Taipei, sede da Computex, respira tecnologia!

Que inveja!! Você gosta de tecnologia? Ou melhor, você gostaria de poder ter acesso a tecnologia de ponta, com preços justos e ainda por cima, pechinchando preço e levando alguns acessórios extras como brinde? Essas são algumas das características que você encontrarÁ na maioria das centenas de lojas de informÁtica e eletrônicos de Taipei.

Difícil falar sobre esse assunto e não traçar um paralelo com o Brasil. Enquanto pagamos uma das maiores cargas tributÁrias do Mundo e sofremos com diversos atravessadores para que o produto chegue nas mãos do consumidor final, em Taipei parece que o produto sai direto da linha de montagem das fÁbricas para as prateleiras das lojas. Surreal! Os preços por aqui não chegam a ser tão bons quanto nos Estados Unidos, ficando na maioria das vezes entre 15 e 20% mais caros que na terra do tio Sam, porém, se compararmos com o Brasil...

Andar térreo do Ganghua Digital Plaza

O fato de os produtos serem mais caros que nos Estados Unidos é uma evidência de que a carga tributÁria por aqui não é das mais leves, mas não chega a ser nem de longe como a brasileira. Ta certo que a maioria dos produtos vendidos em Taiwan são fabricados em países geograficamente próximos como a China e o Japão e também proveniente da indústria local. No caso dos produtos chineses, por haver um atrito histórico entre os dois países, ouvi por aqui que a logística (custo de transporte) mais barata esbarra em impostos de importação mais elevados, o que confesso, não consegui apurar a tempo para essa coluna. Por outro lado, pelo que pude apurar, os fabricantes tem seus representantes dentro dos principais shoppings de tecnologia em Taiwan, o que aparenta uma venda direta entre fabricante e lojistas, diminuindo atravessadores no processo. Novamente, quase igual ao Brasil... humpf!

Falando em Brasil, outra comparação vÁlida é o estilo das ruas e shoppings de tecnologia. Quem é de São Paulo certamente jÁ ouviu falar em Santa Efigênia, o mesmo se aplica ao Rio de Janeiro com o InfoCentro, regiões onde estão as maiores concentrações de lojas de informÁtica, componentes e eletrônicos em geral nas duas cidades. Em Taipei a estrutura é muito semelhante, com a diferença é que aqui eles tem uma Santa Efigênia e um InfoCentro juntos, na mesma cidade... e muito mais!     

Rua repleta de lojas de informÁtica. A Santa Efigênia de Taipei.

Infelizmente, para o consumidor que visita o país e não possui olhos puxados, as compras nem sempre são tão fÁceis. A barreira da língua é sentida a todo o momento. São poucas as lojas que possuem atendentes falando inglês. Você, caro leitor, tem noção do que é tentar negociar em inglês com alguém que fala apenas mandarim e/ou taiwanês? Da vontade de falar em português, afinal, em alguns casos, daria na mesma. Essas lojas totalizam grande parcela das lojas menores, focadas mais no comércio local. Algumas lojas médias possuem atendentes que arranham o mínimo do mínimo em inglês, o que gera algum stress e boas gargalhadas. JÁ em outras você consegue até negociar o preço, acessórios etc... o paraíso!! Falando em negociar, os caras adoram uma barganha. Comprei uma câmera fotogrÁfica e perguntei o famoso "- O que estÁ incluso?" a resposta foi: "Além do kit com o corpo e duas lentes que você estÁ comprando, vou dar uma bolsa, cartão de 16GB classe 10 e bateria extra não oficial." Pergunto se posso pagar com cartão e ouço da atendente: "Com cartão é mais caro". Calculo o preço - sempre exibido em uma calculadora para facilitar a comunicação - e verifico que o mesmo subiu 5% no valor total, ou seja, 5% é o custo do cartão, que é repassado apenas a quem o utiliza. Justo!

Além disso, em um shopping onde 10 a 15 lojas vendem o mesmo produto, negociar é uma arte! Ocidentais são quase atacados nos corredores de shoppings repletos de publicidades. Uma poluição visual adorÁvel para amantes de tecnologia. Marcas, promoções, listas de preços, enfim, o pacote completo! É bem comum vermos por aqui lojas caracterizadas com publicidade de apenas uma marca, o famoso "shopping decoration", onde a marca investe na loja para que ela venda exclusivamente, ou com mais destaque, produtos da sua marca. Nesse sentido as marcas taiwanesas ficam muito evidentes e olha que não são poucas. Asus, Acer, MSI, Gigabyte, CoolerMaster, ECS, HTC, entre tantas outras tem sua sede no país. Inveja?? Melhor nem pensar nisso. Senão lembraremos o ótimo trabalho que faz nosso país protegendo a indústria nacional que sequer ao menos existe...

Linha completa de componentes entusiastas da ASUS em um único local.

Termino o dia com a noção clara de quanto nós, brasileiros, sofremos para ter acesso a tecnologia. Comparar com Estados Unidos é fÁcil. É sabido que lÁ os preços são fantÁsticos. Mas assim como nos Estados Unidos, em Taiwan - país de terceiro mundo como o Brasil - a tecnologia é acessível a todos. A indústria de eletrônicos de consumo e componentes é fomentada de forma geral, produzindo produtos para todos os segmentos, com preços honestos. Não é raro encontrar produtos com valores abaixo dos praticados nos Estados Unidos, como no caso do recém lançado Samsung Galaxy S III, comprado aqui por USD 680,00, com direito a bateria extra e outros mimos de brinde e que nos Estados Unidos beira os USD 800,00. E no Brasil?? Chega na próxima semana por aproximadamente R$ 2.000,00. Algo estÁ errado, não acham? Enquanto o Brasil insistir na política de proteção de mercado e não investir em infraestrutura e educação, dando condições para que a indústria brasileira se desenvolva, seremos sempre excluídos, pagando mais caro por tecnologias que chegam sempre depois. Enquanto isso, viva Taiwan!

- Continua após a publicidade -

Confira outras imagens abaixo...

 

 

Assuntos
Tags
  • Redator: Jacson Boeing

    Jacson Boeing

    Apaixonado por tecnologia, gadgets e pelo universo geek em geral, Jacson Boeing é sócio-fundador e Editor do Adrenaline, onde desenvolve um trabalho de bastidores, desenvolvendo parcerias e formas criativas de dominar o universo! Fora os sonhos ambiciosos, também ajuda no desenvolvimento de pautas e escreve esporadicamente sobre tecnologia, além de viajar para cobrir in-loco alguns eventos internacionais considerados importantes dentro da estratégia de expansão do Adrenaline.

Com o GeForce Now e o xCloud surgindo como opções, qual seu plano a médio prazo?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.