferencial para quem considera a tecnologia embarcada como um diferencial na hora da compra. Indaguei os executivos da Ford sobre as previsões da empresa com relação a compatibilidade e suporte a essas tecnologias e fui informado que eles estão trabalhando nisso, porém ainda sem previsão de chegada ao mercado.



Inovações tecnológicas chegam no topo de linha

Algumas das principais inovações introduzidas pela Ford na linha Focus Hatch 2016 estão presentes apenas no modelo top de linha, o Novo Focus Titanium Plus 2.0AT, que chega por R$ 95.900,00 contendo tudo que o consumidor mais exigente pode esperar da linha Focus.

Faróis bi-xenon adaptativos com luzes diurnas de LED, produzem fachos direcionais de luz e tem acionamento automático de luzes auxiliares em curvas, desde que o motorista esteja com os faróis no modo automático. Ainda no quesito segurança, o assistente de frenagem autônomo traz sensores no para-brisas que monitoram constantemente o trânsito e detectam se há perigo eminente de colisão. Em velocidades inferiores a 50km/h, o carro frea automaticamente em situações de risco, diminuindo o impacto da colisão. Caso o condutor esteja a menos de 20km/h, o veículo consegue frear a tempo de parar completamente e evitar o acidente. Tive a oportunidade de testar essa tecnologia e o vídeo da matéria mostra como o veículo se comporta nessas situações. Essa é uma tecnologia particularmente útil nos dias atuais, onde cada vez mais as pessoas estão distraídas acessando seus telefones no trânsito e se envolvem em acidentes bobos que poderiam ser evitados.

Outra tecnologia que evoluiu foi o Sistema de estacionamento automático, que chega a sua segunda geração e que agora além de auxiliar no estacionamento entre carros, também ajuda o motorista em vagas paralelas e perpendiculares, como as de shoppings, por exemplo. No meu teste o carro se saiu muito bem, com o carro comandando o volante e dando comandos de voz para que apenas acelerasse e freasse quando necessário.

Além das novidades acima, o Focus Hatch top de linha ainda traz teto solar, espelhos com rebatimento elétrico e banco de motorista com ajuste elétrico. 

Quanto ao consumo de combustível do Focus Hatch 2016, os modelos 1.6 fazem 7,5 km/l com etanol e 10,8 km/l com gasolina na cidade, já na estrada o consumo fica em 9,3 km/l com etanol e 13,6 km/l com gasolina. Os modelos 2.0 fazem 6,7 km/l com etanol e 9,7 km/l com gasolina na cidade, e 9,2 km/l com etanol e 13 km/l com gasolina na estrada.

Para maiores informações sobre o Novo Focus Hatch acesse o site da Ford em www.ford.com.br

Assuntos
Tags
  • Redator: Jacson Boeing

    Jacson Boeing

    Apaixonado por tecnologia, gadgets e pelo universo geek em geral, Jacson Boeing é sócio-fundador e Editor do Adrenaline, onde desenvolve um trabalho de bastidores, desenvolvendo parcerias e formas criativas de dominar o universo! Fora os sonhos ambiciosos, também ajuda no desenvolvimento de pautas e escreve esporadicamente sobre tecnologia, além de viajar para cobrir in-loco alguns eventos internacionais considerados importantes dentro da estratégia de expansão do Adrenaline.

É melhor ter o xCloud capado no iOS ou ficar sem o serviço nos iPhones?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.