Xbox Series X - O que sabemos (e nossas expectativas)

Comentamos as especificações anunciadas e nossas expectativas para o novo Xbox

Assim como fizemos no anúncio do novo Playstation, aqui vamos passar por um misto de informações oficiais e nossa experiência com hardware para comentar as possibilidades que esse novo videogame será capaz de entregar. 

Começando pelo básico, a lista de tudo que sabemos e que é oficial:

- Processador baseado em Zen2 (a mesma dos Ryzen 3000)
- Chip gráfico baseado em Navi e RDNA (mesma das RX 5700XT)
- RAM: GDDR6 (sem capacidade confirmada)
- Armazenamento: SSD NVMe (sem capacidades confirmadas)
- Resolução máxima: 8K
- Taxa máxima de atualização: 120Hz 

Falando de especificações, podemos esperar um salto e tanto no desempenho. Mesmo comparado ao Xbox One X, o mais potente videogame hoje no mercado, o Xbox Serie X, temos o dobro de TFLOPS. Um detalhe importante: o dobro de TFLOPS não dá o dobro de quadros por segundo (os FPS). Abaixo temos uma GeForce RTX 2080 e seus 20 TFLOPS de precisão simples comparado a GTX 1660 Ti e seus 10 TFLOPS. Dá para ver saltos respeitáveis, mas que não replicam 100% o incremento da especificação.

Mesmo considerando esse salto, é bom destacar que 8K é algo irrealista para a renderização dos games. Mesmo com o salto de 2x no poder de processamento, ir para os 8K representam 4x mais pixels na tela, algo impossível de ser realizado mesmo com a evolução do Xbox One X para o Xbox Series X. O suporte ao 8K acontece pelo mesmo motivo que no Playstation 5, como comentamos em um vídeo parecido com esse conteúdo, mas sobre o console da Sony. Temos televisores gigantescos, e que para conseguir manter uma boa densidade de pixels, tem a resolução nessa casa absurda. Assim, o Xbox estaria pronto para eles e futuros televisores, conseguindo exibir sua interface em alta resolução. Para renderizar os games, porém, vai provavelmente subir o que for possíve e então usar técnicas de upscalling para "encher a tela".

- Continua após a publicidade -

Falando da parte de processamento... essa é definitivamente a parte que mais me empolga. Sair da arquitetura Jaguar, um processo de fabricação que remete a linha Bulldozer dos PCs porém com melhorias, para partir para um Zen2 é abrir chance de saltos notáveis. Abaixo temos o FX-9590, o melhor processador e um verdadeiro monstro de consumo e aquecimento e baseado na microarquitetura Jaguar, versus um processador bastante básico da linha Ryzen 3000, que também usa Zen2. Acho que os gráficos falam por sim mesmos.

Mais do que o salto na taxa de quadros, algo importantíssimo para um console que pretende alcançar até 120Hz e, portanto, seria bom entregar 120fps se possível para games competitivos, é impressionante o salto também em performance multithread, o que verificamos ali com o CineBENCH. Isso garante mais do que só mais quadros na tela (o que já é ótimo, não me entenda mal): isso viabiliza inteligência artificial mais complexa, quantidade maior de objetos e NPCs na tela e cenários maiores e mais densamente povoados. 

O salto na performance do processador é um dos mais relevantes, e vai viabilizar gameplays a 60fps ou mais

Esse salto de desempenho acontece mesmo considerando que na comparação usamos o Ryzen 5 3600 que tem dois núcleos a menos e, mais importante, derruba o TDP (estimativa de aquecimento do chip) dos 220W do FX-9590 para apenas 65W, ou seja, quase quatro vezes menos. Isso vai ser relvante para outro aspecto da discussão lá no design.

Além de abrir rapidamente o jogo, a espera pra tentar de novo depois de "morrer" vai ser reduzida

Outra mudança crucial é o armazenamento. Até que enfim as memórias flash se tornaram baratas o bastante, e agora vão incorporar os videogames. Mesmo não dando mais quadros, eles tem algumas vantagens importantes. O primeiro resultado é um que muita gente conhece: carregamentos quase instantâneos  Isso é importante não só para começar uma fase, mas algo que acho até mais importante, que é recarregar a fase depois de você perder. Já é frustrante morrer contra um chefe difícil, pior ainda ter uma longa tela de carregamento antes da próxima tentativa.

- Continua após a publicidade -

Mas o armazenamento rápido também possibilita outras coisas. GTA V já desafiou o hardware dos consoles com seu recurso de "teleportar" de um personagem para outro, porém com um dispositivo lendo dados muito mais rápido, seria possível mover o protagonista pelo mapa de forma muito mais rápida antes de bater no limite da velocidade de um HD em entregar novos objetos e texturas. Parece algo trivial, mas desenvolvedores do último game do Homem-Aranha para PS4 já afirmaram que essa dificuldade técnica foi um dos motivos que limitou a velocidade máxima que o cabeça-de-teia podia se balançar para avançar pelas ruas de Nova Iorque.

Além das especificações já confirmadas, sabemos qual é a cara do novo Xbox. De uma forma inesperada, temos um videogame em formato de torre, algo inusitado no mundo dos consoles, mas que nós conhecemos faz um tempinho no mundo dos PCs.

Esse aqui embaixo é o Gigabyte Brix VR, um computador em um formato bastante excêntrico que testamos alguns anos atrás no Adrenaline. Ele tem um conceito parecido com o do Mac PRO codinome "lixeira": um hardware construído em um formato de torre com um fluxo de ar passando por todos os componentes.

Aqui estamos no terreno da pura especulação, mas dá para perceber uma fresta na base do Xbox Series X e o chão onde ele está apoiado nas artes conceituais, e no topo junto com o belo acabamento de LEDs verdes temos aberturas que podem ser entradas de ar. Outro fato que nos faz suspeitar que esse será o fluxo de ar do aparelho é que ele é homogêneo e a Microsoft já afirmou que ele poderá ser usado deitado, o que demandaria algum tipo de apoio para não bloquear as entradas e saídas de ar, se elas acontecessem nas laterais. Não vimos a parte traseira do aparelho mas, provavelmente, não é por lá que isso deve ser feito já que os cabos devem ficar nesse lugar. Mas, como não vimos ainda essa parte, ainda não dá para cravar com certeza.

O Xbox Series X está anunciado para "as festividades de 2020", algo que compreende o período de outubro a dezembro, nos Estados Unidos, período parecido com o da chegada do Playstation 5. O preço ainda não foi anunciado, com tanto a Microsoft quanto a Sony escondendo sua estratégia de custos de sua próxima geração. Já estão confirmados 15 estúdios trabalhando em games para o novo videogame da Microsoft, com Hellblade II sendo o primeiro anunciado, junto com o visual do console no The Game Awards 2019.  Mas além dele, a empresa está trazendo sua artilharia pesada, com 343 Studios (Halo), Playground Games (Forza) e The Coalition (Gears of War), entre outras, com "games no forno" para o novo console. 

Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube