Créditos: Montagem | EBV | imgur

Quem é a Xilinx, empresa comprada pela AMD por US$ 35 bilhões?

Empresa é líder de mercado quando falamos de chips programáveis
Por Saori Almeida 05/12/2020 18:00 | atualizado 05/12/2020 19:12 Comentários Reportar erro

No final de outubro deste ano (2020), a AMD anunciou o início das suas negociações para comprar a fabricante de chips Xilinx. O negócio, até aquele momento, tinha aparecido em especulações, mas nada oficial havia surgido até o dia 27 de outubro, quando soubemos que a transição seria fechada pelo notável valor de US$ 35 bilhões (aproximadamente R$ 187,3 bilhões em conversão direta na cotação do dia 17 de novembro). 

No entanto, a questão que ficou pendente para algumas pessoas é simples: O que, de fato, é a Xilinx e por que a AMD estaria investindo uma quantia tão grande nessa empresa?

É disso que vou tratar nesse artigo.

AMD compra fabricante de chips Xilinx por US$ 35 bilhões

AMD compra fabricante de chips Xilinx por US$ 35 bilhões
O negócio será fechado até o final de 2021 e promete reforçar o portfólio da companhia na competição contra Intel e Nvidia


A Xilinx

SITE OFICIAL DA EMPRESA

De acordo com a descrição presente no site oficial, a Xilinx é a empresa "inventora do FPGA [Field Programmable Gate Array, em português "Arranjo de Portas Programáveis em Campo"], SoCs programáveis e, agora, do ACAP [Adaptive Compute Acceleration Platform]". Ela foi fundada  em 1984 e, hoje ,pelas informações que coletei, é a principal fornecedora de dispositivos lógicos programáveis do mundo. Além disso, foi a primeira empresa de semicondutores a se especializar na fabricação de hardware.

Com cerca de 5.000 funcionários pelo mundo, mais de 60.000 clientes e 4.400 patentes registradas, a Xilinx lidera o mercado de dispositivos lógicos programáveis desde a década de 1990. Alguns setores de mercado em que está presente incluem:

  • Automotivo;
  • 5G Wireless;
  • Data Centers;
  • Aeroespacial e Defesa;
  • Broadcast e A/V;
  • Mercado Consumidor;
  • Industrial;
  • Ciência Médica;
  • Teste, Medida e Emulação;
  • Comunicações com fio;
  • Infraestrutura sem fio.

- Continua após a publicidade -

 


FPGA

Um Field Programmable Gate Array, ou apenas FPGA, é um tipo de chip projetado para ser configurado por um consumidor ou projetista após a fabricação. Esse componente programável foi lançado em 1985 e é composto basicamente por três tipos de componentes: blocos de entrada e saída (IOB), blocos lógicos configuráveis (CLB) e chaves de interconexão (Switch Matrix).

- CLB (Configuration Logical Blocks): Circuitos idênticos, construído pela reunião de flip-flops (entre 2 e 4) e a utilização de lógica combinacional. Utilizando-os, um usuário pode construir elementos funcionais lógicos.
- IOB (Input/Output Block): São circuitos responsáveis pelo interfaceamento das saídas. São basicamente buffers, que funcionarão como um pino bidirecional para entrada e saída do FPGA.
- Switch Matrix (chaves de interconexões): Trilhas utilizadas para conectar os CLBs e IOBs.

Chips FPGA são programados / reprogramados depois da fabricação, não durante

 

O primeiro FPGA disponível no mercado foi desenvolvido pela Xilinx em 1983. Eles são, de forma vulgar,  um grande arranjo de células lógicas ou blocos lógicos configuráveis contidos em um único circuito integrado. Além disso, suportam implementações de circuitos lógicos relativamente grandes. 

Esse tipo de chip abrange uma grande diversidade de aplicações, indo de vídeo games até aeroespacial, prototipagem, computação de alto desempenho, tecnologia voltada para a medicina, etc.

- Continua após a publicidade -

 

ACAP

Já as ACAP, ou Plataforma de Aceleração Computacional Adaptável, é uma plataforma de computação heterogênea totalmente programável que promete "melhorias dramáticas de desempenho de até 20X sobre as implementações FPGA mais rápidas", além de mais de 100X sobre as implementações de CPU mais rápidas atualmente - sejam para Data Center, rede com fio, 5G e outras. 


