Créditos: Sandstrom/Divulgação
- Publicidade -

Conectores banhados a ouro: vantagens justificam pagar mais caro por eles?

Cabos com acabamento premium podem custar até 4 vezes mais do que os modelos tradicionais, mas será que é válido fazer esse tipo de investimento?

Se você estiver procurando por um cabo HDMI – ou qualquer outro tipo de cabo para transmissão de áudio e vídeo - é bem provável que se depare com opções dos mais variados tipos de preço. Na lista dos mais caros estão aqueles com conectores banhados a ouro, mas será que vale a pena pagar mais por eles?

A resposta para essa pergunta não é tão simples assim. Existem diversos tipos de conectores banhados a ouro. Aspectos como quilate e número de camadas sobrepostas, além da intensidade de uso, influenciam diretamente na durabilidade e na eficiência, tornando a comparação bastante complexa.

Conectores banhados a ouro: entenda a teoria

O ouro é um metal cuja proteção é maior contra a oxidação do que o alumínio. Portanto, é possível afirmar que um conector banhado a ouro, ou seja, com uma camada de ouro aplicada sobre ele, está menos propenso a oxidar do que um conector de alumínio convencional. No entanto, é aí que entram em cena outras variáveis: qual é a qualidade da camada utilizada? Quantas camadas foram aplicadas?

Quilate é a medida que se aplica para avaliar a pureza de um metal ou pedra preciosa. No caso específico do ouro, o quilate representa a razão entre a massa de ouro e a massa total de uma peça, multiplicada por 24. O ouro puro (ou 99,9% puro) tem 24 quilates, mas há ainda graus menores de pureza, conforme a tabela abaixo.

Como se mede a pureza do ouro?

Portanto, nem todo conector banhado a ouro é igual. Muitas vezes a quantidade de ouro usada na camada não é informada, sendo mantida como um segredo comercial. E mais: há que se considerar ainda quantas camadas foram aplicadas. Em teoria, quanto maior a quantidade de camadas, mais espessa será a proteção e melhor será a qualidade.

Ouro é um melhor condutor de eletricidade. Isso influencia?

Os fabricantes afirmam que os cabos banhados a ouro são melhores condutores de eletricidade do que os cabos feitos com outros materiais. Em teoria, há menos perda no processo de transmissão o que faz com que o sinal sofra menos deterioração. Porém, há um fator interessante aqui: eles de fato faziam um trabalho melhor quando o sinal era analógico.

As ondas utilizadas pelo sinal analógico são mais suscetíveis a interferências, o que resultava em imagens menos nítidas. Isso já não ocorre com o sinal digital, cuja informação é binária, ou seja, “0” ou “1”. Em outras palavras: não há espaço para interferência, pois o sinal só pode ter duas possibilidades.

Não há razão para afirmar que um cabo HDMI banhado a ouro vá entregar melhor qualidade de imagem do que um cabo convencional com conectores de outros materiais

Portanto, não há razão para afirmar que um cabo HDMI banhado a ouro vá entregar melhor qualidade de imagem do que um cabo convencional com conectores de outros materiais. A qualidade da imagem será exatamente a mesma. Eventuais falhas nesse processo que possam deixar a imagem com pequenos pontos na tela não ocorrem em razão do material do conector, mas sim em função de danos nos cabos.

- Continua após a publicidade -

E com relação à latência? Aqui precisamos levar em consideração que os conectores não são o único item que importa na equação. Para ir de uma ponta à outra, o sinal passa por fios de cobre – e são exatamente os mesmos fios presentes nos cabos com conectores banhados a ouro ou não. Ou seja, na prática o material do conector não fará diferença alguma nesse quesito.

Gigabyte Z690 Aorus Master

Afinal, quais as vantagens dos conectores banhados a ouro?

Já vimos que na prática os cabos com conectores banhados a ouro não entregam um sinal de melhor qualidade e não ajudam a reduzir a latência nas transmissões de dados. Ainda assim, eles custam mais caro e há quem esteja disposto a pagar mais por eles. Por quais motivos?

