Gigabyte Brix S - Sistema compacto com processador Core i7 Skylake e SSD formato M.2

Nos últimos anos o mercado de computadores teve uma queda de vendas muito grande graças a migração de muitos usuários para smartphones, que já fazem grande parte das funções até então nascidas para uso em desktops e notebooks. Entre as novidades da industria está a busca em sistemas mais compactos, que ocupem menos espaço e também tragam apelo de portabilidade. Primeiro apareceram as placas-mãe de tamanho reduzido, chegando ao formato 17x17cm (Mini-ITX) que se consolidou como menor formato para quem deseja um sistema compacto, mas não abre mão de ter componentes de alto desempenho, já que existem vários modelos com suporte a processadores topo de linha e o que existe de melhor em tecnologias, mesmo com a limitação de tamanho.

Recebemos da Gigabyte um modelo do computador compacto da linha Brix, para quem não conhece, eles tem projetos bastante parecidos com os PCs da série NUC da Intel, ambos com a mesma proposta, compactar o máximo possível o espaço que o computador ocupa, mas tentando ainda entregar bom desempenho. O modelo que recebemos é da linha Brix S (GB-BSi7HT-6500) com um Core i7 Skylake, especificamente o modelo Core i7-6500U, um modelo de baixa tensão que tem como objetivo operar em dispositivos compactos, logo precisa restringir seu consumo e aquecimento.

Além de se tratar de um Core i7, outro atrativo está em seu vídeo Integrado na série HD Graphics 520, suporte a Thunderbolt 3 e também a nova conexão USB 3.1 Tipo-C. Em cenário internacional ele fica com valor na casa de U$580 (pesquisa feita na newegg.com no dia 24/10/2016).

Gigabyte Brix S GB-BSi7HT-6500 Site oficial

Principais características de acordo com a Gigabyte:
- Processador Core i7 Intel® 6th generation
- Sistema Ultra compacto com apenas 0.6L (46.8 x 112.6 x 119.4mm)
- Suporte a 2.5” HDD/SSD, 7.0/9.5 mm thick (1 x 6 Gbps SATA 3)
- 1 x slot M.2 SSD (2280)
- 2 x slot SO-DIMM DDR4 (2133 MHz)
- Intel® IEEE 802.11 ac ,Dual Band Wi-Fi & Bluetooth 4.2 NGFF M.2 card
- HDMI plus e Mini DisplayPort (Suporte à dois monitores)
- Intel® HD Graphics 520
- 4 x USB 3.0
- 1 x Thunderbolt™ 3 port (Type C)
- HDMI 2.0
- Intel Gigabit lan
- Headphone and Microphone Jack
- VESA mounting Bracket (75 x 75mm + 100 x 100mm)

Intel Skylake Serie U
Antes de darmos sequência no artigo, vamos falar um pouco sobre os processadores Skylake série mobile, em especial da série U já que esse modelo é um Core i7-6500U. A série U é considerada um intermediária dentro dos modelos mobile da Intel, muito utilizada em Notebooks intermediários, já que entregam bom desempenho com baixo consumo de energia. Além de notebooks, eles são utilizados em outros computadores que buscam maior mobilidade ou projetos compactos como esse Brix ou os próprios NUCs, novamente, pelo diferencial de baixo consumo de energia e por se tratar de uma linha que esquenta pouco frente a soluções desktop por exemplo.

Como podemos ver abaixo na tabela, a linha "U" de 6ª geração tem consumo de 15W quando se trata apenas do CPU, para base de comparação, um Core i5-6500 desktop (socket LGA 1151) tem TDP de 65W. Lembramos que isso não é o consumo total do sistema, mas sim do processador. Outro detalhe importante em se tratando de consumo/TDP é que, modelos com TDP maior, quando de mesma geração, tendem a ter desempenho superior.

Um ponto interessante que tem recebido maior destaque em modelos de computador com processadores Intel Core de 6ª geração é o suporte a Thunderbolt 3, conexão com alta taxa de transferência que começa a tornar possível o uso de docks com placas de vídeo externas para entregar mais desempenho em aplicações gráficas, em especial games. Sistemas com vídeo integrado e suporte a esse tipo de tecnologia podem enfim ter uma alternativa para que torne possível jogar com maior qualidade diante do baixo desempenho do vídeo integrado quando comparado a placas de vídeo dedicadas, o Brix analisado possui uma porta Thunderbolt 3 que em teoria suporta esse tipo de tecnologia.

- Continua após a publicidade -

Fotos
Abaixo algumas fotos do Brix S, como destacamos, com design bastante compacto, semelhante aos NUCs da Intel. Ele possui apenas um botão para ligar o sistema. Em se tratando de conexões, na parte frontal, duas USB 3.0, para microfone e headset, já ao lado mais duas USB 3.0 e também SD Card.


Tudo que acompanha o Brix

Na parte de traz temos a conexão de rede, a Thunderbolt 3, uma conexão USB 3.1 Tipo C, novo padrão para uma série de dispositivos como Smartphones, além de uma conexão HDMI 2.0, suportando vídeos em 4K e 60Hz. Por fim o conector de energia e a trava de segurança. Na parte de baixo é possível prender o adaptador VESA para fixar o Brix atrás de um monitor ou qualquer outro local.

Sistema utilizado
Apesar do processador já estar "soldado" na placa-mãe, ainda é necessário adquirir alguns componentes para ligar o sistema, sendo eles um drive de armazenamento, podendo ser em formato M.2 ou SATA3 em tamanho de 2.5 inch(ou um de cada), e as memórias, através de no máximo 2 módulos DDR4, sendo que a velocidade padrão e máxima suportada é de 2133MHz, colocando velocidade acima disso as mesmas terão downclock.

- Continua após a publicidade -

A abertura é bastante simples, basta remover 4 parafusos de uma "tampa" na parte de baixo do Brix. Após a remoção dessa tampa, ficará bem visível o conector M.2(sobre uma conector PCIe que traz a placa Wifi/Bluetooth e os dois slots para memórias DDR4. Ainda é possível ver um cabo SATA3, onde é possível instalar qualquer drive com essa conexão, desde que em formato 2.5 inch, esse drive fica "preso" na tampa.

A instalação dos componentes é extremamente simples, mesmo com o espaço limitado não existe nenhuma dificuldade como podem ver nas fotos abaixo.

Tivemos um problema de incompatibilidade com o SSD formato M.2 da linha Predator da HyperX, sendo que o Brix não reconheceu ele de forma alguma, mesmo estando totalmente funcional. A única forma de resolver foi adicionando um SSD M.2 de uma linha mais simples, outro modelo da própria Kingston. Possivelmente algo relacionado ao fato do Predator ser baseado em conexão PCI-Express e não SATA. Contactamos a Gigabyte que falou que eles testarem com um modelo de 240GB da linha Predator e funcionou normalmente, então pode ser que o problema seja resolvido futuramente através de atualização de BIOS.

Abaixo algumas fotos da placa-mãe fora da carcaça do Brix, agora mostrando a parte de baixo dele onde fica o FAN sobre o processador. Para base de comparação, uma placa-mãe Mini-ITX tem medidas de 170x170mm, já essa placa-mãe tem medida de 105x110mm.

 

Também fizemos um vídeo comentando um pouco sobre o Brix S analisado e esse tipo de solução, inclusive mostrando a parte interna dele e os componentes utilizados para a montagem. Podem começar as zoações pra minha pronuncia... go go go laugh

Máquinas utilizadas nos testes:
Todas os sistemas utilizaram os mesmos hardwares para os testes:

- NUC com processador Core i5-4250U (Core de 4ª geração), 16GB RAM DDR3 1600MHz(2x8gb), SSD mSATA 120GB
- Intel Core i3-4150 (Core de 4ª geração), 8GB RAM DDR3 1600MHz (2x4GB), SSD HyperX 3K 240GB
- AMD A8-7670K, 8GB RAM DDR3 1600MHz (2x4GB), SSD HyperX 3K 240GB

Sistema Operacional e Drivers:
- Windows 10 64 Bits com Updates

Aplicativos/Games:
- AIDA 5.xx
- AS SSD Benchmark 1.8.x
- CPU-Z Bench
- CineBench R15
- x264 Full HD Benchmark
- wPrime 2.10
- WinRAR 5.21

- 3DMark (DX11)
- Bioshock Infinite (DX11)
- Grand Theft Auto V (DX11)
- Metro Last Light (DX11)

CPU-Z
Abaixo na tela do CPU-Z podemos ver algumas das principais características técnicas do Brix analisado. Uma curiosidade é que mesmo em se tratando de um Core i7, ele traz apenas 2 núcleos e 4 threads, e não os 4 núcleos e 8 threads tradicionais dos Core i7 de 6ª geração para desktop, sendo essa uma das limitações dos modelos para notebooks dessa linha.

Vale destacar que o GPU-Z trouxe informações erradas do CPU, que nã é um Core i7-6600U, mas sim um 6500U, algum bug que deve ser corrigido em breve.

GPU-Z
Através da tela do GPU podemos ver características técnicas do vídeo integrado, especificamente do Intel HD Graphics 520 que está presente nesse processador.

Temperatura
Começamos pelos testes de temperatura, como o sistema em modo ocioso e rodando o wPrime, aplicativo que "estressa" todos os núcleos dos processadores.

IDLE (Sistema ocioso)
Começamos pelo teste com o sistema em modo ocioso, com o Windows em espera sem estar executando nenhuma tarefa além das tradicionais do sistema.

Rodando o wPrime
Quando colocamos os sistema rodando o aplicativo wPrime, que faz todos os núcleos trabalhem em modo full, temos os consumos abaixo:

Consumo de energia
Fizemos os testes do sistema em modo ocioso e rodando o 3DMark, aplicativo que exige bastante do sistema.

IDLE (Sistema ocioso)
Começamos pelo teste com o sistema em modo ocioso.

Rodando o 3DMark
Quando colocamos os sistema com vídeo integrado rodando o 3DMark, temos os consumos abaixo:

Testes de desempenho
Abaixo temos uma série de testes de desempenho com o sistema, comparando a placa com outros modelos do mercado utilizando os mesmos componentes e fazendo exatamente os mesmos testes, com exceção de overclock, que é diferente em cada placa-mãe/sistema.

CPU-Z Bench
Abaixo o resultado do teste "Multi Thread" do aplicativo CPU-Z.

CineBENCH R15
Iniciamos os testes de desempenho em aplicações com o CineBench, que testa o processador convertendo uma imagem.

x264 Full HD Benchmark
Em um teste de conversão de vídeo Full HD, temos os seguintes resultados:

WinRAR
Outro bom teste para medir o comportamento do processador é o WinRAR, que consegue fazer bom uso de todos os cores.

wPrime
Rodando o wPrime, teste que estressa todos os cores do processador, temos os resultados abaixo:

Testes com o Vídeo integrado
Abaixo alguns testes com o vídeo integrado dos processadores que possuem essa tipo de tecnologia:

3DMark
Também fizemos testes para medir o desempenho do vídeo integrado, confiram abaixo o comportamento rodando o 3DMark.

BioShock Infinite
Por fim, mais um teste com o vídeo integrado, agora com o game "Bioshock Infinite".

