Créditos: Montagem | Adrenaline

DisplayPort vs. HDMI: Qual a melhor conexão para jogar?

Será que essa escolha influencia na largura de banda, resolução ou taxa de atualização?

Já falamos diversas vezes nesse site que montar um bom PC para jogar não é algo simples, e escolher os componentes da máquina geralmente se torna um processo um tanto complexo. Cada peça tem suas características - e até os cabos para transmissão de dados que você usa podem interferir na sua gameplay. Você vai usar HDMI? DisplayPort? Se tem uma placa de vídeo AMD/Nvidia, qual a melhor escolha para potencializar sua experiência?

Nesse artigo, irei explicar especificamente essas questões: no que as conexões HDMI e DisplayPort se diferenciam, o que pode mudar na jogatina de acordo com a que você escolhe usar e, claro, qual seria a melhor opção para alguns tipos de setup em geral.

Já adianto alguns "sensos comuns" e pontos que pesam por aqui: apesar de, a priori, termos concluído que, nesse momento, o DisplayPort tem mais vantagens, o HDMI já é altamente disseminado no mercado há um bom tempo, enquanto o DP ainda está amadurecendo. Mas falaremos disso com mais detalhes adiante.

Outra questão que é válido comentar: este artigo é altamente baseado no texto publicado pelo Tom'sHardware, modificado para se tornar algo mais fácil de ser entendido pelo maior número de pessoas. A publicação original pode ser encontrada aqui. 


Origens

HDMI

Já lançamos um artigo completo falando sobre o mais recente padrão HDMI, que começa a mostrar os benefícios de sua versão 2.1. Nele, também exploramos um pouco de onde surgiu essa tecnologia. Aqui irei reiterar essa parte do artigo:

HDMI 2.1 - conexão permitirá jogar a 4K@120 ou 8K@60 no PC, PS5 e XBox Series X

HDMI 2.1 - conexão permitirá jogar a [email protected] ou [email protected] no PC, PS5 e XBox Series X
Conexão traz baixo input lag e tecnologias que proporcionam ótima experiência de games em TVs

O padrão HDMI, ou High-Definition Multimedia Interface, é uma interface condutiva digital desenvolvida para  transmitir dados não comprimidos. Ele oferece um caminho de comunicação entre qualquer fonte de áudio/vídeo digital - Blu-Ray, leitor de DVD, computador, consoles de videogame, amplificadores - e qualquer dispositivo de som ou vídeo digital, como monitor de computador e TV. 

A tecnologia foi projetada inicialmente em dezembro de 2002, para começar a entregar suporte para DVD Audio em maio de 2004.

- Continua após a publicidade -

Período de lançamento das versões HDMI (configurações):

  • Versão 1.1 - Maio de 2004.
  • Versão 1.2 - Agosto de 2005.
  • Versão 1.2a - Dezembro de 2005.
  • Versão 1.3 - Junho de 2006.
  • Versão 1.4 - 2009.
  • Versão 2.0 - 2013.
  • Versão 2.0a - 2015.
  • Versão 2.0b - 2016.
  • Versão 2.1 - 2017.

Existem 5 tipos de conectores HDMI, sendo que um deles não é amplamente utilizado na indústria:

- Tipo A (o padrão e mais comum) - 19 pinos. Plug macho com 13.9 mm × 4.45 mm, e fêmea com 14 mm × 4.55 mm. Suportam modos SDTV, EDTV e HDTV.
- Tipo B - 21.2 mm × 4.45 mm. Suporta até o modo WQUXGA (3.840 × 2.400). Não é amplamente disseminado.
- Tipo C ou Mini-HDMI - 19 pinos (10.42mm × 2.42mm).
- Tipo D ou Micro-HDMI -19 pinos (6.4mm × 2.8mm) arranjados de forma diferente do tipo A e do tipo C.
- Tipo E ou Automotive Connection System - Dedicado a automóveis.

Visualmente, os conectores/cabos HDMI que usamos no cotidiano (A e C, no geral) não mudaram com o passar do tempo, mas não podemos falar o mesmo sobre tecnologias. Um "mantra" desses updates, por exemplo, é o aumento da largura de banda.

Mesmo com o surgimento de outras soluções com objetivos semelhantes (DisplayPort, por exemplo, do qual falaremos a seguir), o HDMI suporta  praticamente qualquer formato de vídeo, seja na TV ou PC, através de um único cabo. Isso inclui resoluções de 480p a 10K - nível conquistado pela versão 2.1.