"Um ACAP é ideal para acelerar um amplo conjunto de aplicativos na era emergente de big data e inteligência artificial. Isso inclui: transcodificação de vídeo, banco de dados, compressão de dados, pesquisa, inferência de IA, genômica, visão de máquina, armazenamento computacional e aceleração de rede. Os desenvolvedores de software e hardware serão capazes de projetar produtos baseados em ACAP para aplicações de ponta, ponta e nuvem." - Trecho disponível no site oficial da Xilinx.


"Um ACAP é ideal para acelerar um amplo conjunto de aplicativos na era emergente de big data e inteligência artificial. Isso inclui: transcodificação de vídeo, banco de dados, compressão de dados, pesquisa, inferência de IA, genômica, visão de máquina, armazenamento computacional e aceleração de rede. Os desenvolvedores de software e hardware serão capazes de projetar produtos baseados em ACAP para aplicações de ponta, ponta e nuvem." - Trecho disponível no site oficial da Xilinx.

De acordo com um documento publicado pela Xilinx em meados de setembro desde ano, as principais vantagens da ACAP incluem:

- Programabilidade de software: A capacidade de desenvolver rapidamente aplicativos otimizados por meio de conjuntos de ferramentas abstraídas de software.
- Aceleração: métricas para uma ampla gama de aplicações, desde inteligência artificial, placas de interface de rede inteligentes, armazenamento de alta densidade, 5G sem fio, carros autônomos, radar modular avançado e redes ópticas terabit.
- Reconfiguração Dinamicamente Adaptável: A capacidade de reconfigurar o hardware para acelerar novas cargas em milissegundos.


AMD e Xilinx

De acordo com o material para a imprensa disponibilizado pela própria AMD no final de outubro, o que é possível compreender é que a AMD planeja, logicamente, dar ainda mais poder aos seus processadores com as tecnologias da Xilinx. E isso não apenas para usuários finais, claro, mas para plataformas de computação para nuvem, data centers, dispositivos de ponta, periféricos e mercados de comunicações, automotivo, industrial, aeroespacial e defesa - caracterizados no texto da empresa como "alguns dos segmentos de crescimento mais importantes da indústria".

“Nossa aquisição da Xilinx marca a próxima etapa em nossa jornada para estabelecer a AMD como líder de computação de alto desempenho da indústria e parceira preferida das maiores e mais importantes empresas de tecnologia do mundo” - Dra. Lisa Su.

“Nossa aquisição da Xilinx marca a próxima etapa em nossa jornada para estabelecer a AMD como líder de computação de alto desempenho da indústria e parceira preferida das maiores e mais importantes empresas de tecnologia do mundo” - Dra. Lisa Su.

"Juntos, lideraremos a nova era da computação adaptativa e de alto desempenho.” - Victor Peng, presidente e CEO da Xilinx. 


Conclusão

Após o fechamento da aquisição, os atuais acionistas da AMD deterão aproximadamente 74% da empresa combinada, enquanto os acionistas da Xilinx deterão aproximadamente 26%

Pelos termos do contrato firmado, os acionistas da Xilinx receberão uma relação de troca fixa de 1,7234 ações ordinárias da AMD para cada ação ordinária da Xilinx que detiverem no fechamento da transação. isso representa aproximadamente US$ 143 ( cerca de R$ 770 em conversão direta no dia 30 de novembro) por ação ordinária.

A AMD espera alcançar eficiências operacionais de aproximadamente US$ 300 milhões dentro de 18 meses após o fechamento da transação com a Xilinx. O processo de aquisição e combinação das partes está atualmente previsto para ser concluído no final do ano civil de 2021, após a aprovação dos acionistas da AMD e da Xilinx, certas aprovações regulatórias e outras condições habituais. Até lá, as duas empresas mantem-se separadas e independentes. 


Mais informações

Para mais informações e atualizações sobre o processo de compra da Xilinx, é possível visitar o site http://ir.amd.com, que será usado pela AMD para divulgar informações sobre a transação.

  • Redator: Saori Almeida

    Saori Almeida

    Saori Almeida é natural do Rio Grande do Sul, técnica em administração formada pelo Centro Tecnológico de Caxias do Sul (CETEC) e estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Gosta da cultura asiática e nerd no geral e tem interesse crescente por tecnologia e games desde pequena - gosto que se intensifica diariamente na redação.

Em um remake, você quer:

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.