Será que tá tão ruim? PC Baratinho encara o polêmico No Man's Sky

O aguardado No Man's Sky não fez a alegria de muita gente. Com um gameplay considerado entediante por muitos, ele também irritou os gamers de PC por conta de usa performance bastante ruim. Quando o assunto é testar performance e otimização, ninguém melhor que nosso pior segundo pior computador disponível, o PC Baratinho, para tentar rodar o game em condições extremas!

Análise: No Man's Sky "Ao infinito e além" do hype não correspondido

Nossa config inicial é a seguinte:

- AMD FX-6300 - R$ 479
- Asus M5A78L-M LX/BR - R$ 285
- Nvidia GeForce GTX 750Ti 2GB - R$ 499 - Análise da placa
- HD de 1TB Seagate Barracuda 1TB - R$ 260
- 8GB de memória RAM - 2x R$ 120
- Fonte 350W -  R$ 161
- Tela, mouse e teclado reaproveitados de PCs velhos - R$ 0 

Custo total estimado: R$ 1.924

Como podem ver no vídeo, o resultado não foi nem um pouco interessante. Foi possível alcançar uma faixa de gameplay confortável em FullHD com gráficos no mínimo e FPS desbloqeuados, o que fez a jogabilidade ficar a maior parte do tempo entre 32-43FPS. Porém engasgos bruscos ainda acontecem, esporadicamente. Não o suficiente para impossibilitar a jogatina, mas com uma frequência teimosa.

Dá pra jogar com a configuração clássica do Baratinho, mas apenas em 1080p/LOW com eventuais engasgos

Para tentar matar qualquer limitação de GPU e CPU, os dois componentes que chegaram a 100% ao longo da primeira rodada de testes, "chutamos o balde" dobrando o orçamento da placa de vídeo e do processador. A nova configuração ficou:

- AMD FX-9590 - R$ 1099
- Gigabyte GA-990FX-GAMING - R$ 849
- Nvidia GeForce GTX 960 4GB - R$ 969 - Análise da placa
- HD de 1TB Seagate Barracuda 1TB - R$ 292
- 8GB de memória RAM - 2x R$ 119
- Fonte Fractal Tesla 650W -  R$ 295
- Tela, mouse e teclado reaproveitados de PCs velhos - R$ 0 

- Continua após a publicidade -

Custo total estimado: R$ 3.742

Nem mesmo alargando MUITO nosso orçamento conseguimos nos livrar desse pequenos e irritantes travamentos, nos indicando que não tem para onde ir: o game está com problemas de otimização. O jogo é baseado em OpenGL, uma API opensource que já é criticada por sua ineficiência e necessidade de renovação. Porém não dá para por tudo na conta da API: DOOM chegou com um nível de performance satisfatório utilizando essa tecnologia, apesar da proposta evidentemente bem diferente entre os dois games.

Mais poder de fogo no hardware não ajudou, indicando que a culpa é mesmo do jogo mal otimizado

O OpenGL tende a ser substituída pela Vulkan, também uma tecnologia aberta. Por se tratar de uma API de "baixo nível", com acesso mais próximo ao hardware, a Vulkan é promissora em resolver problemas de sobrecarga no processador, algo que parece acontecer com frequência em No Man's Sky. A desenvolvedora prometeu novidades para os gamers de Playstation e de PC, e seria bem interessante que os problemas de performance resolvidos fossem parte da surpresa. Quem sabe uma versão com Vulkan também não faria um milagre, da mesma forma como as placas AMD evoluíram muito em DOOM?

Tags
  • Redator: Diego Kerber

    Diego Kerber

    Formado em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Diego Kerber é aficionado por tecnologia desde os oito anos, quando ganhou seu primeiro computador, um 486 DX2. Fã de jogos, especialmente os de estratégia, Diego atua no Adrenaline desde 2010 desenvolvendo artigos e vídeo para o site e canal do YouTube