DisplayPort

Já o DisplayPort é uma interface de vídeo digital lançada pela Video Electronics Standards Association (VESA) em 2006. Ela é baseada em padrões abertos e sem royalties (preço pago a um proprietário pelo direito de uso, exploração e comercialização de um produto).

- Continua após a publicidade -

Até o momento, o DisplayPort v.1.4 é a versão mais potente dessa conexão disponível no mercado. A especificação DisplayPort 2.0 foi anunciada em junho de 2019, mas ainda não apareceu em placas de vídeo ou monitores lançados. Um exemplo é que as placas de vídeo da família "Big Navi" da AMD, apresentadas oficialmente no dia 28 de novembro, continuam usando o DisplayPort 1.4a.


Especificações

Abaixo, você confere duas tabelas resumindo as principais especificações do padrão HDMI e DisplayPort, levando em consideração suas principais atualizações.

DisplayPort

HDMI

É interessante comentar aqui que nem todas as portas DisplayPort e HDMI são criadas da mesma forma. Ambos os padrões são compatíveis com suas versões anteriores, ou seja, você pode usar qualquer uma das suas versões, e ela deve funcionar tanto com uma placa gráfica da série RTX 20 ou RTX 5000.

O que muda entre esses dois casos é o comportamento da máquina e o resultado que o usuário irá receber.  A conexão entre um monitor e uma placa de vídeo, por exemplo, usará as melhores opções suportadas para o envio e recebimento de informações.

"Isso pode significar que o melhor monitor de jogos 4K com 144 Hz e HDR acabará rodando em 4K e 24 Hz em uma placa gráfica mais antiga." - Trecho retirado do artigo original do Tom'shardware.

"Isso pode significar que o melhor monitor de jogos 4K com 144 Hz e HDR acabará rodando em 4K e 24 Hz em uma placa gráfica mais antiga." - Trecho retirado do artigo original do Tom'shardware.


Qual é melhor?

Resolução

DisplayPort 1.4 pode lidar com resolução 4K de cores de 24 bits a 98 Hz - isso com uma taxa de dados máxima de 25,92 Gbps. Caindo para 4:2:2 YCbCr (diferença de croma azul), é possível alcançar 144 Hz com HDR.

"[...]os monitores 4K HDR rodando a 144 Hz ainda custam caro, então os jogadores provavelmente estarão olhando para algo como uma tela de 144 Hz a 1440p. Isso requer apenas 14, 08 Gbps para cores de 24 bits ou 17,60 Gbps para HDR de 30 bits, que DP 1.4 pode lidar facilmente." - Trecho retirado do artigo original do Tom'shardware.

"[...]os monitores 4K HDR rodando a 144 Hz ainda custam caro, então os jogadores provavelmente estarão olhando para algo como uma tela de 144 Hz a 1440p. Isso requer apenas 14, 08 Gbps para cores de 24 bits ou 17,60 Gbps para HDR de 30 bits, que DP 1.4 pode lidar facilmente." - Trecho retirado do artigo original do Tom'shardware.

Já o padrão HDMI 2.0 consegue lidar com  4K e a taxa de quadros máxima de 60Hz. Aqui também podemos citar resoluções como 5K e 8K a 30/60/120fps, porém as duas últimas opções só seriam possíveis em formato comprimido para 5K. O 8K não tem essa sorte. 

O padrão no passado era a cor de 24 bits, ou 8 bits cada para os componentes de cor vermelha, verde e azul. HDR e telas de alta profundidade de cor aumentaram isso para cores de 10 bits

Com a chegada da versão 2.1, A transferência por HDMI promete lidar com taxa de quadros de 120 frames por segundo (120Hz) e resolução 4K, 5K, 8K, 10K, chegando inclusive em 4K240fps comprimido. Claro, as taxas aplicadas para o 4K não são as mesmas possíveis para resoluções mais altas, e as taxas de quadros máximo não valem em todas as situações. Como os jogadores estão acostumados, em diversas situações tudo depende do que você escolher sacrificar quando falamos de gráficos e FPS.

Confira a tabela abaixo:

 

Largura de banda

DisplayPort e HDMI atualmente usam um máximo de 36,86 Mbps, ou 0,037 Gbps, para transporte de dados de áudio, mas o que realmente pesa na transmissão, claro, é vídeo. Em geral, o padrão que tem largura de banda máxima mais alta é 'melhor', mas aqui entramos em uma questão importante: o valor teórico que aparece nas tabelas não corresponde à prática.

Os dois padrões usam codificação de taxa de bits - no caso, 8b / 10b para a maioria dos padrões mais antigos, 16b / 18b para HDMI 2.1 e 128b / 132b para DisplayPort 2.0. A nomenclatura significa que, para a codificação 8b / 10b, por exemplo, a cada 8 bits de dados, 10 bits são realmente transmitidos, com os bits "de sobra" sendo usados para ajudar a manter a integridade do sinal. 

Isso significa que apenas 80% da largura de banda teórica do HDMI 2.0 está realmente disponível para uso de dados com 8b / 10b. A codificação 16b / 18b da versão 2.1 melhora isso para eficiência de 88,9%, enquanto a codificação 128b / 132b produz eficiência de 97%.

Confira a tabela abaixo. Usar a planilha VESA e executar os cálculos ( multiplicar a profundidade da cor pelo número de pixels e a taxa de atualização da tela para saber a largura de banda mínima necessária para uma resolução) fornece os seguintes requisitos de largura de banda:

COMPARANDO A TABELA ABAIXO COM AS ESPECIFICAÇÕES HDMI/DP: se a largura de banda necessária for menor que a taxa de dados máxima que um padrão suporta, a resolução pode ser usada

Um ponto interessante é que existe uma opção chamada Display Stream Compression 1.2a (DSC), que está presente tanto no DP 1.4 quanto no HDMI 2.1 e ajuda a superar as limitações de largura de banda, situação que se agrava à medida que as resoluções e taxas de atualização aumentam. O DSC pode fornecer uma taxa de compressão de até 3:1 convertendo para 4:2:2 ou 4:2:0 YCgCo e usando a codificação delta PCM. Ele fornece um resultado "visualmente sem perdas", especialmente para filmes.


Comparativo

Tanto o DisplayPort quanto o HDMI tem suas vantagens e desvantagens um sobre o outro. Logo de início, podemos mencionar que a conexão HDMI já é altamente disseminada há algum bom tempo - as atualizações para HDMI mantiveram o padrão relevante por mais de 16 anos. Enquanto isso, mesmo crescendo no mercado de hardware mais recentemente, o DisplayPort ainda está na fase de ganhar porcentagem de mercado. Como o Tom'sHardware cita, "Milhões de dispositivos com HDMI foram lançados em 2004 quando o padrão era jovem e agora podem ser encontrados em todos os lugares".

Além disso, o DisplayPort 1.4 não tem tanta largura de banda disponível quanto HDMI 2.1, e, oficialmente, o comprimento máximo de um cabo DisplayPort é de até 3 m - o que pode se tornar uma desvantagem em determinadas situações, principalmente quando falamos de eletrônicos de consumo final. Os cabos HDMI podem ter até 15 metros.

Porém, devemos citar alguns pontos bem fortes que o DisplayPort usa como "contra-ataque". Primeiramente, as taxas de atualização variáveis (VRR) fazem parte do padrão desde DisplayPort 1.2a (HDMI também suporta VRR através de uma extensão AMD desde 2.0b, mas HDMI 2.1 é onde VRR se tornou parte do padrão oficial.). Outra vantagem é que esse padrão  pode conectar várias telas a uma única porta via Transporte Multi-Stream (MST), e o sinal DisplayPort pode ser canalizado por um conector USB Tipo C que também suporta MST.

Terceiro ponto: DisplayPort normalmente oferece largura de banda máxima mais alta do que HDMI também. Nesse ponto você pode se perguntar: mas não foi dito que o HDMI 2.1 supera DisplayPort 1.4? De fato, mas o DisplayPort 2.0 recupera a liderança.

