Monitores: será que preciso de um widescreen, ultrawide, curvo, plano?

Entenda como escolher a tela que fará parte do seu setup

A hora de montar um PC é bastante divertida, mas é preciso ter alguns cuidados na hora de escolher seus componentes. Até aqui nada de novo. Já temos conteúdos mostrando algumas dicas de como escolher sua placa-mãe, processador, placa de vídeo e afins, mas um componente que não falamos ainda é essencial: o monitor. Afinal, sem ele você terá algumas boas dificuldades em ver os quadros que sua placa faz - na verdade, você não vai ver nada do mundo virtual. 

Mas a questão é: qual monitor é o certo para mim? Assim como todo hardware, existem várias opções de telas. Widescreen, ultrawide, curva, plana - Como escolher? É sobre isso que falaremos neste artigo.


O monitor é um espelho das suas necessidades

Na hora de escolher seu monitor, a principal coisa que deve se levar em consideração é a sua necessidade. Você é um estudante que vai usar o computador apenas para trabalhos escritos? Um designer ou fotógrafo? Ou ainda, nosso maior caso por aqui, um usuário que gosta de jogar os títulos mais recentes da indústria dos games? Cada um desses perfis deve considerar um tipo de especificação diferente.

Monitor Widescreen

Widescreen são os monitores mais tradicionais que vemos no mercado, o formato consolidado da indústria com proporção 16:9. Isso quer dizer que a cada 16 pixels de comprimento, 9 pixels serão aumentados na altura. 

Os videogames usam exclusivamente esse tamanho-base para mostrar imagens. E se o seu trabalho é simples e você não depende de múltiplas tarefas ao mesmo tempo, esse provavelmente é o tipo de monitor para se procurar. 

Outros dois pontos sobre o widescreen é que é nesse segmento de monitores que você vai achar mais modelos custo x benefício, mas as boas especificações dos monitores gamers (dos quais falaremos daqui a pouco) já são suportadas nos modelos mais recentes. Então, procurando bem, você consegue algo bem bom sem ter que investir muito dinheiro a mais.

Monitor UltraWide

- Continua após a publicidade -

Os monitores ultrawide, mais largos com proporção a partir de 21:9 e diferentes tamanhos (em polegadas) tem ganhado popularidade entre os jogadores. Esse formato de tela é geralmente utilizado em cinemas, e é por isso que quando vemos algum filme no PC ou na TV eles ficam com aquelas bordas pretas na horizontal. Monitores ultrawide tem cerca de 33% mais espaço na tela.

Usando como exemplo qualquer jogo que tenha suporte à proporção ultrawide, essas telas acabam dando vantagem competitiva pelo maior ângulo de visão que oferecem. Claro, telas muito longas já podem ir além do campo de visão perfeito, mas certeza que podem ser úteis na visão periférica. Mesmo que não dê para enxergar com 100% de precisão, o olho humano consegue captar movimentos, em caso de jogos, e informações extras na tela. Monitores ultrawide também são úteis para pessoas que trabalham com mais de uma tela principal, ou ainda várias janelas abertas.

Outro ponto de monitores ultrawide é que ao passo que ganhamos fisicamente mais espaço de tela, também aumentamos a nossa resolução. O monitor ultrawide parte da resolução 2560x1080 à 5120x1440 e, para renderizar imagens nesse novo "tamanho", é preciso um pouco mais de desempenho de acordo com as suas configurações.

O que podemos chamar de “pontos negativos” na hora de comprar um monitor ultrawide são:

1) O preço: monitores ultrawide geralmente são mais caros devido ao tamanho e tecnologias que suportam.

2) Desempenho do seu computador: Como estamos lidando com uma tela e resolução maiores, o seu PC vai ter que trabalhar mais para criar os quadros de um game, por exemplo. Esse serviço a mais, por consequência, vai impactar no desempenho nesses jogos, mas não é algo fixo. Depende muito do que sua máquina tem a oferecer.

- Continua após a publicidade -

3) Software: Como já comentamos previamente, nem todo jogo ou software terá suporte ao tamanho ultrawide. Os desenvolvedores já estão cientes da popularidade do ultrawide, mas, por questões como falta de suporte ou mesmo restrições de games competitivos, é comum vermos as famosas barras pretas ou a tela esticada, mas sem conteúdo a mais do jogo nas laterais. 

Curvo ou Plano?

Tratando-se de monitores curvos ou planos, vai da vontade do usuário. A palavra-chave aqui é imersão

Monitores curvos aproximam o que estamos vendo na tela e proporcionam maior imersão

Os monitores curvos são interessantes para quem procura imersão em algum conteúdo. A principal diferença entre eles e monitores planos está no formato, e esta é também sua principal característica física - a curvatura da tela que, atualmente, é o que chega mais perto de romper com a barreira da bidimensionalidade.  Por conta de seu design, o modelo "engana" o olho humano, gerando uma sensação de profundidade.

Além disso, monitores curvos auxiliam no conforto ocular. A curvatura da tela reduz a intensidade do brilho e faz com que todos os pixels apontem mais suavemente para os olhos, oferecendo uma projeção de luz mais natural e próxima à da vida real. Ele também aumenta a área da tela mais próxima do centro da visão do usuário, e com isso coloca mais elementos dentro da área em que consumidor enxerga com mais clareza.


No entanto, não é apenas o formato da tela que irá resolver suas questões sobre monitores. Junto disso, é preciso dar uma boa atenção para as tecnologias que esses monitores suportam e, claro, as próprias necessidades do usuário. como já falamos algumas vezes. Os monitores no mercado também tem diferentes resoluções de tela, frequências em Hz, design e tecnologia embutida no painel. Abaixo, vamos falar resumidamente sobre algumas das principais tecnologias  que devem receber sua atenção antes de comprar um monitor: 

"Se for um monitor para escritório, para trabalhar com internet e pacote Office, por exemplo, não precisamos necessariamente de um aparelho 4K. Um monitor HD ou Full HD já resolveria. Se o monitor for utilizado para games, a resolução e frequência em Hz é importante. Agora, se o monitor for para quem trabalha com imagens digitais, a resolução e fidelidade de cor são importantes." - Renan Kalil, editor de filmes publicitários 

"Se for um monitor para escritório, para trabalhar com internet e pacote Office, por exemplo, não precisamos necessariamente de um aparelho 4K. Um monitor HD ou Full HD já resolveria. Se o monitor for utilizado para games, a resolução e frequência em Hz é importante. Agora, se o monitor for para quem trabalha com imagens digitais, a resolução e fidelidade de cor são importantes." - Renan Kalil, editor de filmes publicitários 

- Tecnologia de Display: As tecnologias de display mais populares do mercado hoje são LCD, LED, OLED e QLED, que mudam a forma como a luz é emitida no painel para formar as imagens do monitor. Falando de monitores, os mais comuns são o IPS (In Plane Switching), que oferece bastante qualidade de cor e ângulo de visão; TN (Twsited Nematic), com um bom tempo de resposta como seu feature principal; e VA (Vertically Aligned), que tem um alcance maior no brilho e contraste. 


- Resolução e densidade de pixels: a resolução determina a proporção de pixels na vertical e na horizontal da sua tela, enquanto a densidade de pixels representa quantos desses quadradinhos existem no espaço de uma polegada. A resolução pode ser HD (1.280 x 720), Full HD (1.920 x 1.080 pixels), 4K (3840 x 2160), 8K (7680 x 4320) em diante. Resoluções maiores e uma densidade de pixels maior servem para pessoas que precisam de mais detalhes na tela, mais qualidade de imagem, como gamers, editores, fotógrafos e designers, e mais espaço de trabalho na tela para mais janelas de software. A resolução mais padronizada nos dias de hoje é o Full HD. Quanto menor a tela for e maior a resolução, maior será a densidade de pixels.

- Taxa de atualização: Monitores com taxa de atualização maiores são indicados para consumidores que precisam de mais precisão nas imagens em movimento. Aqui entram os jogadores de games competitivos como Fortnite, COD: Warzone e BattleField, que precisam de agilidade e uma boa visão de onde está o seu inimigo no mapa. Um pixel pode realmente fazer a diferença.

- Input lag: Outra característica mais voltada para os gamers, mas que é sempre bem-vinda, é o input lag, que muitas vezes é confundido com tempo de resposta. O input lag é, de fato, aquele tempo entre você mexer o mouse, por exemplo, e o ponteiro também de mexer. Quanto menor input lag, melhor para os seus jogos também. E isso está diretamente ligado com a taxa de atualização: quando maior a taxa de atualização do seu monitor, em conjunto com uma placa de vídeo fazendo mais quadros por segundo, o tempo de input lag diminui.


- G-Syinc (Nvidia) e FreeSync (AMD): Essas tecnologias, mais importantes para quem vai jogar, funcionam basicamente da mesma forma, com o objetivo de acabar com o tearing. O Screen tearing acontece quando a placa de vídeo nao consegue acompanhar a taxa de atualização do monitor e você experimenta "quadros quebrados" durante a gameplay. Essas tecnologias fazem com que essa diferença seja minimizada, suavizando os quadros.


Com esse artigo, esperamos ter ajudado um pouco quem está na procura pelo monitor ideal. Lembre-se, novamente, que nem sempre mais é melhor e as especificações mais avançadas podem não fazer tanta diferença no dia a dia. Pense nas suas necessidades que, assim, fica mais fácil definir o que você procura.

  • Redator: Saori Almeida

    Saori Almeida

    Saori Almeida é natural do Rio Grande do Sul, técnica em administração formada pelo Centro Tecnológico de Caxias do Sul (CETEC) e estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Gosta da cultura asiática e nerd no geral e tem interesse crescente por tecnologia e games desde pequena - gosto que se intensifica diariamente na redação.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.