Mouses gamer mais baratos: Sunplus 6651B, o possível fim do monopólio da Pixart

Ainda assim, deve-se tomar cuidado com a implementação deste sensor

Resumo para o pessoal com pressa: não se apavorem caso novos mouses gamer utilizarem o sensor Sunplus 6651B (também chamado de SPCP 6651B), ele é um bom sensor. Concorrente direto do Pixart PMW 3320, com ênfase em menor preço com um desempenho similar, e é consideravelmente melhor do que o AVAGO 3050.

No que isto vai resultar?

  • Mouses acessíveis com melhor desempenho em altas DPIs
  • Possivelmente versões mais baratas de alguns mouses, especialmente modelos com sensores 3325 ou 3327

Ainda assim, deve-se tomar cuidado quanto à implementação, pois este é um novo sensor e algumas empresas podem acabar não extraindo o melhor desempenho dele. Também, há uma limitação no número de botões que podem ser pressionados simultaneamente.

Agora, a versão completa do artigo.

Introdução

O mercado de sensores para mouses gamer está mal acostumado a achar que apenas os sensores da Pixart/AVAGO são bons devido a 7 anos de dominância da Pixart, devido à compra do setor de sensores para mouses da AVAGO em 2013.

Desde 2013, qualquer sensor de mouse que falasse "AVAGO", na verdade era produzido pela Pixart.

Desde então, apenas a Pixart fazia sensores "bons" para mouses gamer. Até havia a Philips, mas além dela ter problemas em seus sensores, sua participação de mercado era mínima e ela acabou perdendo totalmente o mercado em meados de 2018.

Há também a Logitech fazendo sensores de alto desempenho desde 2017, tal como o MercuryHero, mas são sensores exclusivos da empresa, concorrentes não podem utilizar os mesmos.

- Continua após a publicidade -

E por qual motivo um monopólio seria ruim? Bom, o sensor do mouse é facilmente a peça mais cara de um mouse gamer, especialmente se for utilizado um sensor de alto desempenho. Aqui vocês podem ver um comparativo entre os preços dos mouses da linha Tecware EXO:

Monopólio é ruim pois o sensor é a peça mais cara de um mouse gamer

A utilização do sensor Pixart PMW 3389, segundo melhor sensor do mercado, faz o preço do mouse dobrar em relação ao Sunplus 6651B. E o preço do modelo com Sunplus 6651B, é 30% menor do que o modelo com Pixart PMW 3327. Há de se considerar que ainda há o preço da carcaça, PCB, switches, encoder, cabo e conector destes mouses. O fato de que a troca do sensor muda o preço de forma tão drástica, mostra o quanto ele afeta o preço de um mouse.

E como é o desempenho do Sunplus 6651B? Bom, as informações que há na internet deste sensor são conflitantes, seja devido a dados incorretos (uma planilha alega que ele possui "10G de aceleração", o que seria ruim, mas a verdade é que ele possui "22G") ou feitos por pessoas que não testaram este sensor e não entenderam qual é o objetivo dele, comparando ele com outros sensores fora de sua categoria, fazendo-o parecer muito pior do que realmente é, o que foi o caso dos comentários no fórum da LinusTechTips.

A primeira coisa que precisamos estabelecer, é que este é um sensor budget, ele está no mesmo patamar que sensores como o AVAGO 3050 e Pixart PMW 3320. É totalmente injusto comparar e esperar dele o mesmo desempenho do que um Pixart PMW 3389.

E qual é a grande diferença do Sunplus 6651B além de ser da questão de preço e ser o primeiro sensor de alto desempenho da Sunplus? Bom, diferente dos sensores gamer da Pixart, o 6651B é uma solução all-in-one (AIO), é um pacote completo contendo o sensor, controladora do mouse e placa de comunicação USB. Basicamente, é um único chip que faz tudo.

- Continua após a publicidade -

Ele possui uma aceleração máxima de 22G e uma velocidade máxima de 66 IPS (inches per second, polegadas por segundo), sendo assim um pouco melhor do que o AVAGO 3050 (20G, 60 IPS) em especificações, e um pouco pior do que o Pixart PMW 3320 (20G, 80 IPS). A diferença na prática e nos testes comparado ao AVAGO 3050, é maior do que estes números fazem parecer.

O único componente adicional que é colocado nas placas com este mouse, é a controladora de LEDs Atech06, a qual é opcional, mas quase todo mouse gamer que se preze vai ter LEDs, então provavelmente todos vão usar (ambos os que possuímos, utilizam).

