- Publicidade -

Entenda o que é V-Cache 3D, grande novidade do processador AMD Ryzen 7 5800X3D

Tecnologia promete bons resultados, mas aplicações não tiram tanto proveito ainda

A AMD lançou em abril de 2022 a tecnologia 3D V-Cache aplicada no processador Ryzen 7 5800X3D, modelo destinado para consumidores que buscam alta velocidade em games e aplicações. A promessa é que essa tecnologia faça do Ryzen 7 5800X3D a melhor solução do mercado em games. Nós já temos uma review completa dele para ver se de fato isso acontece.

Mas o que é 3D V-Cache? Por que a AMD está investindo nessa tecnologia em um produto para consumidores? O que a empresa espera trazer de novo e o que nós podemos esperar da tecnologia e de futuros CPUs com mais integrada? Nesse artigo esclarecemos como funciona o 3D V-Cache.

REVIEW do processador AMD Ryzen 7 5800X3D

Link de compra do CPU Ryzen 7 5800X3D

Entenda o que é o 3D V-Cache

Memórias em processadores trazem um desafio. Dados que precisam ser "buscados" na RAM ou até no armazenamento levam muito tempo para serem acessados, então quanto mais cache, mais oportunidades dos algoritmos de predição acertarem qual o próximo dado que os núcleos de processador vão precisar. Mas o die de um processador (leia-se o corpo dele) é um espaço disputadíssimo, com tudo na casa dos nanômetros, e cada espaço precisa ser explorado da forma mais eficiente possível.

Mais cache é bom, mas o espaço é limitado em um processador

Por isso raramente temos grandes quantidades de cache, especialmente nos níveis 1 e 2 (L1 e L2 cache), com apenas o L3 cache, um pouco mais afastado mas ainda no mesmo interpositor do restante do processador, trazendo uma quantidade mais generosa. Mas mesmo ele não vai longe, com um Ryzen 7 5800X trazendo 32MB de espaço, por exemplo.

O 3D V-Cache é uma solução para esse problema, viabilizando quantidade maiores de cache na mesma área do processador. Ele consiste em empilhar sobre o die do processador um novo silício com grandes quantidades de memória, se comunicando com os núcleos do processador através do Hybrid Bond, uma conectividade TSV (through-silicon via, ou via através do silício, em uma tradução livre) com grande densidade de pontos de contato.

- Continua após a publicidade -

O resultado é que esse "segundo andar" torna possível impressionantes 96MB de L3 cache, os 32MB já presentes na topologia original mais 64MB empilhados acima, acessíveis com grande largura de banda e baixíssima latência pelos núcleos do processador. Com tanto espaço, aumenta a quantidade de vezes que um dado que o processador precisava ainda estar disponível no cache, e consequentemente, mais performance. Os cenários com mais potencial de ganhos é um bastante caro a muito do público do Adrena: games.

Empilhar cache e colocar mais tem potencial para performance extra em games

Esse cache adicional é posicionado no centro, buscando evitar as laterais onde estão os núcleos de processamento no "andar inferior" e, por consequência, região de muito aquecimento. A AMD também precisou mudar altura de vários elementos para que, no fim, o Ryzen 7 5800X3D trouxesse a mesma altura que o die de todos os demais AMD Ryzen 5000 sem o 3D V-Cache, para não tornar as soluções de resfriamento atuais do mercado incompatíveis.

Mas a tecnologia também trouxe efeitos negativos, ao menos em sua implementação atual. A principal é que o 5800X3D não possui a capacidade de operar o cache e os núcleos de processamento em tensões elétricas diferentes. O resultado é que o overclock fica comprometido, já que forçar as tensões dos CPUs também bagunçariam o cache. Um 5800X3D pode ir a no máximo 1.35v, enquanto um 5800X tem seu limite em 1.5v, por exemplo.

É interessante ver a AMD seguindo a busca de novas tecnologias que consequentemente podem trazer bons frutos para o futuro de seus processadores. Até hoje nenhum processador para o segmento de consumidores trouxe tanta memória cache, e apenas por isso é natural que demora um pouco para desenvolvedores atualizar suas ferramentas visando tirar mais benefícios dessas memórias mais rápidas agora em maior quantidade.

Talvez no futuro outros modelos de processador da AMD e quem sabe da própria Intel sigam esse caminho e dessa forma acelere o processo por parte dos desenvolvedores, que é crucial para benefícios práticos, assim como aconteceu com o aumento de núcleos e threads, qe no inicio não eram tão bem aproveitados como hoje, tanto por aplicações para trabalhos como em jogos.

Abaixo a review e gameplay em vídeo com o processador AMD Ryzen 7 5800X3D:

- Continua após a publicidade -

  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Adrenaline é responsável por análises e artigos de processadores, placas de vídeo, placas-mãe, ssds, memórias, coolers entre outros componentes.

- Publicidade -

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.