Conclusão


Como um amante de computadores mais compactos, fico sempre na expectativa de que novas gerações avancem a fim de melhorar o desempenho sobre gerações anteriores, infelizmente esse Core i7-6500U de 6ª geração mostra que ainda é preciso de mais tempo para quem isso aconteça, ou de mais concorrência, afinal mesmo com o suporte a novas tecnologias, maior processamento e um vídeo integrado consideravelmente acima de gerações passada, ainda é muito pouco para considerar um grande avanço. Sim, a Gigabyte tem outros modelos como a nova série Brix Gaming, uma série com modelos maiores e que trazem CPU mais parrudos, temos por exemplo um digno Core i7 com 4 núcleos e 8 threads, além de uma placa de vídeo GeForce GTX 950, mas ai o valor sobe consideravelmente. A Intel também tem uma solução compacta, um pouco maior do que os NUCs, que ela chama de NUC Gamer, trata-se do Mini PC Intel NUC Kit NUC6i7KYK, modelo que se destaca pelo processador de alto desempenho, aliado ao vídeo integrado Iris Pro Graphics 580, o que a empresa tem de melhor em se tratando de gráfico em modelos Core de 6ª geração.

Há pouca evolução nos processadores nos últimos anos

No caso do modelo analisado, o desempenho do Brix S com Skylake foi melhor do que o NUC de de 4ª geração em tudo, até porque nem poderíamos esperar desempenho inferior, não teria lógica, porém só suporte à novas tecnologias não é o suficiente para justificar um produto com 2 anos de diferença de lançamento. A Intel está para lançar a 7ª geração Core, como as principais novidades uma linha com processo de litografia menor, prometendo maior desempenho com menor consumo, sendo que o CPU tende a ser 10% mais rápido que um modelo semelhante da 6ª geração, e o vídeo integrado indo um pouco além desse ganho, mas ainda assim sem grande evolução prática. O Brix Gaming me parece a melhor solução apesar do tamanho consideravelmente maior, entregando um desempenho a altura do que um Core i7 deveria ter, quem sabe agora com a chegada da nova geração de placas de vídeo GTX 1050 por exemplo que entregam desempenho semelhante a uma antiga GTX 960 faça a Gigabyte lançar uma versão atualizada do Brix Gaming que proporcione um gameplay legal para FullHD, mesmo com um sistema bastante compacto.

Os modelos normais da linha Brix são boas opções para quem quer um computador pequeno para uso de aplicações cotidianas sem muito processamento, até games mais simples tendem a rodar bem, especialmente em resoluções mais baixas. Ele traz suporte a várias tecnologias recentes como USB 3.1 Tipo C, Wifi/Bluetooth de últimas gerações e HDMI 2.0, enfim, vai atender muito bem que curte tecnologia, mas não precisa de muito desempenho. Em cenário internacional, o modelo analisado custa na casa de U$580 (pesquisa feita na newegg.com no dia 24/10/2016), sendo que é necessário ainda a compra de um drive de armazenamento em formato M.2 ou Sata3 com tamanho de 2.5 inch além de memórias.


Gigabyte GB-BNi7HG4-950 (Core i7-6700HQ com 4 núcleos/8 threads e uma GeForce GTX 950)

Também gostaria muito de ver a AMD com mais opções, gerando maior competitividade nesse tipo de produto. Atualmente ela não consegue fazer frente, especialmente em performance de CPU, e isso naturalmente não é a melhor situação para o mercado. O anuncio da 7ª geração de processadores com vídeo integrado da AMD pode ser finalmente trazer maior concorrência, como colocado, naturalmente forçando a Intel na busca por mais diferenciais, entre eles maior desempenho. Aí quem sabe enfim teremos computadores ultracompactos e com performance capaz de ir mais longe do que rodar bem aplicativos do uso cotidiano.

  • Redator: Fabio Feyh

    Fabio Feyh

    Fábio Feyh é sócio-fundador do Adrenaline e Mundo Conectado, e entre outras atribuições, analisa e escreve sobre hardwares e gadgets. No Adrenaline é responsável por análises e artigos de processadores, placas de vídeo, placas-mãe, ssds, memórias, coolers entre outros componentes.