Um dos motivos para o 6651B custar menos do que outros sensores, é por ele ser uma solução "faz-tudo", todos os componentes são conectados nele, simplificando o mouse

Isso não é nada novo, já existem e são utilizadas soluções assim em mouses de baixo custo há muito tempo, a grande diferença é que finalmente há uma solução deste tipo com um sensor bom o suficiente para gaming, algo que não existia antes.

E é esta junção entre uma solução all-in-one e preços mais competitivos que a Pixart, que acaba gerando uma queda de 30% no preço final do mouse em comparação com o modelo que utiliza Pixart PMW 3327, pelo menos no caso do Tecware EXO Lite.

Enfim, para sabermos como é então o desempenho deste sensor, conseguimos dois mouses com este sensor, um sendo o Tecware EXO Lite e o outro sendo um protótipo de uma fabricante chinesa (não posso informar mais do que isso), ambos com este mesmo sensor e feitos por fabricantes diferentes, tendo implementações diferentes do mesmo sensor.

A primeira coisa que preciso dizer, é que implementação é algo importante. É a forma como a empresa instalou e configurou o sensor no mouse, envolvendo tanto o firwmare utilizado, quanto a lente escolhida e o LED utilizado. Em mouses com sensores como o 3360 e superiores, isso já não é algo para se preocupar muito, pois a própria Pixart vende estes sensores com o LED, lente e sensor em um único pacote.

Mas este não é o caso para sensores budget como o AVAGO 3050 e Sunplus 6651B, onde cada empresa pode ter uma implementação diferente da outra, usando LEDs, lentes e firmwares diferentes, causando divergências pequenas ou grandes entre mouses com o mesmo sensor. É o que aconteceu nestes nossos testes.

Esta é a lente do protótipo com 6651B

E esta é a lente do Tecware Exo Lite, notem como ambas são totalmente diferentes:

Testes: protótipo com 6651B

Vamos começar pelo melhor, o protótipo com Sunplus 6651B de uma certa fabricante chinesa cujo nome infelizmente não posso divulgar. Esta é uma OEM que já trabalha há um bom tempo com diversas empresas e cujo mouse que enviaram é melhor construído do que o Tecware Exo Lite.

O sensor Sunplus 6651B neste mouse aparenta estar bem implementado, no caso deste modelo, ele utiliza um LED infravermelho, invisível ao olho humano (enquanto o LED do EXO é um vermelho visível) e uma lente com formato totalmente diferente do Tecware Exo Lite.

Resumidamente, os resultados dos testes deste protótipo com Sunplus 6651B, foram bastante satisfatórios. Embora há uma deviação de DPI (entre 15-20% menor do que diz ser) e problemas com superfícies de Cordura, não tive problemas com cores, a aceleração se demonstrou boa em todos os testes e não houve problemas de spin-out (o mouse ir para o chão/céu após um movimento rápido).

Os testes mostraram que:

  • Primeiro passo: 650 DPIs (deveria ser algo próximo a 800)
  • Segundo passo: 1361 DPIs (1600)
  • Terceiro passo: 1988 DPIs (2400)
  • Quarto passo: 2695 DPIs (3200)
  • Quinto passo: 3966 DPIs (4800)
  • Sexto passo: 5448 DPIs (6400)

Sei que muita gente não gosta de DPIs com uma deviação tão grande, mas isso pode ser um problema com a lente usada, algo do firmware ou um problema que só vai ocorrer nos primeiros mouses com este sensor. Lembrem-se, este é um protótipo e problemas assim, foram muito comuns nos primeiros mouses com o Pixart PMW 3320.

Vale avisar também, que o sensor possui ajustes de 200 em 200 DPIs através do software, então você pode, por exemplo, usar 1000 DPIs para ter algo mais próximo a 800 DPIs.

Agora, vamos para o teste de consistência, o mais fácil de passar e onde o mouse não teve problemas:

Agora vamos para os testes reais, o teste de aceleração, onde vamos testar o que acontece quando fazemos um movimento rápido com o mouse. Será que ele acompanha o movimento? Será que ele deixa de rastrear movimentos rápidos ou possui algum tipo de aceleração? É o que veremos:

Curiosamente, utilizando o mousepad Fallen Gear Chale, o protótipo com Sunplus 6651B não teve problema algum, rastreou movimentos rápidos, não teve aceleração alguma e o mais interessante, é que ele obteve bons resultados mesmo em DPIs altas, algo que o AVAGO 3050 não consegue fazer.

