O que muda e o que fica igual com o novo Qualcomm Snapdragon 845

A Qualcomm recentemente revelou sua nova geração de system-on-a-chip (SoC) com o Snapdragon 845, que vai chegar com a promessa de ser o mais poderoso chipset mobile do mundo — ao menos para dispositivos Android. Dentre todas as novas tecnologias que a companhia trouxe para a plataforma, a mais impressionante é a de emulação de arquitetura x86, que permite a produção de notebooks com um chipset mobile e com Windows 10.

Site oficial: Plataforma Qualcomm Snapdragon 800

Isso é algo que já é suportado desde o lançamento do Snapdragon 835, mas só agora estão chegando os primeiros modelos com a tecnologia. O resultado se traduz em laptops extremamente finos, sem a necessidade de um cooler a ar e com baterias que duram até 22 horas de uso misto, como é o caso do Asus NovaGo.

Baterias de notebooks com Windows 10 e Snapdragon 835 durarão dias de uso, diz Microsoft

Novo modem com velocidades acima de 1000Mbps


Uma das principais diferenças entre o Snapdragon 845 e a geração anterior é o novo modem Qualcomm X20. Enquanto o Snapdragon 835 já alcançava velocidades Gigabit LTE (conexão 4G com 1Gbps de velocidade de transferência), o novo chipset chega a valores 20% maiores, de até 1,2 Gbps. Outra novidade importante é a tecnologia de 5x carrier aggregation, que permite usar 5 frequências de 4G conectados e Multiple Input Multiple Output 4 x 4 em 3 carriers agregados. Ambas as tecnologias permitem uma internet móvel mais rápida e estável.

Núcleos da ARM com mais desempenho e menos consumo


A Qualcomm trouxe grandes mudanças nas capacidades do processador dentro do Snapdragon 845. Ele vai trazer 4 dos novos núcleos ARM Cortex-A75 rodando a 2.8GHz para processamento de alto desempenho. De acordo com a ARM Holdings, companhia responsável pela arquitetura, os novos núcleos são 20% mais rápidos que a geração anterior, Cortex-A73 (na qual foram baseados 4 dos núcleos Kryo 280 do Snapdragon 835). A promessa é de que ele ainda mantém o mesmo consumo de energia, até por manter o processo de produção de 10nm das fábricas da Samsung.

- Continua após a publicidade -

Ele vai trabalhar em conjunto com a nova GPU Adreno 630, que a empresa promete ser 30% mais rápida e 30% mais eficiente que o modelo da geração anterior. Ela ainda permite rodar até 2 displays de resoluções até 2400 x 2400 pixels e taxa de atualização 120Hz. Essas características vão beneficiar futuros produtos mobile de realidade virtual. Pensando em VR e em AR,o chipset já inclui sensores de rastreamento ocular, rastreamento de mãos e renderizações múltiplas. A Qualcomm coloca tanta ênfase nisto que chama a Adreno 630 de "subsistema de processamento visual". Para completar, o Snapdragon 845 permite a gravação de vídeos em 4K e HDR com sensores de até 32MP (ou dois na configuração de 16MP + 16MP)

Enquanto isso, os núcleos de alta eficiência serão 4 ARM Cortex-A55, que não traz mudanças drásticas em comparação com a geração anterior, Cortex-A53. Estes núcleos são usados em praticamente todos os chipsets atuais da Qualcomm, inclusive para diminuir o consumo dos topos de linha. Por isso, a estratégia aqui é não mexer em time que está ganhando. O Cortex-A55 chega com eficiência energética 15% superior e com desempenho até 18% melhor em situações bem específicas, onde o gargalo está na memória.

Como aponta o site Android Authority, é muito provável que a Qualcomm não vá fazer muitas alterações no projeto da ARM, já que a companhia gastou uma grande quantidade de tempo e fez um belo trabalho otimizando sua nova arquitetura. Só que o real motivo para isso seria a utilização da tecnologia de cluster de múltiplos núcleos DynamIQ. Ela permite que os núcleos sejam organizados no mesmo cluster de CPU, o que garante melhor gerenciamento de energia e capacidades superiores de processamento heterogêneo. A nova tecnologia permite até organizar os núcleos em combinações de 3 + 5 núcleos ou de 2 + 6 núcleos. Todos esses cores podem compartilhar o mesmo cache de memória L3 para realizar multitarefas de maneira mais eficiente.

Microsoft e Qualcomm anunciam seus "PCs Sempre Conectados" com Snapdragon 835

O foco em inteligência artificial e machine learning é outra coisa que a Qualcomm mencionou na sua apresentação, só que não foi muito além nas explicações. Segundo o GSM Arena, é certo que o Snapdragon 845 vai seguir a tendência de incluir uma Unidade de Processamento Neural (NPU), algo que a Huawei já faz com o Kirin 970 e a Apple tem no A11 Bionic. Com a última atualização para o Android 8.1 Oreo, a Google implementou uma nova API de processamento neural, que permite que os desenvolvedores usem chips dedicados para permitido aprendizado de máquinas acelerado por hardware.

Microsoft e Qualcomm se juntam para trazer versão desktop do Windows 10 para mobile


Conceito do Xiaomi Mi 7, primeiro smartphone confirmado com Snapdragon 845

Conclusão


Se os novos notebooks com Snapdragon 835 já prometem grandes mudanças para o mercado de dispositivos móveis, podemos esperar ainda mais quando começarem a aparecer modelos com Snapdragon 845. O maior desempenho deve permitir rodar programas x86 para Windows 10 ainda mais complexos, enquanto a maior eficiência energética permitirá durações de bateria ainda mais impressionantes. Isso sem contar os novos smartphones topo de linha. A Xiaomi confirmou que o Mi 7 terá o novo chipset. Como o Snapdragon 845 será fabricado pela Samsung, é seguro esperar que o Galaxy S9 também terá uma versão com o processador.

Confira especificações completas e o comparativo com o Snapdragon 835 abaixo:

Via: Android Authority, GSM Arena
Tags
  • Redator: Carlos Felipe Estrella

    Carlos Felipe Estrella

    Apaixonado por games desde os 6 anos de idade, quando ganhou um Playstation, época em que também se divertia com o Super Nintendo dos outros. Em 2005 migrou para o PC, e aí começou a se interessar por tecnologia também. Apesar disso, nunca conseguiu largar a preferência por jogos de corrida e de esporte, principalmente os de futebol. Estuda jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina.