Seu smartphone virando PC? Testamos o Samsung Dex!

Entre os recursos anunciados para a nova geração de smartphones topo de linha da Samsung surgiu um recurso que não é novidade: transformar seu celular em seu PC através de um dock. A ideia já ensaiou diversas decolagens, como o Lapdock do Motorola Atrix lá nos idos de 2011 (sim, temos vídeo dele!) ou o Continuum do finado Windows para smartphones, mas nunca foi muito longe. Recebemos para testes o Dex da Samsung e um Galaxy S8+ e testamos se dessa vez a ideia foi implementada direito.

Site oficial Samsung Dex
Link para compra

Falando rapidamente do hardware: o Dex conta com duas conexões USB 2.0, uma conexão para cabo de rede, uma conexão HDMI e um conector USB Tipo-C. O último não é para conectar gadets e sim para ligar o cabo de energia, pois o dock não opera sem estar ligado na tomada. Além das conexões, ele traz um sistema de resfriamento através de ventoínhas bastante discreto, com ruído praticamente imperceptível.

Ligado no dock se passam poucos segundos para o smartphone alternar para o modo PC. Após fazer o desbloqueio, que pode ser via PIN ou leitura de íris, temos acesso ao sistema. Usuários do sistema Windows estarão em casa já que muitas das interfaces são semelhantes ou posicionadas em lugares parecidos. A gaveta de aplicativos está onde fica o Menu Iniciar, com os botões básicos da interação com o Android (gaveta de aplicativos, multitarefa e voltar) com símbolos e funcionalidade idênticas as que eles desempenham no celular, o que torna a navegação por esse sistema bastante intuitivo. Na lateral direita na parte de baixo fica uma barra de notificações que ganhou um formato semelhante ao que vemos no Windows, agregando também algumas configurações de sistema.

A interface do Dex é bem intuitiva, e lembra muito dos formatos do Windows

Por conta das várias semelhanças com o sistema Windows, não é difícil se adaptar a essa interface. Dá para virtualizar o sistema da Microsoft ou acessar remotamente com apps como o TeamViewer, porém particularmente não vejo motivos para isso já que esse sistema já lida bem com usos cotidianos como navegar na web, editar documentos ou assistir vídeo, com a vantagem de já trazer logado todos os serviços do smartphone e de manter aberto esses apps ao sair do modo desktop.

- Continua após a publicidade -

Nem todos os apps se adaptam bem ao Dex

Alguns apps se adaptam bem a interface do Dex, especialmente aqueles que já possuem variantes para tablets e que possuem interfaces que exploram telas mais amplas e na disposição horizontal. Em outros casos, porém, o app não irá nem operar em tela cheia, forçando um formato de tela típico ao de um smartphone. Alguns softwares como games simplesmente não irão abrir por serem voltados a interações que não estão disponíveis no Dex e não foram adaptados para tanto.

Lista completa da apps adaptados para o Samsung Dex

Para operar você precisa de um cabo de energia... que não vem com o produto.

Apesar de não ser completamente lisa, a experiência é satisfatória. A abertura de apps e a movimentação das janelas apresentam oscilações na performance, porém o saldo final é positivo e pode ser uma boa alternativa para quem deseja a praticidade de usar um PC e trazer todos os arquivos e apps do smartphone instantaneamente. Com duas portas USB 2.0 dá para colocar um mouse e um teclado, e em nosso caso, com um combo de mouse e teclado sem fio, sobrou até uma porta USB para um eventual pendrive. As conexões também incluem uma entrada para cabo de internet e uma HDMI, então dá para deixar esse setup montadinho em casa em um espaço de trabalho.

Minha maior implicância é com o preço. Já não é pouco o dinheiro necessário para comprar os aparelhos compatíveis, o que inclui o Galaxy S8, S8+ e Note8, e essa base composta basicamente por um sistema de resfriamento e algumas conexões sai por impressionantes R$ 500 a até R$ 650, ou seja, o custo de um smartphone completo de entrada. para piorar, ele não inclui um cabo de carregamento, o que significa que você vai precisar usar o carregador e o cabo do seu celular para ligá-lo. Se o plano é manter o dock sempre de prontidão montado e também ter um cabo para carregar consigo, você vai precisar comprar OUTRO carregador e cabo. Considerando o preço desse acessório, o mínimo seria incluir todos componentes necessários.

Link para compra

- Continua após a publicidade -

Ignorando o custo elevado, vejo o Dex como um acessório com funcionalidade suficientes para substituir um PC para uso cotidiano, atendendo bem quem deseja apenas navegar na web, conferir sua linha do tempo no Facebook e até fazer uma edição básica de um texto ou uma planilha. A falta de um suporte de apps e do próprio sistema Android mais amplo impede almejar qualquer coisa maior que isso para o Samsung Dex.

Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube