Instalando o Windows 11 em um pendrive para levar onde quiser - passo a passo

Processo também funciona para outras versões do Windows

Você gostaria de levar um pendrive USB com o Windows instalado nele e rodar facilmente o sistema operacional em um computador qualquer? Isso é possível e pode ajudar a resolver alguns problemas. A instalação consiste no sistema entender que o drive USB (pode ser um pendrive, um HD ou SSD externo) é um drive com uma instalação tradicional do Windows. Dessa forma é possível dar boot por esse drive e utilizar o sistema.

O processo para instalar o Windows no drive é feito todo pelo Rufus com poucas interações no aplicativo

Assim como o artigo de criação de um pendrive para instalação limpa do Windows, esse artigo usará o aplicativo Rufus para o processo, software muito conhecido para esses dois procedimentos. Com o Windows instalado em um pendrive, é possível usar o Windows em um computador que não tem o sistema, ou em um que está com problema. De forma clara, você tem um Windows portátil instalado em um pendrive. Esse conceito é chamado de "Windows To Go".

Criando pendrive USB de instalação do Windows 11

Como rodar o Windows 11 To Go?

Nós utilizamos três modelos de pendrives para os testes, mas funcionou bem apenas em um modelo USB-C 3.2 Gen1 de alta velocidade (Kingston DataTrelever USB 80), que alcança até 200MB/s de leitura e 60MB/s de escrita, mais rápido do que os tradicionais. Aqui temos um ponto bem importante: para uma experiência boa, recomendamos utilizar um SSD externo, HD externo ou ao menos um pendrive de alta velocidade, porque imaginem que além do desempenho do computador, a velocidade do drive onde está instalando o Windows será CRUCIAL para a experiência de usabilidade, já que um pendrive vai comprometer o uso do sistema mesmo em computadores com boas configurações de hardware.

É crucial utilizar um drive rápido, seja pendrive, HD ou melhor de tudo, um SSD

Quando utilizamos modelos de 100MB/s e 80MB/s de escrita, ainda considerados bons modelos, o sistema sequer ficava viável de ser utilizado, vezes abrindo, vezes travando.

Após instalado o sistema ocupou pouco mais de 20GB (Windows 11 Pro), porém recomendamos que o drive tenha ao menos 64GB. O Windows precisa de espaço livre no drive instalado para funcionar de forma responsiva, ficar no limite pode gerar problemas de funcionamento. Outro ponto é que nós instalamos inclusive o game Shadow of the Tomb Raider, mostrando que até isso é possível fazer, mas mais espaço será necessário.

Se a ideia é de fato utilizar um sistema Windows para sair carregando de um lado para outro e não apenas para quebra galho, recomendo fortemente utilizar um SSD externo de 500GB ou mais, dessa forma pode armazenar arquivos de backup e mesmo instalar games sem ficar preocupado. O outro lado crucial é velocidade, se o drive for lento a experiência será totalmente comprometida, já com um SSD tudo fica melhor.

- Continua após a publicidade -

Nos testes com o pendrive da Kingston que alcança 200MB/s (DataTraveler USB 80) deu para rodar muito bem o sistema, até jogamos como mostramos no vídeo acima, já em um drive de USB básico a situação se complica, desde o processo para gerar o drive até finalizar a instalação (1 hora em um modelo de 80MB/s de leitura e 40MB/s de escrita), como para finalizar a instalação no primeiro boot(mais 1 hora e meia) e depois na experiência de uso, tudo compromete a experiência de uso.

Instalando o Windows 11 em um drive externo

1 - A primeira coisa que se deve fazer é baixar o programa Rufus. No site tem a versão que precisa ser instalada ou mesmo a versão portátil (portable), que basta executar. O software roda em Windows 7 e superiores, tanto em 32 como em 64 bits.

DOWNLOAD - Rufus

2 - Após executar o software, você vai selecionar o seu drive externo pelo campo "Dispositivo", o aplicativo não mostra os HDs ou SSDs instalados via conexão SATA, M.2 ou PCI-Express do computador, evitando problemas.

Um detalhe importante é que ele será formatado. Então, faça um backup do que tiver no drive que deseja utilizar, caso hajam arquivos importantes.

3 - Em seguida, adicione o ISO do Windows 11 ou outra versão do Windows compatível pelo campo Selecionar. O ISO, para quem não está familiarizado com a sigla, é um arquivo único onde estão todos os dados de um CD, DVD ou outro tipo de disco. Ele é disponibilizado oficialmente pela Microsoft e pode ser baixado no site da empresa.

- Continua após a publicidade -

DOWNLOAD - Microsoft Windows 11 ISO

OBS.: Nós temos uma notícia que mostra como fazer download da versão mais recente do Windows 11 direto do site da Microsoft, um procedimento que não envolve nenhum tipo de pirataria. Acesse esse link para ver o processo e fazer o download da ISO do Windows 11 mais recente.

O drive externo que você usar para instalar o Windows 11 será formatado. Faça backup!

4 - No campo "Opções da Imagem", selecione a a opção "Windows To Go", nome dado ao processo para fazer o Windows rodar em um drive externo.

Parte importante do processo, escolha a opção "Windows To Go"

5 - Prosseguindo, no campo "Esquema de partição", você deve selecionar a opção "GPT" se o seu computador suporta UEFI (Unified Extensible Firmware Interface). Caso o PC ainda utilize BIOS Legacy, a opção que deve ser colocada é "MBR". Se você não sabe, deixe a opção que vem por padrão no próprio software, só troque caso não funcione o processo.

6 - Na opção "Nome do volume" recomendamos colocar um nome que fique claro que se trata de um drive com o Windows instalado nele. Esse nome pode aparecer em alguns locais e fica mais fácil de localizar o drive para não gerar confusões. Nós utilizamos "Windows11-no-USB".

7 - Clique em "Iniciar" para começar a criação do drive onde o Windows 11 será instalado.

Um aviso vai aparecer em sua tela, perguntando qual a versão do Windows deseja instalar. Esse aviso é o mesmo que aparece quando você está fazendo uma instalação limpa, podendo variar de acordo com a ISO que baixou. No caso da nossa, oferecendo 6 opções de versões. Você deve escolher a mesma versão que tem a KEY para registro, ou simplesmente a que deseja instalar.

TEMPO NECESSÁRIO PARA ESSE PROCESSO: O tempo para o processo ser finalizado depende totalmente da velocidade do drive utilizado. No modelo USB 3.2 Gen1 que alcança 200MB/s de leitura e 60MB/s de escrita o processo demorou pouco mais de 10 minutos, já em um modelo de pendrive de 80MB/s de leitura e 40 MB/s de escrita essa primeira parte do processo demorou 1 hora e 10 minutos, ou seja, demora bem mais do que criar um pendrive que faz instalação limpa do Windows.

Como usar o Windows 11 a partir de um pendrive?

A PRIMEIRA PARTE FOI!! Depois desse processo, você coloca o drive no computador e manda dar boot por ele. Todo computador tem uma tecla que permite escolher por onde deseja dar o boot do sistema, em placas-mãe Gigabyte é F12, em placas-mãe ASRock e MSI é F11, já em placas-mãe Asus é F8. Os notebooks variam bastante, sendo que vários deles mostram qual a tecla quando está reiniciando. Se não encontrar, pode pesquisar por essa informação na internet colocando o modelo do seu notebook ou da sua placa-mãe, já que essas teclas são para modelos lançados nos últimos anos. Se desejar, também pode definir dentro da BIOS a prioridade que o sistema deve considerar em buscar o BOOT, se ele não achar em conexões USB, ele pula automaticamente para demais drives.

Após gerar o pendrive, no primeiro boot que fizer por ele será necessário finalizar a instalação

Após selecionar o drive que gerou e mandar o sistema inicializar por ele pela primeira vez, é necessário finalizar o processo de instalação do Windows, isso será obrigatório apenas a primeira vez. Nesse processo o sistema pede algumas informações básicas, como região onde você está, qual idioma quer instalar, se deseja vincular uma conta de email (não é obrigatório), além de outras opções do sistema. Depois de tudo finalizado você vai "cair" na área de trabalho do Windows como acontece em qualquer computador.

O Windows baixa os drivers automaticamente quando for inicializado em outro computador

Pronto, agora você tem um pendrive com o Windows 11 instalado nele, e pode levar para onde quiser. Eu testei colocando o mesmo pendrive em máquinas com CPU AMD e depois Intel, troquei placas de vídeo com modelos AMD e NVIDIA, inclusive alternando geração nova e antiga, e tudo funcionou bem como acontece em um computador onde o drive de HD ou SSD está instalado via conexão SATA ou M.2, apesar de ter delay em algumas situações como boot quando comparado a um SSD SATA por exemplo.

Não me vejo utilizando esse conceito na rotina ao invés de uma instalação direto em um SSD instalado direto em conexões específicas no computador, mas é uma forma de resolver eventuais problemas, ou mesmo pegar arquivos de um HD ou SSD que não está mais dando boot, até resolver como corrigir o problema, além de uma série de outros casos úteis, até mesmo de usar um sistema com suas personalizações em um computador qualquer.

É legal ter um Windows 11 To Go instalado em um pendrive para emergências. Em escritórios, por exemplo, onde eventualmente alguma máquina apresenta problemas, essa pode ser uma forma prática de acessar os arquivos rapidamente. Portanto, vale a pena ter esse tipo de "backup" na sua gaveta ou na mochila, pois você nunca sabe quando vai precisar.

Tags
  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Adrenaline é responsável por análises e artigos de processadores, placas de vídeo, placas-mãe, ssds, memórias, coolers entre outros componentes.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.