"HDMI 2.0b e anteriores são 'piores' em alguns aspectos em comparação com DisplayPort 1.4, mas se você não estiver tentando executar em resoluções ou taxas de atualização extremamente altas, provavelmente não notará a diferença". - Tom'sHardware

Com DisplayPort 2.0, existem três novos modos de transmissão: UHBR (taxa de bits ultra alta) 10, UHBR 13.5 e UHBR 20. O número se refere à largura de banda de cada pista, e DisplayPort usa quatro pistas, então UHBR 10 oferece até 40 Gbps de taxa de transmissão, UHBR 13.5 pode fazer 54 Gbps e UHBR 20 picos a 80 Gbps. Todos os três padrões UHBR são compatíveis com os mesmos cabos certificados DP8K e usam codificação 128b / 132b, o que significa taxas de bits de dados de 38,69 Gbs, 52,22 Gbps e 77,37 Gbps.

E, claro, algo que não afeta diretamente os consumidores, mas que já foi comentado diversas vezes aqui no Adrenaline: HDMI é uma marca e especificação licenciadas, enquanto DisplayPort é um padrão livre de royalties.

No vídeo abaixo, até o minuto 5:45, você pode entender de forma bastante didática no que essas diferenças citadas implicam na hora da gameplay:


Conclusão

Como foi dito, este artigo é altamente baseado na publicação feita pelo Tom'sHardware - que entra ainda mais em detalhes técnicos das duas tecnologias envolvidas na comparação realizada. Aqui, tentei construir algo que tanto um iniciante/intermediário quanto um bom conhecedor de conexões e transferência de dados possa compreender. Nesse sentido, compartilho a conclusão feita pelo portal citado anteriormente.

Os dois padrões conseguem oferecer uma boa experiência de jogo, mas se você quer mais, o DisplayPort 1.4 é geralmente melhor do que HDMI 2.0. Porém o HDMI 2.1 traz benefícios que só Display Port 2.0 irá superar. E isso apenas em 2021

Mostramos que existem, sim, vantagens do lado do DisplayPort, e que alguns recursos no HDMI também podem torná-lo uma escolha melhor - principalmente para uso de eletrônicos de consumo, mas não é disso que tratamos aqui. Os dois padrões acabam se sobressaindo dependente da situação do jogador em muitas áreas - do hardware que já possui ou que pretende adquirir.

"O grupo de padrões VESA, responsável pelo DisplayPort, está de olho no crescimento da adoção do PC, enquanto o HDMI é definido por um consórcio de eletrônicos de consumo e pensa primeiro nas TVs." - Tom'sHardware.

"O grupo de padrões VESA, responsável pelo DisplayPort, está de olho no crescimento da adoção do PC, enquanto o HDMI é definido por um consórcio de eletrônicos de consumo e pensa primeiro nas TVs." - Tom'sHardware.

A melhor opção para quem tem hardware Nvidia no geral seria uma conexão DisplayPort 1.4 e um monitor G-Sync. Porém, se você prefere jogar usando a TV como monitor e conseguiu adquirir uma placa RTX 3000, uma LG OLED 2019 / 2020 pode ser uma ótima e nada barata escolha, por trazer HDMI 2.1 e suporte a G-Sync.

HDMI 2.1 supera o DisplayPort 1.4, e DisplayPort 2.0 deve passar o HDMI 2.1.

Já os gamers com placas AMD parecem ter mais liberdade de escolha, já que existem monitores mais acessíveis com FreeSync e HDMI. Porém, a ideia continua a mesma: se você tem a oportunidade de utilizar o DisplayPort, use. A chegada das recém lançadas Radeon RX 6000, com suporte a HDMI 2.1 e ainda sem suporte a Display Port 2.0 - a mesma estratégia usada pela Nvidia com a GeForce série 3000, acaba favorecendo a conexão HDMI, mas apenas se a escolha for jogar em uma telona, já que ainda não há monitores compatíveis com a nova conexão.

Quando o assunto são os videogames, se você vai jogar nos novos consoles, PlayStation 5 ou Xbox Series X e S, existe no mercado diversas opções de TVs com suporte ao HDMI 2.1, conexão já presente nesses vídeo games. Dessa forma, o HDMI se destaca e acaba sendo a melhor opção.

Fonte: Tomshardware, TAB-TV
Assuntos
Tags
  • Redator: Saori Almeida

    Saori Almeida

    Saori Almeida é natural do Rio Grande do Sul, técnica em administração formada pelo Centro Tecnológico de Caxias do Sul (CETEC) e estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Gosta da cultura asiática e nerd no geral e tem interesse crescente por tecnologia e games desde pequena - gosto que se intensifica diariamente na redação.

Pra você, quem merece o GOTY?

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.