O que esperar do novo iPhone

Setembro estÁ aí e, com ele, as expectativas em torno do iPhone de próxima geração. A Apple, sabe-se, é rígida em sua agenda e atualiza o seu smartphone apenas uma vez por ano, então estÁ na hora de exercer a futurologia e imaginar o iPhone perfeito rodeado de unicórnios cor-de-rosa debaixo de um arco-íris. Para, é claro, daqui a duas semanas, vociferar pelos quatro cantos a respeito do QUÃO DECEPCIONANTE foi a novidade e que qualquer-Android-da-geração-passada-faz-mais-do-que-isso-aí.

A Apple confirmou hoje que vai realizar um evento especial no dia 12 de setembro. Como sempre, o convite para a imprensa é simples e misterioso, mas a sombra formando o número 5 dÁ a dica. Todos esperam que seja mesmo o dia do iPhone 5.


Um pouquinho óbvio. Só um pouquinho


Não sou exatamente boa em fazer previsões. Minha bola de cristal quebrou e até a próxima chegar do eBay vai levar um bom tempo. Tenho uma mania de ser realista demais. Mas, desta vez, resolvi arriscar meus palpites: se até analistas de renome, ouvidos por diversas publicações internacionais, falam uma penca de besteiras, por que não eu?

Não sou tão animada como esses caras, então sempre espero uma ou outra inovação, mas não um telefone que consiga até mesmo vir trabalhar por mim. Então, é muito provÁvel que o último rumor acerca do iPhone 5 esteja certo: ele virÁ com um processador A6, quad-core, bem mais poderoso que o A5 dual-core do iPhone 4S. Se o iPhone 4S foi criticado como um modelo que não trazia tantas inovações em relação ao iPhone 4 (e, possivelmente, por isso não foi chamado de iPhone 5) trouxe um processador melhor, por que, agora, um iPhone 5 novinho não faria um belo upgrade nesse sentido?


Muitos especulam sobre o tamanho da tela. De fato, displays grandes têm surgido como uma forte tendência, mas duvido muito que a maçã irÁ seguir a onda. A empresa nunca escondeu que considera o tamanho de 3.5 polegadas ideal para usar com apenas uma mão sem grandes esforços. O que seus designers poderiam fazer seria, talvez, diminuir as bordas ao redor da tela, o que daria um ganho de Área útil e, consequentemente, de display. Alguns mockups jÁ mostram isso, mas me parecem estranhos: ainda não têm exatamente "a cara" da Apple, que não costuma mudar tão radicalmente seus produtos assim. Admito, porém, que não se trata de uma possibilidade tão absurda.


Compatibilidade com LTE é um item obrigatório. Quase todos os smartphone top-de-linha têm essa funcionalidade, e seria absurdo a Apple continuar atrÁs. A conexão móvel bem mais rÁpida que a 3G tem sido o foco das empresas em países para os quais a Apple dedica mais atenção (especialmente na América do Norte e Europa) e, se a companhia quiser mesmo continuar liderando as vendas, vai ter que se adequar a essa nova realidade. O fato de a Samsung ter vendido quase o dobro de smartphones que a Apple no segundo trimestre pode ser um claro sinal disso.

Existem coisas óbvias que podemos esperar: melhorias nas câmeras, especialmente na frontal, com novos recursos via software, como a possibilidade de selecionar a Área do foco após tirar a foto. Algumas alterações no visual também sempre acontecem: agora, ele deve vir com uma traseira fosca em alumínio, bem mais resistente a quedas e arranhões. Como de costume, a espessura deve diminuir, mas elementos icônicos, como o botão Home, vão continuar. AliÁs, jÁ estÁ na hora de fazer uma mudança interna nesse botão, que a cada geração continua parando de funcionar em alguns casos, que não são poucos.

- Continua após a publicidade -


"Botão Home virtual"??? DU-VI-DO


JÁ é hora de introduzir a tecnologia NFC, mas ainda não acredito que a Apple irÁ fazer isso. Ainda é preciso um motivo para decepcionar a audiência e gerar bastante flame. Mas algumas novidades muito bem-vindas poderiam vir no Siri: o suporte a novos idiomas, um aperfeiçoamento geral do sistema e novas integrações com outros aplicativos podem ainda ser revelados – talvez nem em conjunto com o novo iPhone, mas em um futuro muito, muito breve.

Em resumo, é certo que o novo iPhone virÁ mais poderoso e com um visual diferente, mas não exatamente transgressor. Nem tudo que é tendência no ramo vai aparecer no aparelho, mas a Apple com certeza terÁ uma carta na manga que nem eu, nem vocês e nenhum analista deve ter imaginado. Agora, eu passo a bola para vocês.

Assuntos
Tags
  • Redator: Risa Lemos Stoider

    Risa Lemos Stoider

    Formada em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e gamemaníaca desde os 4 anos de idade. Já experimentou consoles de várias gerações e atualmente mantém uma ainda modesta coleção. Aliando a prática jornalística com a paixão pela tecnologia e os games, colabora com a Adrenaline publicando notícias e artigos.

Quem estava pior no primeiro vídeo?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.