O ouro é um material menos corrosivo do que outros metais, o que significa que entre um conector de alumínio e um conector de ouro, a versão dourada certamente será mais resistente ao tempo. A umidade é inimiga dos eletrônicos em qualquer lugar. Para quem mora no litoral, por exemplo, onde os efeitos da corrosão costumam ser mais perceptíveis, esse pode ser um diferencial em médio e longo prazo.

Mas há mais um fator aqui a ser considerado: essa camada de ouro que banha o conector pode se desgastar com o tempo se você tirar e colocar o cabo com muita frequência. Não há um prazo ou limite de uso, mas um conector que não é mexido, ao menos em teoria, deve durar mais do que um conector que é plugado e desplugado com maior frequência. Estamos falando aqui de um ganho marginal e de um cuidado pouco perceptível com o passar do tempo – e que talvez não justifique o valor extra investido.

Não há um prazo ou limite de uso, mas um conector que não é mexido, ao menos em teoria, deve durar mais do que um conector que é plugado e desplugado com maior frequência.

Além disso, é claro, há o fator estético: cabos com conectores banhados a ouro tendem a utilizar materiais mais premium no acabamento, mas esta não é uma regra. De novo: é preciso analisar cada caso individualmente e um comparativo com relação a isso não é tão simples de ser feito.

Vale a pena pagar mais caro por conectores banhados a ouro?

Para a maioria dos usuários, a resposta é “não”. Porém, vamos considerar aqui que a maioria das pessoas não mora em áreas úmidas ou mais propensas à corrosão. Pense da seguinte forma: quantos conectores convencionais você perdeu até hoje na sua residência em decorrência da corrosão? Arrisco dizer que a maioria das pessoas responderá “nenhum”.

- Continua após a publicidade -

Conectores na Asus Rampage VI Extreme

Se você pluga e despluga seu conector com muita frequência – várias vezes ao dia, por exemplo – é possível que um modelo banhado a ouro seja mais durável. Possível, pois na prática pode ser que os resultados sejam muito próximos pois, novamente, há muitos fatores envolvidos para se fazer uma comparação como essa – o quão apertada é a entrada, a força com que o cabo é puxado, o ângulo para o qual ele é forçado, e por aí vai.

Isso não quer dizer que o problema não exista, pois há sim chances de que a corrosão afete seus conectores e um modelo banhado a ouro estará mais protegido. Pagar um pouquinho mais por eles também está tudo bem. Agora, gastar o dobro, o triplo ou mais, acreditando que de alguma forma isso trará melhorias em termos de qualidade de imagem ou de som a partir de fontes digitais, é quase uma ilusão. Ainda que houvesse algum ganho, considerando-se as tecnologias usadas hoje pela maioria das pessoas, seria algo tão imperceptível a ponto de não justificar um investimento muito maior neles.

É muito mais importante você se certificar que os cabos e componentes em questão são de boa qualidade do que escolhê-los apenas pelos conectores banhados a ouro.

É muito mais importante você se certificar que os cabos em questão são de boa qualidade do que escolhê-los apenas pelos conectores banhados a ouro. O produto tem garantia? Foi submetido a testes de qualidade? Possui as certificações necessárias ou chancela dos fabricantes? Respostas positivas a essas perguntas são mais importantes do que qualquer outra coisa.

Fonte: Make Use Of, CNET, CNET (2), CNET (3), PS Audio, Ethan Winer, Bright Link AV
Tags
  • Redator: Wikerson Landim

    Wikerson Landim

    Jornalista desde 2003 e atual Editor dos sites Adrenaline e Mundo Conectado. Em quase duas décadas, foi editor de diversos sites de tecnologia, games e entretenimento, além de produtor de conteúdo para sites corporativos. Nas horas vagas, assume o volante para dirigir caminhões no Euro Truck e em todos os jogos de corrida que surgirem pela frente.

- Publicidade -

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.