Primeiro dia de Google I/O: O que rolou?

Na tarde de hoje aconteceu a principal conferência da Google em seu evento com desenvolvedores, o Google I/O. Nesta keynote, a empresa tentou assassinar jornalistas com uma overdose de notícias lançou um verdadeiro bombardeio de novidades para as plataformas Android, Chrome OS e até Chromecast. Para quem não estÁ afim de ficar lendo uma infinidade de notícias, vamos fazer um jogo rÁpido com o que foi o principal do evento: 

A empresa usou uma mÁquina no estilo Rube Goldberg para abrir o evento, cheio de maracutaias para servir como a contagem regressiva para o início da apresentação. Pra que? Sei lÁ, coisas típicas da Google. Ao menos não trouxe o Cirque du Soleil ou uma orquestra inteira, como a Samsung adora fazer em seus lançamentos.


A Google abriu a conferência "ostentando" os números do Android. 1 bilhão de usuÁrios ativos, 100 bilhões de "olhadelas" para ver se tem novas notificações (mas só 20 bilhões de mensagens enviadas). Mas mostrou também números alarmantes: 93 milhões de selfies são batidas todos os dias.

Nesta escala, os tablets Windows são o pingo no I do Android 


1 bilhão de usuÁrios é um monte, mas tem mais outros bilhões sem um gadget da Google. Para resolver isto, a empresa apresentou o Android One, um programa para ajudar operadoras a lançar aparelhos "pobre mas limpinho": de baixo custo, mas com boa experiência de uso. Os primeiros modelos serão lançados na Índia, que vão servir de nossos beta testers. Mal posso esperar para ver como as nossas adoradas operadoras daqui vão usar isto, pois apesar desta plataforma ser baseada em "Android puro", dÁ para incluir a auto-instalação de apps.

- Continua após a publicidade -

A Google mostrou o Material Design, seu novo design para o sistema Android. A grande novidade é o conceito de "profundidade dos pixels". Agora vão ter pontos em sua tela "mais para trÁs e mais para frente". Apesar de não ser tão maneiro quanto partes da sua tela realmente "saindo pra fora", não deixa de ser bem interessante.

Tipo isto, mas sem a parte que saem as coisas da tela

Além do visual novo, mostraram boas novidades para o Android. Cada aba aberta no Chrome irÁ aparecer separada no multitarefa, e buscas agora não irão se limitar a pÁginas: vai dar para "ir direto" para buscas dentro de aplicativos, como ao buscar um restaurante jÁ cair direto nas informações dele dentro do app do Open Table.

Representante da Google visivelmente interessada no resultado de sua busca

- Continua após a publicidade -

Na sequência, a Google falou das vantagens do uso da ART, mÁquina virtual que vai substituir o Dalvik no Android, o que inclui maior performance, compatibilidade com múltiplos hardwares e até ecnomia de bateria. Demonstraram os grÁficos com a Unreal Engine 4, mas a tela não parava de piscar. Na falta de um PT por lÁ, o culpado do problema foi "uma tempestade eletromagnética".

O que mais vimos na demonstração da engine

Aí a Google decidiu emendar um combo de "Androids algo". O primeiro HIT foi o Android Wear, que jÁ conhecíamos, mas no palco mostraram um pouco mais da interação com a interface, suas funções e seu visual no estilo Material Design.


HIT 2: Android Auto. Apesar de perigoso, e proibido em muitos países, muitas pessoas usam seus smartphones enquanto dirigem e deixam a seleção natural agir e acabam feridas. Para ajudar seus usuÁrios a continuarem usando o Android quando não deviam, a empresa apresentou este sistema com interações por comandos por voz e gestos simplificados.

HIT 3 Fatality Flawless Victory: Depois do seu smartphone, seu relógio e seu carro, a Skynet Google quer sua televisão. O Android TV é um sistema para televisores com as mesmas premissas que vimos no WebOS: interatividade simples e uma interface bem direta. Combina comandos por voz com buscas com a eficiência que só a Google consegue. Sony, Philips e Sharp vão trazer televisões com este sistema em 2015.

Curiosamente, o espírito #naovaitercopa atacou o Google I/O, com duas manifestações no meio da conferência (para quem acompanhou o streaming, dava até para ouvir os gritos ao fundo). Assim que começaram a falar de mÁquinas automatizadas, uma pessoa da plateia começou a gritar: "vocês trabalham em uma empresa totalitarista que cria mÁquinas para matar pessoas". Em outro momento, uma mulher levantou uma camisa escrito "desenvolva uma consciência, pare Jack Halprin" e começou a gritar no meio da conferência. Ou você morre com um herói, ou vive o bastante para se tornar o vilão, Google.

Meu combo pessoal de "até que enfins": até que enfim o Chorme OS vai ter mais sincronia com seu smartphone, exibindo notificações vindo dele, até que enfim alguém falou algo sobre tentar melhorar a autonomia de smarpthones e até que enfim o Chromecast vai espelhar dispositivos Android.

Fechando a nossa coletânea dos melhores momentos, a Google também mostrou o Google Fit, plataforma que irÁ agrupar todos seus dados relacionados ao fitness, como exercícios, seu peso e a alimentação, e vai ficar te julgando vai compartilhar com outros apps. Ele jÁ começa funcionando em conjunto com o Nike Plus, o que é um começo e tanto.

Isto é tudo! Para ver se sobrou alguma novidade depois desta enxurrada de lançamentos logo na primeira conferência, continuem de olho na nossa cobertura do Google I/O. Também não deixem de opinar sobre este formato "um pouco mais solto" de resumo do evento. 

Assuntos
Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

Deve ter lançamentos como leve melhorias na mesma arquitetura

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.