Créditos: Adrenaline

Guia de Placa de Vídeo 2020 - primeiro semestre

Ajudamos você a achar a placa certa para seu PC!
Por Diego Kerber 08/02/2020 16:02 | atualizado 08/02/2020 16:03 Comentários Reportar erro

Com o mercado consolidado após lançamentos do começo do ano, alguns segmentos de preço ficaram especialmente povoados. Com tanta opção, fica difícil escolher um modelo para chamar de seu. Pois nada temam: nesse artigo vamos tentar organizar esse mundo de produtos e tentar encontrar o mais interessante para seu PC.

Comprar a placa de vídeo é escolher um produto que entregue poder de processamento gráfico. Quanto mais você investe, mais tem capacidade de rodar games com gráficos avançados, resoluções superiores e taxas elevadas de quadros por segundo. Em alguns casos, também passa a ter acesso a tecnologias exclusivas que chegam com novas microarquiteturas.

Aviso importante: estamos usando preços do mercado nacional como referência, ignorando placas importadas da China. Outro fator importante é a grande volatilidade do mercado brasileiro, então os preços que usamos foram pesquisados entre os principais varejistas brasileiros no dia 27/01, podendo haver grandes variações no momento que você estiver lendo esse artigo.

Na escadaria do line-up atual, temos isso aqui:

Por conta da evidente sobrecarga que seria encher esse artigo com múltiplos gráficos desse tamanho, vou passar a usar apenas comparativos dos segmentos que estamos comentando. Também é bom destacar que as posições que vemos no gráfico acima variam ao longo de diferentes testes, com alguns cenários favorecendo mais Nvidia ou mais AMD, ou novas arquiteturas em detrimento de mais antigas. Para seguir o artigo, vamos "subir essa escadaria", começando lá de baixo.

Placas de entrada até 500 reais

A verdade é que o segmento de entrada não ganha muito carinho nem da parte da AMD, nem da Nvidia. É por isso que aqui se torna relevante olhar para placas mais antigos, pois são eles que tem algo para oferecer nessa faixa tão apertada de orçamento. Entre os primeiros modelos que dá para arriscar, estão as RX 550 e a GT 1030 (versão GDDR5, não DDR3).

Um detalhe importante: nesse segmento temos performances que podem ser rivalizadas por gráficos integrados, então há chances de valer mais a pena comprar um CPU com bons gráficos, como o Ryzen 3 3200G, ao invés de comprar uma placa dedicada tão básica.

Placas até R$ 1mil

A vida melhora muito quando passamos da barreira dos R$ 600. É nessa faixa de preço que começa a aparecer a grande heroína do país, a RX 570, com custo que pode chegar a casa dos R$ 630 e performance suficiente para encarar um FullHD em qualidade média ou alta com ótima taxa de quadros.

Placas desse segmento (com modelos mais relevantes marcados em negrito):

GTX 1660 Super - a partir de R$ 990
RX 590 - a partir de R$ 900

GTX 1650 Super - a partir de R$ 900
RX 580 - a partir de R$ 850
RX 570 - a partir de R$ 650

GTX 1650 - a partir de R$ 780

Fica evidente que as RX 570, RX 580 e RX 590 são modelos fortes quando o assunto é custo e benefício, porém a GTX 1660 começando a aparecer por menor de 1 mil reais adiciona uma GeForce nessa mistura, e vale a pena o gasto adicional se for possível. A GeForce GTX 1650 Super ainda precisa cair mais seu preço para fazer sentido, enquanto a GTX 1650 já pode ir embora quando quiser, não fez nada de relevante para esse segmento até o momento e parece que nunca fará.

O meio até R$ 1600

Agora é hora de olhar para uma das faixas de preço mais relevantes, junto com o mercado até R$ 1mil. O orçamento até 1600 reais traz alguns dos produtos mais relevantes para a disputa, com placas com folga para encarar FullHD no talo e até arriscam QuadHD em franquias mais leves, sem dificuldades.

Placas desse segmento (com modelos mais relevantes marcados em negrito):

RX 5600 XT - ainda indisponível no mercado brasileiro
GTX 1660 Ti - a partir de R$ 1,4 mil
GTX 1660 Super - a partir de R$ 1,3 mil
RX 5500 XT - a partir de R$ 1,5 mil

Na "meiuca" temos um modelo favorito: a GTX 1660 Super se mostra claramente como o melhor modelo, com a GTX 1660 Ti também mandando bem. O que a linha Radeon brilhou no segmento anterior, veio para passar vergonha aqui. A RX 5500 XT até o momento tem baixíssima disponibilidade e seu preço é simplesmente incompatível com sua performance (ela nem devia estar aqui, devia estar na disputa até R$ 1 mil). 

A RX 5600 XT ainda não está a venda no país, mas chegou ao mercado com preço sugerido igual ao da GTX 1660 Ti. Não estamos otimistas com os primeiros preços que veremos ela, mas quem sabe a longo prazo a disputa fique mais interessante.

As high-end até R$ 2.2 mil

Chegamos na seção rei do camarote das placas de vídeo, com as placas de vídeo que já superaram o 1080p e estão aqui com condições de rodar QuadHD em alta qualidade. 

Placas desse segmento (com modelos mais relevantes marcados em negrito):

RTX 2060 Super - a partir de R$ 1.990
RX 5700 XT - a partir de 2,1 mil
RX 5700 - a partir de R$ 1.990
RTX 2060 - a partir de R$ 1,7 mil

Nesse segmento o ideal é partir para as melhores disponíveis. A RX 5700 custa caro demais frente a RX 5700 XT, que com certeza compensa o investimento extra. Já com as GeForces, a RTX 2060 é um produto interessante, mas com o preço da RTX 2060 Super tão próximo, na nossa opinião é melhor ir com o modelo Super. Além do ganho em performance, vem o importante upgrade para 8GB de VRAM, algo relevante para esse mundo do 1440p e especialmente relevante se pretende usar o Ray Tracing, que também consome uma dose extra de memória de vídeo.

O céu é o limite

Se sua carteira consegue atingir patamares tão elevados, temos aqui o segmento dos sonhos. Esses são os níveis de performance mais elevados do mercado, e os preços mais elevados também. Colocamos em cinza as placas mais potentes do segmento anterior, para dimensionar o ganho de performance que acontece aqui.

Placas desse segmento (com modelos mais relevantes marcados em negrito):

RTX 2080 Ti - a partir de R$ 5,5 mil
RTX 2080 Super - a partir de R$ 3,9 mil
RTX 2070 Super - a partir de R$ 2,8 mil

O primeiro destaque é fácil de fazer: a RTX 2070 Super tem pouco a oferecer acima da RRX 2060 Super e RX 5700 XT. De resto, temos o reflexo de duas coisas: 1) um mercado sem concorrência, então a Nvidia tem liberdade para cobrar o que conseguir convencer alguém que é valido pagar e 2) o aumento exponencial que produtos topo de linha trazem, com ganhos de performance que obviamente não são proporcionais ao aumento de custo. Porém, para jogar em resoluções altíssimas e com altas taxas de quadros, esses modelos são o único caminho viável para, por exemplo, dar conta de 4K no Ultra.

Essa é nossa visão geral do mercado em segmentos de preço. A ideia é possivelmente repetir a fórmula (se for bem recebida) ali pela metade do ano novamente, atualizando o cenário de preços e performance. É bom destacar que esse é um conteúdo introdutório: depois que você tem um produto em mente, recomendamos abrir a análise específica da placa que está buscando lá na nossa seção de análise de placas de vídeo. Lá você poderá ver mais testes de cada modelo, com as oscilações em diferentes cenários (por questão de espaço, nesse artigo usamos apenas um teste por segmento). Também recomendamos dar uma conferida em nossos gameplays no canal do YouTube, onde dá pra ver em ação cada modelo que já passou por nossos testes. Feedback será bem-vindo para futuros formatos desse conteúdo!

Assuntos
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube

O que você achou deste conteúdo? Deixe seu comentário abaixo e interaja com nossa equipe. Caso queira sugerir alguma pauta, entre em contato através deste formulário.