Testando outros mousespads de pano, tal como o Xtrfy GP4 Black, também não houve qualquer problema:


Também testei todos os seguintes mousepads:

  • Cougar Speed EX-XL (pano)
  • Corsair MM800 RGB (rígido)
  • Ducky Flipper Extra (pano)
  • Mousepad extended genérico de R$ 25 da Aliexpress com borda azul (pano)
  • Artisan Hayate-OTSU (pano)
  • Artisan Ninja-FX (pano)
  • Fallen Gear Pantera (pano)
  • XPG Battlegrounds (cordura)

O único no qual ele teve problemas, e não me surpreende isso, foi o XPG Battlegrounds, onde ele deixa de rastrear parte da superfície em um movimento rápido.

Cordura é um material complicado e não me surpreende que um sensor budget está tendo problemas com ele, há outros casos de sensores budget que apresentam problemas, e até sensores como o Pixart 3335 não gostam dessa superfície.

Por último, vamos ver os testes no MS-Paint, onde vamos verificar se há prediction ou distorções quando aumentamos a DPI do mouse.

Realmente, não há prediction e as distorções só começam aparecer em 6400 DPIs, muito acima das 2000 DPIs onde o AVAGO 3050 começa ter problemas.

Enfim, não há sombra de dúvidas, se bem implementado, o Sunplus 6651B apresenta resultados melhores do que o AVAGO 3050, sendo muito mais preciso em altas DPIs, tendo saltos de 200 em 200 DPIs, tendo um LOD um tanto menor e não tendo aceleração.

Ele apresenta algumas falhas, como problemas em Cordura e a DPI diferente do anunciado, mas estes são problemas que o Pixart PMW 3320 também pode sofrer em alguns mouses e é algo que pode ser corrigido com novas versões deste sensor.

Testes: Tecware EXO Lite

Agora, vamos partir para o Tecware EXO Lite, onde nada disso se aplica. E que decepção...

Na verdade já realizamos análise da parte externa do Tecware EXO Lite, quase tudo o que falamos sobre o OEX Dyon (com exceção do sensor), é válido para este mouse, seja a construção externa ou software, logo não vamos refazer toda a análise.

Aliás, não vou refazer todos os testes, vou simplesmente mostrar como ficaram os testes de aceleração no Fallen Gear Chale e no Xtrfy GP4, superfícies onde o protótipo com 6651B não teve problemas.



O sensor simplesmente deixa de rastrear grandes partes do mousepad, e em alguns momentos, ocorre spin-out (o cursor vai para cima/baixo, quando deveria ir apenas para o lado). Este resultado é péssimo para um mouse projetado para jogos.

Algumas vezes eu consegui, por sorte, um bom resultado no Xtrfy GP4, mas é muito inconsistente. Algumas vezes deu certo e maioria o sensor deixou de rastrear. O Tecware EXO Lite, assim como seu irmão OEX Dyon, é um desastre.

Ah, e usar o sensor em 400 DPIs, o que deveria aumentar a velocidade máxima de rastreio do mouse e diminuir os problemas, acabou gerando um dos resultados mais bizarros que já vi em um mouse. A quantia de aceleração positiva em 400 DPIs, é absurda.

Parabéns Tecware, eu nunca vi um sensor tão mal implementado antes. Nem vou fazer testes de DPI, MS-Paint ou consistência, pois o sensor não tem culpa pelo serviço mal feito da Tecware.

Ainda assim, é interessante vermos como o sensor Sunplus 6651B pode ter um desempenho bastante diferente de um mouse para o outro, boa parte disso sendo o fato deste ser um novo sensor com o qual estas empresas não possuem experiência.

Recursos adicionais e o maior problema deste sensor atualmente

Diferente de maioria dos outros sensores AIO (All-in-one) do mercado, o Sunplus 6651B é capaz de suportar software, graças à MCU embutida e memória integrada (o que falta na maioria).

Porém, este é o software mais lento que já vi em um mouse, qualquer ação ou até trocar as abas de configuração, leva alguns segundos até que responda. Este não é um grande problema, mas  é algo que nunca tinha visto antes e que deve ocorrer pelo fato de esta ser uma solução "AIO" com menor poder de processamento do que maioria dos outros mouses gamer do mercado.

Utilizando esta MCU e a controladora de LEDs, ele também consegue ter uma quantia razoável de efeitos e também é possível ter macros, embora a quantia de macros que pode ser salva na memória interna, é limitada.

E agora, chegamos ao maior problema atual deste sensor, não tem nada a ver com o software, precisão ou coisa do tipo. Aliás, não é um problema comum de ser visto em mouses gamer, a matriz de botões do 6651B é limitada. Há múltiplos botões conectados em uma única trilha eletrônica e algumas combinações podem acabar não sendo reconhecidas com este sensor (ex: três ou quatro botões ao mesmo tempo).

O maior problema atual do 6651B, é que algumas combinações de botões não funcionam

Mas, um problema, é que uma combinação que falha, e que pode ser um problema em alguns casos, é esta:

Enquanto você segurar o botão esquerdo, o botão voltar não será reconhecido. Não ocorre problema quando o inverso é feito (ex: você estar segurando o voltar para push-to-talk e atirar, ele vai tranquilo), mas creio que possa ser um problema se por acaso alguém estiver, por exemplo, jogando algum MOBA/MMORPG e ter uma skill programada no botão lateral.

Ao ficar clicando para atacar uma certa unidade com o esquerdo, e tentar ativar uma skill no "voltar", o botão "voltar" simplesmente não vai responder.

O mesmo problema também ocorre se tentarmos apertar o "botão direito" e "avançar" ao mesmo tempo. Também voltemos ao exemplo de MOBA/MMORPG, o botão direito não vai falhar, mas enquanto você segurar ele, o botão "avançar" simplesmente não responde, o que pode atrapalhar para ativar skills que você possa ter configurado nele.

Este problema ocorre em ambos os mouses que possuímos, mesmo ambos sendo feitos por fabricantes diferentes. Entrei em contato com a fabricante do protótipo, e ela confirmou o problema.

Eu também tentei entrar em contato com a Sunplus para tratar sobre isso e se tal problema será resolvido em versões futuras deste sensor, mas não obtive resposta.

Conclusão

O Sunplus 6651B não é um sensor gamer "high-end", ele não é o que eu recomendaria para jogadores "profissionais" de FPS no momento, ainda há aspectos neste sensor que podem ser corrigidos e devemos dar um tempo para ele madurar, assim como ocorreu com o Pixart PMW 3320.

Devemos nos atentar quanto à implementação deste sensor. Este é um novo sensor com o qual maioria das fabricantes não estão familiarizadas, cabe a elas fazer um bom trabalho e extrair o melhor do sensor, para que não se repita um caso igual o fiasco que foi o Tecware EXO Lite.

Todavia, o Sunplus 6651B, quando bem implementado, já atinge um desempenho satisfatório para jogadores casuais ou semi-competitivos de FPS, e de outros gêneros de jogos (ex: MOBA, RPG, Estratégia...) que não precisam do "melhor do melhor em precisão" e sim de apenas um sensor entre "bom" e "ótimo". E para mouses na faixa dos 100 reais, é esse desempenho que esperamos.

Ainda assim, deve-se atentar quanto à limitação de botões pressionados, se o seu foco será algo como MMORPG/MOBA e quer usar os botões laterais para usar skills, talvez seja melhor comprar um mouse com outro sensor.

Comparado com seu maior concorrente, AVAGO 3050, as vantagens do Sunplus 6651B acabam sendo:

  • Melhor desempenho em DPIs acima de 1500 (o 3050 fica horrível acima disso)
  • Saltos de 200 em 200 DPIs (o 3050 tem saltos de 500 em 500)
  • Até 6.400 DPIs nativas do próprio sensor (contra apenas 2.000 do 3050)
  • LOD menor (embora isso vai depender da implementação do mouse)

Mas wetto, não há risco de empresas colocarem este sensor e manter preços altos para aumentar os lucros?

Claro que há! Por isto, embora o Sunplus 6651B seja um bom sensor, vai caber ao usuário se atentar à questão de preço para não pagar por um mouse com sensor CxB quando podem haver concorrentes com 3360 na mesma faixa de preço.

Obviamente o sensor Sunplus 6651B será bem utilizado por algumas marcas, e mal utilizado por outras, assim como já ocorre com diversos outros sensores.

Enfim, talvez veremos "novas versões" de mouses já existentes e com menor preço. Por exemplo, talvez um "Redragon Cobra Lite", uma versão mais barata do "Razer DeathAdder", um novo modelo do "CM MasterMouse Lite S", etc...

Claro, não veremos qualquer redução de preço se o dólar continuar aumentando, mas isso já foge do assunto deste artigo.

  • Redator: Wellington Diesel

    Wellington Diesel

    Formado em Redes de Computadores, o "wetto" é um entusiasta do ramo de Periféricos. Autor do Guia do Teclado Mecânico, ele carrega consigo mais de 150 análises de mouses, teclados e headsets publicadas, além de diversos Guias e Artigos sobre teclados, mouses e headsets. Respeitado pela comunidade do Adrenaline, ele trabalha à distância como colaborador.

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.